Esportes

Sainz elogia a recuperação em Istambul como “uma das minhas corridas mais divertidas”

De 19° a 8º na bandeirada foi uma das corridas mais divertidas da carreira de Carlos Sainz, mas ele sente que poderia ter estado entre os cinco primeiros na Turquia se não fosse por um lento pit stop.

Sainz largou da retaguarda da grelha em Istambul como resultado de ter excedido os componentes da unidade de potência, mas ganhou uma posição antes do início, graças a Daniel Ricciardo a cumprir a mesma penalidade. O espanhol fez uma série de ultrapassagens em seu caminho para os pontos, passando carros regularmente na Curva 12 enquanto subia rapidamente pelo campo.

“Foi muito agradável para ser honesto, provavelmente uma das minhas corridas mais divertidas como piloto de corrida”, disse Sainz. “Quando se tem o ritmo que tenho hoje e uma pista que te permite ultrapassar – especialmente quando está molhado – foi um prazer. Eu poderia forçar muito, obviamente uma pena sobre o pit stop que só nós temos a possibilidade de terminar entre os cinco primeiros hoje, mas é o que é. Parabéns à equipe porque o carro de hoje foi muito bom de pilotar”.

Aquele pit stop de 8,1 segundos não foi o único momento preocupante para Sainz, que escorregou para Sebastian Vettel em um estágio do que foi sua ultrapassagem menos limpa do dia.

“Tínhamos um ritmo muito forte no molhado e depois como a pista estava a secar estávamos a acompanhar as condições muito bem. Houve muitas ultrapassagens, fiz todas as ultrapassagens na pista – não tive sorte em nenhum momento, tive de enviá-la algumas vezes!”.

“Com Seb foi complicado, eu já pedi desculpas a ele porque estava um pouco otimista demais. Mas esses motores Mercedes são um pouco difíceis de ultrapassar, então ou você tenta frear ou não consegue ultrapassá-los. Eu queria continuar a recuperação e não queria ficar preso, e funcionou”.

Essa abordagem ofensiva foi algo que Sainz diz ter tido liberdade para assumir devido à sua posição inicial, e o desempenho é um bom presságio para o resto da temporada da Ferrari.

“Eu tinha que estar [atacando]. Acho que começar pelas costas tem que ser agressivo e hoje foi o dia de tentar arriscar um pouco mais e deu certo. Um por um, eu poderia passar para a Curva 12, eu poderia fazer meus movimentos, mantê-los fixos, mostrar meu ritmo durante toda a corrida. Uma pena aquele pit stop lento que provavelmente nos custou a chance de lutar um pouco mais à frente, mas não é um dia para lamentar”.

“Acho que fomos muito bem como equipe, fomos muito fortes o tempo todo na pista e mostramos que poderíamos ter lutado no topo. Mas estou feliz por ter cumprido o pênalti e seguir em frente”.

“Está parecendo bom. Agora posso me concentrar apenas no desempenho nas últimas seis corridas e estou feliz por ter aproveitado e aproveitado ao máximo”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo