Esportes

Comissários da F1 avaliarão o pedido de revisão da Mercedes

Compartilhar

Os comissários da Fórmula 1 ouvirão os representantes da Mercedes na quinta-feira para decidir se aceitam um pedido de revisão do incidente do Grande Prêmio de São Paulo entre os candidatos ao título Lewis Hamilton e Max Verstappen.

A equipe Red Bull de Verstappen também foi convidada a participar da audição de vídeo.

A Mercedes pediu uma revisão na terça-feira, alegando que novas evidências significativas surgiram desde a corrida de domingo passado em Interlagos.

O líder do campeonato, Verstappen, pareceu forçar o heptacampeão mundial da Mercedes, Hamilton, a sair da pista enquanto lutavam pela liderança.

Os comissários anotaram o incidente na volta 48 durante a corrida, mas concluíram, com base nas evidências que possuíam, que nenhuma investigação era necessária.

Hamilton finalmente passou Verstappen 11 voltas depois e venceu a corrida, mas o chefe da equipe da Mercedes, Toto Wolff, sentiu que o holandês deveria ter recebido pelo menos uma penalidade de cinco segundos.https://bde37efcec6a4ee806bbedb36859ac09.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Os administradores disseram em um comunicado na quarta-feira que a audiência determinaria se o direito de revisão existia neste caso.

O gerente da equipe Mercedes e até três testemunhas foram obrigados a comparecer à videoconferência às 17h, horário local (1400GMT), antes do Grande Prêmio do Qatar neste fim de semana.https://bde37efcec6a4ee806bbedb36859ac09.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Damon Hill, o campeão mundial de 1996, disse à televisão Sky Sports que Verstappen usou “cada pedacinho de estrada que pôde” para manter Hamilton para trás.

“Na altura pensei que era um penalty, mas penso que a outra forma de ver as coisas é que deixas as coisas correrem o seu curso.

“Estamos presos entre o desejo de permitir que os pilotos gerenciem suas próprias corridas e a interrupção desse fluxo com restrições como penalidades.

“Não foi perigoso o que aconteceu, foi uma defesa excessiva da sua posição”, acrescentou o britânico.

Lando Norris, da McLaren, e Carlos Sainz, da Ferrari, que estavam jogando golfe juntos em Doha na quarta-feira, disseram que o assunto será discutido no próximo briefing dos pilotos.

Fonte: Reuters


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo