fbpx
News

Paraná inicia nova sequência alfanumérica de placas veiculares

Compartilhar

A continuação das placas liberadas é de SDP-0A01 à SFO-9J99, o que equivale a 519.948 unidades. Junto com a quantidade de remanescentes, terão uma duração aproximada de 36 meses, de acordo com o número de emplacamentos mensais.

O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) recebeu, nesta semana, a liberação para utilizar a nova subsequência alfanumérica de placas veiculares. A continuação das placas liberadas é de SDP-0A01 à SFO-9J99, o que equivale a 519.948 unidades que, junto com a quantidade de remanescentes, terão uma duração aproximada de 36 meses, considerando a quantidade de emplacamentos mensais.

A sequência de placas veiculares teve início em 1990 e o Paraná foi o primeiro estado brasileiro a ser contemplado, com a sequência AAA-0001 à BEZ-9999, com duração de 30 anos. Em 2020, o Estado solicitou uma nova subsequência para atender a demanda e foi autorizado a usar a série RHA-0001 à RHZ-9999, de aproximadamente 250 mil placas.

“Com o retorno do crescimento econômico no Estado e o consequente aumento da demanda de emplacamentos de carros zero, tivemos que solicitar à Senatran uma nova sequência alfanumérica de placas veiculares”, explica o diretor-geral do Detran, Wagner Mesquita. “Em 2020, quando a primeira sequência foi solicitada, a frota do Estado era de 7.592.410 veículos e atualmente são 7.917.708, um aumento de quase 5%, ou seja, 325.298 emplacamentos de carros novos”.

A identificação de um veículo é feita por meio das placas dianteira e traseira, que obedecem padrões estabelecidos pela legislação de trânsito, respeitando cores e modelos conforme cada categoria.

Elas são reconhecidas também por sua sequência, ou seja, cada Estado recebeu, ao longo dos anos, uma ou mais séries alfanuméricas disponibilizadas pela Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran).

A combinação de letras e números forma uma única placa que, uma vez disponibilizada ao veículo, permanecerá com ele, sem substituição, ou seja, se ocorrer do veículo ser baixado definitivamente, a placa também deixa de existir. A substituição de uma placa com nova sequência a um veículo já emplacado só ocorre quando for devidamente constatado o crime de clonagem.

HISTÓRIA – As placas organizadas por sequência numérica tiveram início em 1901 e seguiram até 1941.O modelo possuía o fundo preto com caracteres brancos, sendo iniciadas com “A” para veículos de aluguel e com “P” para carros de uso particular.

Entre os anos de 1941 e 1969, as cores foram alteradas. O fundo amarelo com as numerações pretas eram para os carros particulares; o fundo vermelho com numerações brancas, para carros de aluguel. Já durante este período, as placas eram emitidas pelas prefeituras seguindo uma numeração sequencial.

Com o aumento da frota e a necessidade de maior segurança, em 1969 foram necessárias mais algumas mudanças. O fundo passou a ser amarelo com letras pretas e iniciou-se o uso do lacre, administrado pelos próprios Estados. A mudança permaneceu até 1989.

Após diversos problemas relacionados a placas duplicadas, o governo federal decidiu unificar e, junto com o Detran do Paraná, criou um único sistema para controlar a emissão e numeração das placas – o Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). O Paraná foi o pioneiro na utilização, em 1990, e os demais estados aderiram até meados de 1999.

No sistema Renavam as placas possuem cores diferentes de acordo com a categoria e espécie de cada veículo.

Com a necessidade novamente de aumentar a segurança e atender a Resolução 729/2018 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), os Estados da Federação aderiram à placa Mercosul. O modelo atual foi criado com o objetivo de ser reconhecido e utilizado por todo o sistema Mercosul, ajudando na identificação e segurança dos automóveis.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »