fbpx
Esportes

Resultado da Mercedes no Bahrein “extraordinário”, diz Russell, mas equipe ainda “muito atrás dos rivais”

Compartilhar

Bahrein foi o local da última corrida de George Russell em uma Mercedes, mas a corrida de abertura da temporada de 2022 não poderia ter sido mais um contraste com sua improvável estreia pelo Silver Arrows, onde a má sorte o roubou do que teria sido um famoso ganhar. Avançando 18 meses, ele agora é um piloto da Mercedes em tempo integral – mas desta vez, o carro está em um lugar muito diferente daquela fatídica noite em Sakhir, onde era a classe do pelotão.

Os problemas que a Mercedes teve com o porte durante os testes de pré-temporada foram bem documentados, e a equipe admitiu após a qualificação que eles eram o terceiro melhor carro. Esse fato, juntamente com uma volta muito vigorosa de Russell em sua última volta no Q3, fez com que o inglês se classificasse em nono, sem garantia de como o W13 se comportaria em condições de corrida.

Mas uma largada decente para Russell fez com que ele ganhasse alguns lugares e, a partir daí, ele conseguiu seguir seu companheiro de equipe durante grande parte da corrida, herdando outras posições após a dupla desistência dos Red Bulls. Terminar em quarto foi além de suas expectativas pré-corrida, e Russell estava ansioso para ver os aspectos positivos.

“Fiz uma boa largada, ganhei duas posições na 1ª volta, me senti confortável no carro, mas sabemos onde estamos no momento”, disse ele depois. “Para ser honesto, provavelmente não conseguimos o equilíbrio certo, mas essa também não é a principal limitação, temos esse problema abrangente com o salto e acho que sairmos com um P3 e um P4 para a equipe. é extraordinário”.

1386696246
Limitação de danos para a Mercedes no Bahrein – mas Russell espera que haja mais por vir

As campanhas do campeonato muitas vezes foram construídas em largadas muito mais fracas do que a Mercedes conseguiu no Bahrein, mas a grande questão para muitos no paddock é quanto tempo levará para a equipe superar seus problemas e começar a extrair ritmo desse magro forrado W13? E não é uma pergunta que Russell possa responder ainda.

“Acho que precisamos estar satisfeitos por voltar para casa em P3 e P4, sabendo que há uma enorme quantidade de desempenho lá. Mas temos que ser realistas e reconhecer que estamos muito atrás de nossos rivais, então sabemos que há mais por vir, mas eles estão um passo à frente de nós”.

A boa notícia para a Mercedes é que, enquanto eles estavam sete décimos de segundo abaixo do ritmo na qualificação, eles fecharam essa lacuna para a Ferrari na corrida – enquanto eles terão a chance de ver como o W13 se sai no sinuoso Circuito Jeddah Corniche neste fim de semana.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »