News

Brasil aumenta capacidade de enriquecimento de urânio

Compartilhar

Inaugurada 9ª cascata da Usina de Enriquecimento de Urânio ampliando capacidade para atender produção de energia de Angra 1.

AIndústrias Nucleares do Brasil (INB), órgão vinculado ao Governo Federal, inaugurou nessa sexta-feira (26/11) a 9ª cascata de ultracentrífugas da Usina de Enriquecimento Isotópico de Urânio, na Fábrica de Combustível Nuclear (FCN), em Resende (RJ). Com o início de operação da cascata, será possível produzir 65% da demanda de recargas anuais da usina de Angra 1, um aumento de 5% em relação à capacidade atual.

A solenidade de inauguração contou com a presença do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, que destacou o desenvolvimento do Programa Nuclear Brasileiro para ampliar e diversificar a matriz energética do país, considerada uma das mais limpas do mundo. Segundo ele, um exemplo apresentado a vários países durante a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP26), em Glasgow, Escócia.

O ministro ressaltou ainda a importância dos investimentos para ampliar essa diversificação e enfrentar, por exemplo, situações como a recente falta de chuvas no país. “Superamos a maior crise hidrológica que o país já vivenciou. Superamos porque temos competência, sabemos estabelecer a correta governança e também estamos dando continuidade a todos esses programas. Se nós não tivéssemos a energia nuclear, se não tivéssemos nossa matriz hidráulica que foi muito prejudicada pela crise, se não tivéssemos diversificado a nossa matriz, que hoje é composta basicamente por nove fontes, não teríamos superado esse desafio”, completou.

O Governo Federal investiu R$ 54 milhões na construção da 9ª cascata de ultracentrífugas e pretende entregar a 10ª até 2023. A inauguração faz parte da primeira fase de implantação da Usina de Enriquecimento Isotópico de Urânio, um projeto em parceria com a Marinha do Brasil.

Segundo o presidente da Indústrias Nucleares do Brasil, Carlos Freire Moreira, a previsão é que a Fábrica de Combustível Nuclear possa tornar o Brasil independente e suprir, no futuro, toda a demanda por urânio das usinas de Angra 1, Angra 2 e, em breve, de Angra 3, ainda em construção. “Em seguida o nosso desafio será a implantação da Usina Comercial de Enriquecimento de Urânio, que prevê a instalação de 30 cascatas de ultracentrífugas. Quando tudo estiver funcionando vamos atingir o patamar para atender Angra 1, 2 e 3”, explicou.

As usinas de Angra 1 e 2 são capazes de gerar energia suficiente para abastecer uma cidade com 3 milhões de habitantes.

Fonte: Planalto.Gov


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »