News

Polícia Federal desarticula grupo criminoso responsável pelo extravio de encomendas dos Correios

Compartilhar

PF deflagra segunda fase da Operação Extravios para investigar esquema criminoso que provocou prejuízos de mais de R$ 500 mil aos Correios.

 A Polícia Federal deflagrou quinta (11/11) a Operação Extravios II (segunda fase), visando desarticular uma associação criminosa envolvida no extravio de encomendas dos Correios. Aproximadamente 30 policiais federais deram cumprimento, no Distrito Federal, em Goiânia/GO e em Aparecida de Goiânia/GO, a três mandados de prisão preventiva e seis mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela 4ª Vara Federal SJ/TO.

Esta nova operação é um desdobramento da Operação Extravios, que foi deflagrada pela Polícia Federal no dia 10/12/2020, ocasião em que foram presos alguns integrantes do grupo criminoso. Inicialmente, a investigação – que contou com o apoio da área de segurança corporativa dos Correios – teve início após a informação de que diversas encomendas transportadas por uma empresa terceirizada dos Correios estavam sendo subtraídas e não chegavam ao seu destinatário final.

Durante as investigações, apurou-se que os extravios ocorriam no trajeto entre as cidades de Brasília/DF e Palmas/TO, havendo fortes indícios do envolvimento de alguns motoristas da empresa terceirizada no esquema criminoso. Após a deflagração da primeira fase da operação (EXTRAVIOS I – Dezembro de 2020), comprovou-se que os motoristas da transportadora, durante os percursos dos transportes, permitiam o acesso de outros integrantes do grupo criminoso aos compartimentos de cargas dos caminhões, para que realizassem as execuções das subtrações dos objetos postais.

Apurou-se ainda que os executores realizavam a abertura dos lacres de segurança dos Correios. Eles adotaram um método fraudulento que possibilitava que os dispositivos de segurança fossem abertos sem violações, preservando-se a sua integralidade. Desta forma, após a abertura dos compartimentos de cargas dos caminhões, os criminosos realizavam a subtração dos objetos postais e reaproveitavam na mesma viagem os lacres de segurança dos Correios que foram abertos indevidamente. Em consequência disso, os Correios não podiam alegar que os compartimentos de cargas dos caminhões teriam sido abertos em momento indevido, isentando os motoristas da transportadora de responsabilidade.  

As ações da organização criminosa geraram enorme prejuízo à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, vez que esta fica obrigada a indenizar os remetentes das encomendas. Os Correios informaram que em apenas uma das linhas, referente ao percurso de Brasília/DF para Belo Horizonte/MG, no período de 01/01 e 30/11/2020, o prejuízo apurado gira em torno de R$ 477 mil.

Esta nova fase da operação – Extravios II – é destinada a realizar a prisão dos principais integrantes do grupo criminoso, responsáveis por cooptar os motoristas da empresa transportadora, por executar as subtrações e por realizar a comercialização ilegal dos objetos subtraídos.

Os investigados devem responder, na medida de suas participações, pelos crimes de peculato, furto e associação criminosa.

Destaca-se que em razão da Pandemia causada pela COVID-19, foi adotada logística especial de prevenção ao contágio, com distribuição de EPI’s a todos os envolvidos, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas e investigados.

Fonte: Comunicação Social da Polícia Federal no Tocantins


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo