News

EUA nomeiam duas mulheres para cargos diplomáticos relevantes no Afeganistão

Compartilhar

As nomeações acontecem no momento em que o governo do Talibã reduz os direitos das mulheres a viagens, educação e emprego.

Os Estados Unidos nomearam duas diplomatas femininas para cargos representativos importantes no Afeganistão, à medida que os direitos das mulheres no país continuam a se deteriorar sob o novo governo do Talibã.

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, nomeou Rina Amiri como enviada especial para mulheres, meninas e direitos humanos afegãos na última quarta-feira.

Amiri passou duas décadas aconselhando governos, incluindo a ONU e grupos de reflexão sobre questões relacionadas ao Afeganistão. Sob o comando do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ela atuou como conselheira sênior do representante especial dos Estados Unidos para o Afeganistão e o Paquistão.

“Rina traz mais de duas décadas de experiência e conhecimento especializado que farão avançar nosso trabalho vital em direção a um Afeganistão mais pacífico, estável e seguro para todos”, disse Blinken no Twitter.

Blinken também nomeou Stephenie Foster, uma veterana do Departamento de Estado, como nova conselheira sênior para mulheres e meninas nas operações dos EUA para evacuar e reassentar afegãos sob risco de retaliação do Talibã.

As nomeações ocorrem mais de quatro meses depois do Talibã tomar o controle do país, após as tropas americanas se retiraram do Afeganistão após 20 anos de guerra.

Restrição dos direitos das mulheres

Desde de que tomou o controle o Talibã impôs medidas severas que restringem os direitos de mulheres e meninas, proibindo a maioria das primeiras de trabalhar e a maioria das últimas de frequentar escolas, o que as autoridades americanas consideram um retrocesso em termos de direitos humanos.

No último domingo, o Ministério para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício emitiu um decreto proibindo as mulheres de viajar mais de 75 quilômetros por estrada, a menos que estejam acompanhadas por um parente próximo do sexo masculino. Também foram emitidas orientações para os proprietários de veículos. Os mesmos devem recusar caronas a mulheres que não usem lenço na cabeça.

Semanas atrás, o ministério também pediu aos canais de televisão do Afeganistão que parassem de exibir dramas e novelas com atores femininos. Também pediu às jornalistas de TV que usassem lenços de cabeça durante as apresentações.

Com informações de Al Jazeera English


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Fernanda da Silva Flores

Fernanda da Silva Flores é graduada em História pela Universidade Norte do Paraná (2018) e possuí pós-graduação em Gestão Educacional (2019) pela mesma instituição. Fundou o site Rainhas na História em setembro de 2016, onde aborda a vida de grandes personagens históricas ao longo dos séculos. Reside em Itajaí, Santa Catarina, Brasil.
Botão Voltar ao topo
Translate »