Esportes

Hamilton diz que as regras de corrida da F1 não são claras depois do Brasil

Compartilhar

Lewis Hamilton disse que as regras de corrida da Fórmula 1 não eram claras depois que o líder do campeonato da Red Bull, Max Verstappen, ficou impune por expulsá-lo defensivamente das pistas no Brasil no fim de semana passado.

O heptacampeão mundial disse que uma longa reunião de pilotos com o diretor de corrida Michael Masi no Grande Prêmio do Qatar não deu nenhum esclarecimento sobre as ultrapassagens e o que seria visto como ‘corrida dura e justa’ e o que seria penalizado.

“Não. Não está claro. Acho que todos os pilotos, exceto Max, estavam perguntando sobre isso apenas para maior clareza. Mas não estava muito claro”, disse Hamilton a repórteres.

“Ainda não está claro quais são os limites da pista. É claro que não é mais a linha branca, na hora da ultrapassagem. Então, vamos em frente”.

“Só pedimos consistência. Portanto, se for igual à última corrida, deve ser igual para todos nós nesses cenários”.

Hamilton, que teve de correr completamente fora da pista em Interlagos enquanto Verstappen se defendia de uma ultrapassagem freando tarde e também largando, disse não haver garantia de consistência.

“Não está claro. Poderia ser diferente com comissários diferentes, é o que eles disseram”, acrescentou.

Verstappen, que lidera Hamilton por 14 pontos, disse que a situação estava “bastante clara” e sentiu que não havia necessidade de discutir detalhes na mídia.

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse à televisão Sky Sports que a ação dos comissários contra a agressiva defesa de Verstappen em São Paulo pode ter repercussões.

A Mercedes tentou forçar uma revisão da decisão dos comissários de não penalizar Verstappen, mas foi negada com base em que as novas evidências de vídeo não eram significativas. 

“Na minha opinião, o que diz é que você pode simplesmente se lançar em uma curva e arrastar o outro carro para fora da linha. E isso obviamente pode levar a uma direção mais suja no futuro”, disse Wolff.

“Não queremos ter uma situação complicada amanhã, na Arábia Saudita e em Abu Dhabi, porque isso seria muito ruim”.

Fonte: Reuters


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo