Esportes

“Não tenho dúvidas de que ambos seremos profissionais”, diz Hamilton 

Lewis Hamilton diz que não espera que o rival pelo título Max Verstappen recue na pista, e ele avalia que eles continuarão a competir entre si “duro, mas justo” enquanto se preparam para renovar sua batalha no Grande Prêmio da Rússia neste fim de semana.

Os dois principais protagonistas do título colidiram da última vez em Monza, ao tentarem passar lado a lado na primeira chicane, com os dois pilotos sendo forçados a sair da corrida. Isso significa que Verstappen ainda está à frente de Hamilton por cinco pontos.

“O que é importante é que continuemos a correr arduamente, mas de forma justa”, disse Hamilton, que disse não ter os efeitos prolongados da batida em Monza após uma semana de tratamentos e ioga para ajudar a aliviar a rigidez do pescoço. Não tenho dúvidas de que seremos profissionais e aprenderemos com o passado”.

Ele acrescentou: “Nunca espero que um piloto desista. Não é assim que eu encaro as corridas com nenhum piloto. Acho que, no final das contas, todos nós temos que ser inteligentes e saber que chegará um momento em que você não vai fazer uma curva, mas é tudo uma questão de garantir que você viva para lutar na próxima curva”.

“Isso é realmente apenas através da experiência que você encontra esse equilíbrio e sabe que nem tudo é ganho em uma curva, então haverá outras oportunidades”.

“Eu sei o que é lutar pelo seu primeiro campeonato e a sua ânsia e você passa por muitas experiências e emoções diferentes nessa época. Como eu disse, acredito que continuaremos nos fortalecendo e tenho esperança de que não teremos mais incidentes ao longo do ano”.

Hamilton está competindo em sua 15ª temporada e, como heptacampeão mundial, tem bastante experiência com a pressão que acompanha a luta pelo título. Verstappen está em sua sétima campanha, mas esta é a primeira como um verdadeiro candidato ao título.

Quando questionado se ele acha que a pressão está alcançando Max um pouco à medida que chegamos ao final da temporada, Hamilton respondeu: “Obviamente, ele não vai admitir e não vou fazer uma suposição, mas eu ‘ só estou dizendo que me lembro de como foi quando lutei pela primeira vez e definitivamente aumentou”.

“Foi difícil, foi intenso, estava a passar por muitas emoções diferentes, nem sempre lidava bem com isso e era de esperar. Há muita pressão, você está trabalhando em uma grande equipe, há muita expectativa e pressão porque a vontade de vencer é enorme. Portanto, estou apenas dizendo que tenho empatia e entendo isso, mas sei que continuaremos a crescer a partir disso”.

Ele acrescentou: “O tempo dirá [se ele pode ou não usar sua experiência a seu favor]. Espero que sim. Claro que foi um ano incrivelmente difícil. Não tem sido um mar de rosas no que diz respeito ao nosso desempenho como equipe com o carro e tudo mais, mas espero que sim. Naturalmente, houve muito aprendizado ao longo dessas primeiras 11, 12, 13 corridas ou o que quer que tenhamos, então espero que vejamos isso avançando”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo