News

Governo e IBGE apresentam desempenho do PIB dos municípios do Amapá

Compartilhar

Três maiores economias são Macapá (R$ 11,4 bilhões), Santana (R$ 2,1 bilhões) e Laranjal do Jari (R$ 970,3 milhões).

Em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Secretaria de Planejamento (Seplan) divulgou nesta sexta-feira, 17, os resultados da pesquisa Contas Regionais, que detalha a participação dos 16 municípios na economia no Produto Interno Bruto (PIB) do estado.

Os resultados refletem a riqueza do estado e dos municípios a partir dos três setores da economia (primário, secundário e terciário) e consideram dois indicadores: o PIB municipal, que é soma de todas as riquezas finais produzidas no ano de referência, e o valor adicionado bruto, que mensura quanto cada setor contribui com a riqueza da região.

Análise

Os cinco maiores municípios no desempenho econômico concentraram 88,1% da produção: Macapá (65,5%), Santana (12,15%), Laranjal do Jari (5,55%), Ferreira Gomes (2,83%) e Oiapoque (2,63%), permanecendo nas mesmas posições de participação do levantamento anterior, de 2017.

Macapá, Santana, Laranjal do Jari e Oiapoque apresentaram crescimento do PIB em 2019 em comparação com o ano anterior. Macapá foi de R$ 10,8 bilhões em 2018 para R$ 11,4 bilhões em 2019; Santana, de R$ 2 bilhões para R$ 2,1 bilhões; Laranjal do Jari, de R$ 897,3 milhões para R$ 970,3 milhões e; Oiapoque, de R$ 423,6 milhões para R$ 460,6 milhões aproximadamente.

Ferreira Gomes, neste período, apresentou leve inflexão, com desvio de R$ 530.632 milhões em 2018 para R$ 494.386 bilhões em 2019. Os cinco municípios com menor participação – Amapá, Cutias, Itaubal, Serra do Navio e Pracuúba, respectivamente – concentraram 2,62% da produção estadual.

Os treze maiores municípios mantiveram posição e participação, enquanto Itaubal ganhou posição e ultrapassou Serra do Navio na participação do PIB estadual, ficando em 14º lugar e Pracuúba, último colocado, cresceu 6,7% em comparação com o 2018 e apresentou a maior participação do setor agropecuário no valor adicionado (22,4%), seguido de Cutias (20,8%), Tartarugalzinho (16,2%) e Amapá (15,7%).

Na atividade industrial, destacaram-se o setor energético e de mineração, tendo Ferreira Gomes a maior participação (72,8%), seguido de Laranjal do Jari (29,4%) e Pedra Branca do Amapari (26,6%) na composição das suas produções.

Já no setor de serviços, que abrange atividades da administração pública e do setor privado, os municípios com maior valor adicionado bruto são Macapá (93,7%), Oiapoque (92,8%) e Santana (92,8%).

Fonte: Governo do Amapá


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »