News

Operação descobre esquema de lavagem de dinheiro com benefícios previdenciários no Ceará

Compartilhar

Servidor do INSS e empresário foram alvos da ação desta terça-feira (30).

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (30), a Operação Frenesi 2, com objetivo de combater um esquema de lavagem de dinheiro decorrente de crimes previdenciários, envolvendo servidor do INSS e empresário. Durante a ação, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão expedidos pela 32ª Vara da Justiça Federal, em domicílios de Fortaleza e Jaguaribe, ambos no estado do Ceará. Foi determinado, ainda, o sequestro de valores equivalentes ao aporte financeiro feito pelo servidor do INSS na empresa utilizada para a lavagem de dinheiro.

As investigações tiveram início em 2020, quando foram levantados indícios de que uma empresa recebeu aportes financeiros do servidor público do INSS, decorrentes de crimes anteriores relacionados a fraudes em centenas de benefícios previdenciários identificados na Operação Frenesi 1.

Constatou-se que o servidor do INSS constituiu empresa em sociedade com particular, com vistas à ocultação e dissimulação de valores e percepção de lucros a partir dos recursos desviados dos cofres do INSS, na tentativa de convertê-los em ativos lícitos. Com isso, foi identificada incompatibilidade financeira dos rendimentos de servidor público com os investimentos efetuados na empresa.

Durante a Operação Frenesi 1, deflagrada em junho de 2019, foram cumpridos 19 mandados judiciais, sendo 16 de busca e apreensão, duas prisões preventivas e uma prisão temporária. À época estimou-se um prejuízo de R$ 15 milhões. No entanto, a desarticulação da organização criminosa proporcionou uma economia potencial de pelo menos R$ 155 milhões de reais.

As investigações continuam com a análise do material apreendido na operação policial. Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelo crime de lavagem de dinheiro, com penas de 03 a 10 anos de reclusão.

A Força-Tarefa Previdenciária e Trabalhista é integrada pelo Ministério do Trabalho e Previdência, pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal, que atuam em conjunto no combate a crimes contra os sistemas previdenciário e trabalhista. No Ministério do Trabalho e Previdência, cabe à Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista investigar e analisar os indícios de crimes e fraudes organizadas.

Fonte: Ministério do Trabalho


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!


O ensino de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar. Educação de Ensino em Casa, Jardins de Infância e Escolas, com cursos educacionais pré-escolar, ensino básico, fundamental e médio, clique e comece já!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Joabson João

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »