Esportes

Verstappen dá sua opinião sobre sua defesa na volta 48 contra Hamilton 

Compartilhar

Max Verstappen não gosta de terminar em segundo, mas depois de uma defesa ferrenha, ele admitiu que nada mais poderia fazer para impedir que um sensacional Lewis Hamilton alcançasse a vitória no Grande Prêmio de São Paulo – e deu sua opinião sobre o momento controverso em que lutou com o homem da Mercedes na volta 48.

Verstappen passou para a frente no início e parecia em boa forma quando Sergio Perez passou à frente de Valtteri Bottas. Mas atrás dele, o rival do título, Hamilton, estava voando, abrindo caminho pelo campo e logo estava na caixa de câmbio do piloto da Red Bull.

Ele defendeu fortemente de Hamilton em várias ocasiões, incluindo quando os dois correram para a curva 4 e ao longo da reta anterior, mas acabou sucumbindo à pressão.

“Tentamos tudo o que podíamos”, disse ele. “Acho que foi uma boa batalha, mas no final perdemos um pouco o ritmo, mas demos tudo hoje e foi muito divertido. Tivemos uma boa partida, que foi importante para chegar à frente [do Bottas] e a partir daí estava a tentar controlar o meu ritmo e depois o Safety car e depois o VSC para os destroços”.

E o que dizer daquele momento polêmico na volta 48, quando os dois pilotos saíram da pista na curva 4 enquanto Verstappen mantinha a liderança?  Os comissários decidiram que nenhuma investigação era necessária, mas o que Verstappen achou disso?

“Em um ponto Lewis estava atrás de mim, eu pude ver que havia muito ritmo. Já era muito difícil igualar isso. Fizemos todas as ligações certas ao tentar cobrir. Não há muito a dizer sobre isso. Fomos um pouco lentos”.

“Quer dizer, nós dois tentamos estar à frente na curva, então eu freiei um pouco tarde para conseguir essa posição. Eu estava no limite da aderência. É por isso que acho que já estava no ápice e é uma maneira mais segura de correr um pouco largo lá. De certa forma, fiquei feliz que os administradores decidiram que podíamos continuar correndo. Pude ver que a corrida em geral foi muito boa hoje”.

“Neste fim de semana eles foram rápidos nas retas”, acrescentou. “Não é o ideal quando eles passam por você e isso é tudo que você pode fazer. Claro que gosto de vencer. O segundo hoje, com a defesa que fiz, também é satisfatório. Você pode ver que um fim de semana é bom para você, o outro é bom para eles. Esperançosamente assim pelo resto da temporada”.

Hamilton reduz o déficit para Verstappen para 14 pontos com três corridas – e um máximo de 77 restantes na mesa. “Tem sido assim o ano todo”, disse ele. “Muitas coisas ainda podem acontecer”.

O companheiro de equipe de Verstappen, Perez, tentou corajosamente manter Hamilton para trás o máximo que pôde, antes de cair para o terceiro lugar e depois perder essa posição para Bottas, que se beneficiou de parar sob o Virtual Safety Car para enfraquecer o mexicano.

“Era importante tentar mantê-lo lá, caso contrário ele pressionaria Max imediatamente”, disse Perez. “Foi impressionante a velocidade em linha reta que eles [Mercedes] têm”.

“Na maior parte do tempo, eu olhava no meu espelho, ele estava tão longe, aí eu olho para o final da reta e ele estava bem ao meu lado. Ele [Hamilton] estava apenas em outro planeta hoje”.

Ele acrescentou: “Tivemos muita azar com o VSC, infelizmente isso doeu e ajudou a Mercedes a diminuir com o Bottas. Fizemos o melhor que podíamos hoje. É uma pena, devíamos ter terminado antes do Bottas”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo