Esportes

“Continuaremos tentando”, promete Raikkonen enquanto busca pontos nas últimas três corridas de sua carreira na F1

Compartilhar

Kimi Raikkonen admite que será mais fácil aproveitar as três últimas corridas de sua carreira na Fórmula 1 se seu carro for tão competitivo como foi no domingo em Interlagos, após uma reviravolta que ficou um pouco abaixo dos pontos.

Depois de um Sprint difícil que foi comprometido pelo contato com o companheiro de equipe Antonio Giovinazzi, Raikkonen começou o Grande Prêmio de São Paulo nos boxes, enquanto a Alfa Romeo optou por mudar sua asa traseira para ter uma melhor chance de ultrapassagem. Apesar do contato com Mick Schumacher no início, Raikkonen subiu para a 12ª posição e estava a sete segundos dos pontos quando a bandeira quadriculada caiu.

“Não sei [se tive danos], mas não acho nada importante”, disse Raikkonen. “Fui atingido mais na asa dianteira, por um dos Williams nas primeiras voltas, mas com certeza o carro estava, digamos, muito melhor do que em qualquer outro momento do fim de semana, porque mudamos um pouco e tínhamos para começar a partir do pit lane por causa disso. Ainda ficamos um pouco aquém, mas pelo menos foi melhor do que [o Sprint]”.

“Mudámos um pouco o carro, senti que era a única forma de fazer algum progresso. era um carro melhor e podíamos correr, mas não ganhamos pontos com ele. Mas continuaremos tentando”.

1353258689
Raikkonen teve a sorte de sair relativamente ileso após uma batida com Schumacher

“Com certeza isso foi o melhor que pudemos fazer, foi uma decisão acertada mudar o carro e partir do pit lane. Com certeza o carro estava muito mais parecido com o que deveria estar em primeiro lugar, mas pelo menos pudemos correr e realmente seguir as pessoas, em comparação com [sábado]. Poderíamos seguir as pessoas no último setor e até ultrapassá-las, mas precisamos dos pontos para o campeonato e não os conquistamos”

O benefício de fazer a mudança na afinação do carro de Raikkonen foi mostrado ainda mais claramente quando comparado com a corrida de Giovinazzi, já que o italiano não conseguiu encontrar uma maneira de ultrapassar a Williams de George Russell.

“A primeira parte da corrida não foi tão ruim e depois do primeiro pit stop eu estava no trânsito com Russell e [Lance] Stroll”, disse Giovinazzi. “Depois paramos de novo e eu estava no trânsito com o Russell, então foi difícil de ultrapassar e a corrida ficou comprometida”.

“Nunca estive no ar livre, infelizmente, mas precisamos ver o que eles pensam, mas agora não sei. Eu estava no carro, então, quando me chamaram, precisei parar, então precisamos entender um pouco mais”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »