News

Supremo proíbe abate de animais em situação de maus tratos

Por unanimidade, O Supremo Tribunal Federal decidiu para a proibição do abate de animais silvestres ou domésticos apreendidos em situação de maus tratos. A decisão foi finalizada pelo Plenário Virtual às 23h59 desta sexta-feira (10/9).

A ação foi proposta pelo Partido Republicano da Ordem Social (Pros) em relação à interpretação que vem sendo conferida aos artigos 25, parágrafos 1º e 2º, e 32 da Lei 9.605/1998, bem como aos artigos 101, 102 e 103 do Decreto 6.514/2008, por parte de órgãos judiciais e administrativos, de modo a possibilitar o abate de animais apreendidos em situação de maus tratos.

No entendimento dos ministros, se não há casos comprovados de doenças e pragas ou outros riscos sanitários, que venham causar malefícios a população, o sacrifício destes animais não é justificável.

O relator da ADPF, foi o ministro Gilmar Mendes, que já havia concedido uma medida cautelar para determinar a suspensão de todas as decisões administrativas ou judiciais, relacionadas ao abate de animais vitimas de maus tratos, em todo o país, e tornado assim ilegítimas, as situações que determinem o abate de animais apreendidos e resgatados em situação de maus tratos.

Constituição não autoriza abate de animais apreendidos em situação de maus tratos, esse foi entendimento que Gilmar reafirmou, no julgamento em plenário. 

Segundo o Ministro Gilmar, o parágrafo 2º do artigo 25 da Lei 9.605/98 firma o dever do poder público de zelar pelo “bem estar físico”. E que a lei determina que eles sejam soltos em habitat natural, em cativeiros, ou ainda que sejam doados a entidades especializadas.

Portanto, o ministro concluiu que se observando a instrumentalização da norma de proteção constitucional à fauna e de proibição de práticas cruéis, com a adoção de decisões que violam o artigo 225, parágrafo 1º, VII, da CF/88, no que o abate inverte a lógica de proteção dos animais apreendidos, ou resgatados em situação de maus tratos.

Também julgou procedente a ADPF para declarar a ilegitimidade da interpretação dos artigos 25, §§1º e 2º da Lei 9.605/1998, bem como dos artigos 101, 102 e 103 do Decreto 6.514/2008.

Clique aqui para ler o voto do relator
ADPF 640

Fonte: https://www.conjur.com.br

Ver também:

Conheça como funciona o trabalho de uma OSCIP que resgata animais em situação de risco e abandono.

Como estabelecer metas de estudos.

 A educação de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar.


O ensino de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar. Educação de Ensino em Casa, Jardins de Infância e Escolas, com cursos educacionais pré-escolar, ensino básico, fundamental e médio!

Gratuitamente, clique e comece já!

Print Friendly, PDF & Email

Joice Maria Ferreira

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo