Arte

Sarabande – A música que lhe toca!

Compartilhar

Da série Sarabande – a música que lhe toca

Chaim Witz – Um dos maiores contrabaixistas do metal rock do mundo! Você conhece?

Chaim Witz (em hebraico: חיים ויץ) nasceu em Tirat Carmel (טִירַת כַּרְמֶל), cidade do distrito de Haifa, Israel, em 25 de agosto de 1949.

Depoimento em vídeo ao final.

O menino prodígio é filho único de Flora Klein (21/9/1925, Jánd, Hungary – 3/12/2018, New York, USA – 93 anos), sobrevivente dos campos de concentração.

Aos oito anos e meio veio com a mãe para os Estados Unidos, mais especificamente morando em Queens, Nova Iorque.

Em suas correspondências, podemos ver imagens de sua infância com a mãe judia, amiguinhos e primos, desde os campos de concentração.

Por ser judeu, falando hebraico desde o berço, foi obrigado falar inglês, e o fez por meio de revistas em quadrinhos. Seu nome foi alterado para Eugene Klein.

Flora and Chaim Witz (Eugene Klein)

Graduou-se na State University (NYSU) e na City University (CUNY) e se formou em Educação. Lecionou na sexta série no Harlem Espanhol em Nova York, onde se tornou assistente do diretor do Conselho Interagências porto-riquenho, um projeto de pesquisa e demonstração financiado pelo governo. Também trabalhou na Glamour e depois na Vogue, como assistente da editora, Kate Lloyd.

Ele passou a falar outros idiomas, além do inglês e hebraico: húngaro, alemão e, segundo nos informa, está melhorando em japonês a cada dia.

Eugene Klein decidiu jamais abusar do álcool ou sequer ser usuário de drogas (contraponto de seu tempo). Ele colocou a figura materna como limitador de seu cérebro, e decidiu não causar mais sofrimento do que ela já havia suportado no holocausto.

Cumpriu o que prometeu, sendo responsável pelas alegrias, prosperidade e paz, na longevidade de sua mãe, que partiu aos 93 anos.

Ele confessa que sua dependência química sempre foi mulheres e música, insaciável, e seu vício era usar a polaroid para registrar fotos (com revelação instantânea) das garotas que ficavam com ele pelas estradas da vida; obviamente faziam fila, principalmente pelo sucesso da banda que logo explodiu. Mulherengo, réu-confesso, diz que ficou apenas com as fotos de umas três ou quatro mil que permitiram.

Apesar dessa loucura – ele escolheu esse vício – namorou as cantoras Cher e Diana Ross, e casou-se com Shannon Tweed, depois de viverem juntos por mais de 23 anos – o que ele chama de delícias do “não-casamento”.

Seu protótipo macabro não passava de caricatura artística. Decidiu trocar a guitarra por contrabaixo, por causa da multidão de guitarristas já existentes em sua época; aprendeu praticamente sozinho, e o fez  emplacando o modelo de machado (quem sabe um dia tenhamos um autografado?).

Fundou uma banda de hard rock, que recebeu 28 discos de ouro, e foi eleito o 50° melhor baixista de metal rock de todos os tempos pela equipe da Loudwire, e o 29° melhor vocalista de heavy metal e hard rock de todos os tempos pela revista Hit Parader.

Tornou-se um dos melhores instrumentistas e artistas de sua época e meio, e um dos personagens mais caricatos e mal compreendidos da História. Criou hits e riffs mundialmente famosos, e uma miríade de fãs e alunos pelo mundo todo.

Formou uma banda, que degustou Terra Brasilis, inaugurando o Rock’n Rio, 1985.

Em 2003 participou de concerto e show com a Orquestra Sinfônica de Melbourne, Austrália.

Sua escola de música prossegue a todo vapor, apesar da pandemia.

Sem as botas de plataformas absurdas, roupas, cabelos e posturas propositalmente bizarras (como que superando sua própria história torturante e sobrevivência do extermínio), ele afirma que ama o Brasil.

Chaim Weitz (ou Eugene Klein) repete o coro dos mestres: não precisamos tocar profissionalmente, mas, sim, tocar com o mesmo empenho de um profissional!

Um professor de canto não é um instrumentista, mas não deixa de ser músico, um hinólogo, idem; um fabricante dos instrumentos de Paganini (o “demônio” do violino que causava inveja no próprio Mozart), também!

Seja na luthieria ou banda marcial, no palco ou altar, nas neumas ou pentagrama, na bandura ucraniana ou derbake madrepérola egípcio, no gregoriano ou dórico, nos highlanders celtas, prados andinos, rancho gaúcho ou sertão nordestino, ser tão especial na sina, sinagoga ou folklore, decore o que desponta, instrumental ou garganta (que é o definido como melhor, em Hb.13:15), desde que seja excelente!

É então que vemos o valor da obra de alguém, se é palha ou pedra preciosa, o quanto suporta o fogo: o tempo é o juiz.

Não existe música feia; existe ruído, sem as digitais do Design inteligente do Criador.

O belo não depende de moda; simplesmente permanece!

– Dan Berg

O belo não depende de credo, raça, profissão, poder aquisitivo ou lugar do mundo. Arte é arte!

Sarabande tem o prazer de apresentar:

Gene Simmons!

Gene teve dois filhos com sua esposa Shannon Tweed: Nick Tweed-Simmons (22/01/1989) e Sophie Tweed-Simmons.

Shannon Tweed

Em agosto de 2006 estreou seu reality show “Gene Simmons: Family Jewels” no canal A&E, e devido ao seu sucesso, teve uma segunda temporada onde entre muitas coisas mostra a cirurgia plástica a que se submeteu.

Em 2009 promoveu um leilão beneficente para uma instituição onde o produto que foi arrematado por quinze mil dólares era uma pedra retirada cirurgicamente de um de seus rins.

Nessa Sarabande, não importa a música que você toca, mas a música que “toca você”, cada uma delas.

Como Gene Simmons diz: “I wanna rock and roll all night and party every day!”.

Feliz ouvido, língua, mãos, cérebro, dia e era do músico!

Site oficial de sua escola – Gene Simmons MasterClass: https://www.genesimmonsaxe.com/

Um presente especial – depoimento de Gene Simmons, sobre como sua mãe o salvou:

Fonte: GeneSimmons.com [kissonline – official website | Gene Simmons and KISS | Hit Parader  | https:// + archive.md/20120906204718/http://www.genesimmons.com/bio2.html#selection-397.0-397.21 | Loudwire, Townsquare Media, Inc. | Loudwire: os 50 maiores baixistas de todos os tempos – Por Fernando Portelada, em 23/09/2015 | Hit Parader: Os maiores vocais do Heavy Metal segundo a revista (whiplash.net/materias/melhores/050499-ledzeppelin.html)

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Dan Berg

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo