Esportes

Alonso diz que a estrela da IndyCar Colton Herta seria “uma boa escolha para a Fórmula 1”

Compartilhar

Fernando Alonso é um dos poucos pilotos ativos no mundo a competir na IndyCar e na Fórmula 1, e o bicampeão avalia que Colton Herta, o astro das corridas da IndyCar, de 21 anos, tem o material certo para vencer na F1 se o oportunidade certa se apresentar.

Alonso tentou a corrida da Indy 500 três vezes como parte de sua busca para alcançar a tríplice coroa do automobilismo, vencendo o Campeonato Mundial de Fórmula 1, a corrida 24 horas de Le Mans e a Indy 500 – uma façanha alcançada apenas pelo campeão de F1 de 1962 e 1968 Graham Hill, com a Indy 500 sendo a única parte agora escapando de Alonso.

Mas tendo visto as habilidades do piloto americano Herta de perto, Alonso avalia que o piloto da Andretti Autosport – o piloto mais jovem a vencer uma corrida na IndyCar – tem tudo para ter sucesso na F1.

“Acho que ele é um piloto muito bom, muito talentoso, muito jovem – acho que ele é o mais jovem vencedor da IndyCar, e acho que ele tem uma organização muito boa com Andretti”, disse Alonso, falando no Circuito das Américas de Austin à frente do Grande Prêmio dos Estados Unidos.

“Ele seria uma boa escolha para a Fórmula 1, com certeza”, acrescentou Alonso, “mas cada um de nós tem um plano diferente em sua carreira e não sei o que Colton tem em sua cabeça no momento, porque tenho certeza que ele está feliz com a IndyCar, assim como Alex Palou, que ganhou o campeonato este ano e ele está realmente comprometido com as corridas dos EUA e gosta de correr aqui nos Estados Unidos”.

GettyImages-1235526716.jpg
Alonso dá muito valor a Herta, mas diz que o americano precisaria de tempo para se adaptar à F1

Questionado, entretanto, se achava que os pilotos americanos eram subestimados em comparação com seus colegas europeus, Alonso respondeu: “Não, acho que não. Acho que todos respeitamos muito, ou eu respeito muito todos os pilotos em todas as categorias”.

“Acho que eles são os melhores no negócio, na disciplina, nas técnicas de estilo de direção que são diferentes em cada uma das categorias”.

“Talvez o mais extremo seja provavelmente o Dakar, ou o rally, onde acho que os especialistas são quase imbatíveis”, acrescentou Alonso, que competiu no Rally Dakar 2020. “De onde quer que você venha e qualquer disciplina que tenha conquistado no passado, você nunca vai vencê-los no ritmo puro:.

GettyImages-1193884968.jpg
Alonso considera que os especialistas do Dakar são os pilotos mais difíceis de vencer no seu próprio território

“E eu acho que na IndyCar é a mesma coisa. Eles são os melhores em um circuito IndyCar e em uma máquina IndyCar, e se eles entrarem na Fórmula 1, eles precisam da adaptação normal de que precisamos se formos para uma máquina IndyCar. Então eu acho que não é diferente, todos nós temos o mesmo nível, que é o nível mais alto de cada categoria”.

O ex-companheiro de equipe de Alonso na Renault, Romain Grosjean, está competindo atualmente na IndyCar, tendo encerrado sua carreira na Fórmula 1 em 2020 – enquanto o atual piloto reserva da Aston Martin, Nico Hulkenberg, está pronto para testar com a Arrow McLaren SP em 25 de outubro no Barber Motorsports Park.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo