Esportes

Norris ficou “deprimido a maior parte do tempo” na temporada de estreia na F1

Lando Norris, da McLaren, falou francamente sobre saúde mental na segunda-feira e admitiu que costumava se sentir deprimido no início de sua carreira na Fórmula 1, quando questionava se era bom o suficiente.

Norris era o piloto britânico mais jovem na história da Fórmula 1 quando estreou com 19 anos em 2019, mas, agora com 21, tornou-se um favorito dos fãs e também um grande talento nas pistas.

Ele subiu ao pódio quatro vezes nesta temporada, quase conquistando sua primeira vitória no Grande Prêmio da Rússia no mês passado, depois de largar da pole position, e é o quarto da geral.

O jovem disse ao programa This Morning da TV ITV, no entanto, que no início foi difícil lidar com a pressão.

“Chegando à Fórmula 1 aos 19 anos, há muitos olhos em você. Portanto, lidar com todo esse tipo de coisas me afetou muito”, disse ele.

“Sentindo que não sei o que vem a seguir, se isso der errado, se eu não sair na próxima sessão e me apresentar, o que vai acontecer, qual é o resultado de tudo isso? Fórmula 1 no próximo ano?

“Se não for, o que vou fazer? Porque não sou muito bom em muitas outras coisas na vida.

“Então, apenas tudo isso, e depois apenas me sentindo deprimido muitas vezes que, se eu tiver um fim de semana ruim, eu simplesmente penso, não sou bom o suficiente e coisas assim.”

Norris disse que as redes sociais aumentaram a pressão, mas trabalhar com a equipe e a organização de saúde mental Mind, em parceria com a McLaren, o ajudou.

“Estou em um lugar muito melhor agora. Estou muito mais feliz e posso aproveitar tudo o que faço”, disse o britânico, cujo companheiro de equipe é o australiano Daniel Ricciardo.

A Fórmula 1 estará correndo na Turquia no domingo, que também é o Dia Mundial da Saúde Mental.

Norris, que desenhou uma camiseta para a Mind, disse que percebeu nos últimos três anos o quanto poderia influenciar os outros por meio de sua posição.

“A única coisa que me deixa feliz é ver outras pessoas sorrirem e fazê-las felizes … Eu meio que percebo que quanto mais posso fazer isso, mais feliz fico e melhor”, disse ele.

Fonte: Reuters


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo