Esportes

Verstappen: “me sinto o campeão, a Mercedes não pode mudar isso”

Compartilhar

Max Verstappen disse na quarta-feira que se sentia o campeão mundial de Fórmula 1 e qualquer movimento da Mercedes para tentar tirar o título no tribunal não mudaria isso.

O piloto da Red Bull de 24 anos negou a Lewis Hamilton, da Mercedes, a oitava coroa em uma polêmica decisão em Abu Dhabi no domingo, após uma mudança repentina no procedimento do safety car que caiu nas mãos do jovem holandês na última volta.

“Não importa o que eles tentem fazer. Ganhamos na pista, quando houve um sinal verde e os ultrapassamos na pista. E eles nunca vão conseguir tirar isso de mim de qualquer maneira. Sobre o possível apelo , Não estou preocupado com isso”.

O chefe da equipe, Christian Horner, disse que é hora de seguir em frente.

As indicações imediatas, no entanto, foram que a Mercedes – cujos chefes não disseram nada desde domingo – ainda estava fervendo com o que consideram um resultado manipulado que roubou Hamilton de um título recorde.

Hamilton, que liderou a corrida até a última volta, recebeu seu título de cavaleiro no Castelo de Windsor na quarta-feira e não disse nada à mídia.

“Recebemos Max em casa para a equipe hoje como o campeão mundial”, disse Horner.

“Estamos ansiosos para vê-lo ganhar o troféu amanhã à noite como campeão do mundo.”

Questionado sobre se a Red Bull poderia sair do esporte se a Mercedes vencesse uma apelação, Horner escolheu as palavras com cuidado.

“Se o impensável acontecesse, desafiaríamos isso da maneira apropriada”, disse ele.

O britânico acrescentou que procurou o chefe de equipe da Mercedes, Toto Wolff, após a corrida, mas o austríaco não estava disponível. Ola Kaellenius, chefe da Mercedes-Benz, deu os parabéns, no entanto.

Wolff enviou um texto no final da noite, como também fez a Verstappen, parabenizando a Red Bull pelo campeonato de pilotos.

“Eu o parabenizei por ganhar o campeonato mundial de construtores e lembrei-o de que é onde o dinheiro é pago, não os pilotos. Não falei com ele desde então”, acrescentou Horner. A Mercedes conquistou o título por equipe pelo oitavo ano consecutivo.

Horner disse que a disputa da Mercedes era com a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e o diretor de corrida Michael Masi, e não com a Red Bull, que não fez nada de errado, mas era uma parte interessada.

Fonte: Reuters


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »