Esportes

Hamilton diz que “deu absolutamente tudo”, mas incapaz de explicar a perda de ritmo no México

Compartilhar

Foi um caso de emoções confusas para Lewis Hamilton depois de terminar em segundo no Grande Prêmio da Cidade do México, o piloto da Mercedes fazendo um bom trabalho para segurar o mais rápido Sergio Perez nos estágios finais, mas sem saber explicar por que os Silver Arrows não conseguiram desafiar seu rival pelo título, Max Verstappen, pela vitória.

Mercedes teve um bloqueio na primeira linha na qualificação e Hamilton fez uma fuga impressionante, tão boa que estava lado a lado com seu companheiro de equipe e pole position Valtteri Bottas indo para a primeira curva. No entanto, Verstappen foi rebocado por Bottas, deslocou-se para o exterior e conseguiu travar mais tarde e passar os dois para a liderança.

“Eu tinha imaginado isso de forma diferente naturalmente, no sentido de que Valtteri talvez tenha começado melhor e eu teria tentado pegá-lo, mas obviamente estava ao lado dele, o que foi bom”.

“Eu estava cobrindo o meu lado da pista, certificando-me de que ninguém poderia subir por dentro, então estava tentando manter qualquer Red Bull que eu pudesse ver no meu espelho para trás”, disse ele. “Achei que Valtteri faria o mesmo, mas ele deixou a porta aberta para Max. Max estava na linha de corrida, então fez um mega trabalho de frenagem para a Curva 1 e eu estava por dentro na terra e não havia esperança para mim”.

A partir daí, Hamilton foi incapaz de desafiar Verstappen e então ficou sob pressão de Perez, com pneus mais frescos tendo parado mais tarde, mas fez seu carro largo o suficiente para segurar a segunda posição e minimizar os danos a 19 pontos de seu rival Red Bull no campeonato.

“O carro deles foi muito superior neste fim de semana e não havia nada que pudéssemos fazer a respeito”, disse Hamilton. “Dei absolutamente tudo e até obviamente uma grande luta com o Sergio no final, mas estou muito grato por ter conseguido pelo menos um segundo”.

“Sinto-me positivo no sentido de que fiz uma boa corrida. Fiz isso com o carro que tinha e o carro não estava bom hoje”.

“Quando você tem Sergio atrás de você empurrando você assim, você sabe que o carro é rápido, então você sabe, estou feliz por ter conseguido manter pelo menos aqueles dois separados em termos de conseguir um ou dois para a equipe e nós queremos continuar lutando”.

Ele acrescentou: “Eles tiveram o carro mais rápido a maior parte do ano, então não é uma surpresa. Eu gostaria que fôssemos mais rápidos neste fim de semana, mas hoje estávamos muito longe, então eu realmente não entendo isso, mas vamos voltar à prancheta e tentar voltar na próxima semana mais fortes”.

A F1 agora segue direto para o Brasil, com Hamilton incerto sobre o quão forte a Red Bull – que agora está apenas um ponto atrás da Mercedes no campeonato de construtores – estará em Interlagos, que é a segunda corrida mais alta acima do nível do mar.

“Ainda faltam quatro corridas, 19 pontos são muitos pontos e essa é sua nona vitória [do ano], então ele [Verstappen] teve muitas vitórias este ano”, disse ele. “Com sua velocidade superior [no México], se eles fossem carregá-los para os próximos, então podemos ter problemas, ou teremos problemas, mas não sei se eles usarão aquela asa enorme que eles teve hoje, mas naturalmente descobriremos quando chegarmos lá. Mas espero que estejamos mais perto”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo