News

Programa ambiental para caatinga a partir de outubro em 2021

Compartilhar

A caatinga é o único bioma cem por cento brasileiro, ou seja, não é encontrado em nenhuma outra parte do planeta. Para reforçar a proteção desse ecossistema, o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, anunciou, na quarta-feira dia 6/10/21, a criação de uma nova etapa do programa Adote um Parque, voltada exclusivamente à caatinga. O Parque Nacional Furna Feia, que fica entre Mossoró e Baraúna, no Rio Grande do Norte, fará parte da iniciativa. Mais de cem mudas de espécies nativas serão plantadas no local. 

A proposta contará com investimentos privados para revitalização de áreas em parques nacionais da caatinga e estimular a participação da comunidade na agenda ambiental. O anúncio do projeto foi feito durante visita do ministro à sede do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em Furna Feia, no oeste potiguar.

“Nada melhor do que trazer o [investimento] privado para ajudar nessa melhoria e trazer a população para ter contato com os parques”, disse o ministro. “[Estamos] atuando para proteger a natureza com ação bem clara e com recursos internacionais”, acrescentou. 

O recurso para restauração da vegetação nativa terá o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Segundo o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO), associação civil sem fins lucrativos, 32 milhões de dólares financiados pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF) serão investidos em biomas no Brasil, entre eles o da caatinga. 

Com 8,4 hectares de área, Furna Feia é considerado o primeiro parque nacional de RN e possui a maior parte do bioma protegida no estado. A unidade de conservação possui, além de mais de cem espécies de plantas e aves catalogadas, cerca de duzentas cavernas. 

Economia local

O município de Baraúna, onde está localizado mais da metade do parque de Furna Feia, vive, sobretudo, da agricultura. Com o turismo ecológico, a expectativa é que a região tenha mais uma fonte de renda. “É mais uma ação importante para geração do que chamo de ‘empregos verdes’”, disse. 

Os “empregos verdes” são aqueles que produzem ou prestam serviços que ajudam a reduzir emissões de carbono na atmosfera e que preservam o meio ambiente. 

Floresta + Agro

Com previsão de ser lançado ainda em outubro, o programa Floresta + Agro também foi mencionado pelo ministro do Meio Ambiente durante a vista ao RN. A ideia é incentivar a sustentabilidade da produção do “agro”. “Estamos olhando para a produção de frutas, mostrando que quando você compra uma fruta, você está protegendo [a natureza]”, comentou. 

Fonte: www.mma.gov.br

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Danilo Sacramento

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »