Esportes

Bottas lamenta tarde complicada na Cidade do México

Compartilhar

O trabalho árduo de Valtteri Bottas para conseguir a cintilante pole position no sábado no Autódromo Hermanos Rodriguez foi desfeito depois de apenas uma curva no Grande Prêmio da Cidade do México, quando ele foi tocado por Daniel Ricciardo, com Bottas então forçado a passar a maior parte do a corrida atrás da asa traseira do australiano, quando ele voltou para casa com um péssimo P15.

Bottas parecia ter feito uma fuga decente da pole position, mas foi ultrapassado por Max Verstappen da Red Bull, que da terceira posição do grid passou na Curva 1 e em uma liderança que ele seguraria até a bandeira quadriculada, para reivindicar sua terceira vitória no México.

Atrás, porém, Bottas foi marcado por Ricciardo, que freava tarde, e o giro do finlandês causou uma confusão que levou Yuki Tsunoda e Mick Schumacher a se retirarem.

Após os pit stops imediatos de Ricciardo e Bottas, o piloto da Mercedes passou grande parte do resto da corrida encurralado atrás de seu agressor, atrás de Ricciardo na maior parte do Grande Prêmio, uma situação que deixou Bottas frustrado no final da corrida.

“Muito, muito complicado”, considerou Bottas após a corrida. “Para mim, obviamente, bastante comprometido com o incidente da primeira curva e depois fiquei preso atrás de carros que não consegui ultrapassar. Foi muito complicado e também estava bastante limitado com as temperaturas do motor e dos travões, por isso não consegui fazer muitas voltas seguidas. Então eu tive que voltar e avançar e não consegui encontrar uma maneira de progredir”.

1351894950
A corrida de Bottas foi efetivamente encerrada após seu giro na primeira volta

Pressionado por que ele não conseguiu encontrar uma maneira de superar a McLaren de seu antigo rival da Fórmula Renault 2.0, Ricciardo, entretanto, Bottas respondeu: “Foi complicado. [McLaren] tem a mesma unidade de força, eles têm boa velocidade em linha reta. Ele estava se defendendo bem e eu simplesmente não conseguia encontrar um jeito”.

Mais frustração viria para Bottas também, com o segundo pit stop do finlandês da tarde levando a Mercedes 11,7s – enquanto o Bottas seria então parado mais duas vezes por causa de pneus macios nos estágios finais da corrida, enquanto a Mercedes tentava roubar o ponto da volta mais rápida de Verstappen.

E enquanto Bottas eventualmente conquistou a volta mais rápida, a conquista não foi suficiente para iluminar seu humor, já que ele voltava para casa em 15º – com o fato de ter terminado fora do top 10, o que significa que Bottas não conseguiu reivindicar o ponto da volta mais rápida para si mesmo.

“Pelo menos um ponto [que tirei de Verstappen], já é alguma coisa”, disse Bottas. “Obviamente, muito menos do que o que eu almejei hoje. Não é meu dia de sorte”.

O companheiro de equipe de Bottas, Lewis Hamilton, acabaria terminando no P2 para Verstappen, com Sergio Perez conquistando o terceiro lugar na frente de seus fãs, o que significa que a Red Bull ficou a um ponto da Mercedes na classificação de construtores, com quatro corridas para o fim.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »