fbpx
Mundo

Turquia implementará pacto que limita navios de guerra russos ao Mar Negro

Compartilhar

A Turquia, membro da Otan, mudou sua retórica para chamar o ataque da Rússia à Ucrânia de “guerra” neste domingo e prometeu implementar partes de um pacto internacional que potencialmente limitaria o trânsito de navios de guerra russos do Mediterrâneo para o Mar Negro.

Kiev apelou a Ancara para impedir que mais navios russos entrassem no Mar Negro, de onde Moscou lançou uma incursão na costa sul da Ucrânia. Pelo menos seis navios de guerra russos e um submarino transitaram pelo estreito da Turquia este mês.

“Não são apenas alguns ataques aéreos agora, a situação na Ucrânia é oficialmente uma guerra… Implementaremos a Convenção de Montreux”, disse Mevlut Cavusoglu, ministro das Relações Exteriores da Turquia, em entrevista à emissora CNN Turk.

Equilibrando seus compromissos ocidentais e laços estreitos com Moscou, Ancara nos últimos dias chamou o ataque russo de inaceitável, mas até domingo não havia descrito a situação na Ucrânia como uma guerra. 

A mudança retórica permite que a Turquia promulgue os artigos da Convenção de Montreux de 1936 que permite limitar o trânsito naval de seus estreitos de Dardanelos e Bósforo durante a guerra, ou se ameaçado. 

No entanto, Cavusoglu reiterou que a Turquia não pode bloquear todos os navios de guerra russos que acessam o Mar Negro devido a uma cláusula do pacto que isenta aqueles que retornam à sua base registrada.

“Não deve haver abuso dessa isenção. Os navios que declaram retornar às suas bases e passar pelo estreito não devem se envolver na guerra”, disse Cavusoglu.

A Turquia tem bons laços com a Rússia e a Ucrânia. Mesmo que os membros da Otan tenham atingido Moscou com sanções, qualquer passo longe demais de Ancara poderia prejudicar suas pesadas importações russas de energia, comércio e setor de turismo em um momento de turbulência econômica doméstica.

Cavusoglu também disse que conversou com colegas ucranianos e russos e ficou satisfeito ao saber que os dois países realizarão negociações.

Ibrahim Kalin, porta-voz do presidente Tayyip Erdogan, disse no domingo: “No quarto dia da guerra na Ucrânia, repetimos o apelo do presidente Erdogan para a suspensão imediata dos ataques russos e o início das negociações de cessar-fogo”.

Fonte: Reuters


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »