fbpx
Variedades

Filme de Gentili: Como funciona a classificação indicativa no Brasil?

Compartilhar

As classificações etárias são indicadas para toda e qualquer produção audiovisual, tais como: Filmes, séries, jogos e atrações televisivas em geral.

Recentemente muito se falou sobre o filme de 2017, ‘Como se tornar o pior aluno da escola‘, escrito por Danilo Gentili. O longa teve sua sua classificação indicativa alterada e precisou ser retirado das plataformas de Streaming, após acusações voltadas à pedofilia.

Mas quem cria as classificações indicativas e como funciona?
Como funciona?

O sistema de classificação indicativa foi criado em 1990, de responsabilidade do Governo Federal. Os critérios que permeiam a política de Classificação Indicativa estão sustentados sob três grandes temas – Sexo, Violência e Drogas, conteúdos considerados inadequadas à formação de crianças e adolescentes. As classificações etárias são indicadas para toda e qualquer produção audiovisual, tais como: Filmes, séries, jogos e atrações televisivas em geral.

Já os streamings têm autonomia para indicar a classificação, desde que sigam os critérios definidos pelo Ministério da Justiça.

De acordo com a Portaria MJ nº 1.189 de 2018, as faixas de classificação são:

Existe um grupo de servidores da Secretaria Nacional de Justiça, que passam o dia assistido conteúdos que devem ser classificados:

Secretária Nacional de Justiça - Ministério da Justiça
Secretária Nacional de Justiça – Ministério da Justiça

Os funcionários da Secretaria Nacional de Justiça fazem relatórios sobre esses conteúdos e se algum deles deve ter uma classificação mais restritiva. Esses relatórios descrevem as cenas dos filmes, o nível de violência, de sexo explícito e do uso de entorpecentes. Todas as questões geram métricas para a classificação indicativa.

A cena, que levou o filme de Danilo Gentili a ter sua classificação alterada de 14 para 18, foi descrita como “situação sexual complexa”, cinco anos após seu lançamento. E de acordo com o mais recente Guia prático de classificação indicativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública, de 2021 “situação sexual complexa” é aquela em que ocorre incesto, sexo grupal, fetiches violentos, zoofilia, negrofilia e coprofilia.

Porém, apesar de toda a questão da classificação indicativa, é impossível deixar de notar a hipocrisia de certos militantes do governo que denunciaram o filme 5 anos após sua estreia, e após ser aprovado pelo próprio governo que hoje o critica.

Portanto, muitos dos que o acusaram de fazer apologia a esse tema extremamente sensível, foram assistir ao filme em 2017 e postaram em suas redes sociais, um deles trabalhava como youtuber abordando temas estranhos e com certeza não seria a melhor opção para assistir pois era de muito mal gosto. Enfim, vale lembrar que na época em que foi gravado o filme, o apresentador Gentili apoiava o governo e agora parece estar sendo de certa forma uma vitima do que um dia ajudou a construir.

Fonte: Coxinha Nerd

Print Friendly, PDF & Email

Milah Honorato

Sou estudante de história, adoro música, séries, filmes, reflexões, poesia e Fórmula 1. Quero contribuir com questionamentos e opiniões pertinentes aos temas citados acima, entre outros. Sempre com um olhar crítico, trazendo a visão de espectadora não técnica, mas muito observadora.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Translate »