Esportes

União das Federações de Futebol de Língua Portuguesa é constituída em Lisboa

Compartilhar

Instituição tem o propósito de aproximar as federações e estabelecer metas comuns para desenvolvimento do futebol nos países lusófonos.

Neste sábado (21), os Presidentes da Federação Angolana de Futebol, da Confederação Brasileira de Futebol, da Federação Cabo-Verdiana de Futebol, da Federação de Futebol de Guiné-Bissau, da Federação Moçambicana de Futebol, da Federação Portuguesa de Futebol e o Vice-Presidente da Federação Santomense de Futebol firmaram o compromisso histórico da criação da União das Federações de Futebol de Língua Portuguesa

Confira a íntegra da declaração

A União projetará internacionalmente uma identidade luso-afro-ásio-brasileira baseada em dois elementos culturais: a língua portuguesa e o futebol. O evento aconteceu na Cidade do Futebol, em Lisboa (POR), e além dos signatários também serão convidados para participar entidades da Guiné Equatorial, Timor Leste e Macau, filiado de maneira independente da China pela FIFA, bem como entidades responsáveis por outros territórios de língua portuguesa como a Índia e o Sri-Lanka.

O propósito é aproximar as federações lusófonas e estabelecer metas comuns no desenvolvimento do futebol nos países que tem a língua portuguesa como idioma, compartilhando e oportunizando intercâmbios com o intuito de fomentar o arranjo produtivo do futebol em todas as categorias e modalidades.

“O todo é maior que a soma das partes e o Brasil tem muito a evoluir com essa União. Nosso objetivo é unir as experiências para que todas as federações da língua portuguesa possam estreitar laços e crescer mutuamente. Estamos prontos para trabalhar na criação de novas competições, na capacitação de gestores, formação de treinadores, programas de arbitragem, intercâmbios entre outras iniciativas”, afirmou Ednaldo Rodrigues, Presidente da CBF.

“Esses dias foram extremamente ricos na troca de impressões, opiniões e objetivos. Estamos possibilitando que países com maior conhecimento e estrutura possam contribuir no desenvolvimento dos países falantes da língua portuguesa. Esse foi um passo muito importante com a criação de uma união, onde poderemos defender os interesses como um todo, seja na relação com a FIFA, ou na  transmissão de conhecimento, reuniões de direção técnica e formação de Secretários Gerais”, destacou Fernando Gomes, Presidente da Federação Portuguesa de Futebol.

“O que nós trazemos é a nossa identidade como lusófonos para que possamos marcar a história com feitos significativos, ao lado de duas potências que podem nos alavancar. Nós podemos fazer um marco histórico no futebol! Foi muito importante esse feito, isso engrandece e valoriza o nosso trabalho”, enfatizou Feizal Sidat, Presidente da Federação Moçambicana de Futebol

Presidente Ednaldo Rodrigues assina termo de criação da União das Federações de Futebol de Língua Portuguesa
Presidente Ednaldo Rodrigues assina termo de criação da União das Federações de Futebol de Língua Portuguesa
Créditos: Divulgação/CBF

“Queremos agradecer à FPF e à CBF por essa abertura enorme. Posso dizer hoje que fizemos história! Estou extremamente satisfeito porque a Guiné-Bissau faz parte deste feito. Sabemos que Brasil e Portugal são potenciais mundiais, não são todos os dias que temos essas oportunidades para discutir fatos tão pertinentes”, elogiou Carlos Teixeira, Presidente da Federação de Guiné-Bissau.

Desde sexta-feira (20), a Cidade do Futebol, em Lisboa (POR), esteve de portas abertas pelo Presidente Fernando Gomes para aproximar e concretizar o diálogo entre as federações lusófonas. Ednaldo Rodrigues agradeceu a recepção e elogiou a estrutura da casa da Federação Portuguesa de Futebol. 

“Está sendo uma acolhida muito importante pela Federação Portuguesa de Futebol, representada pelo Presidente Fernando Gomes. Conhecemos a estrutura da federação e a Cidade do Futebol, ficamos entusiasmados pela beleza e a organização. Aqui tivemos debates muito produtivos para fortalecer no âmbito do futebol essas federações, buscando mais projetos que a FIFA possa apoiar, principalmente na formação de atletas de base tanto masculino como feminino, bem como a infraestrutura de estádios”, elogiou Ednaldo Rodrigues. 

“Achamos que era oportuno iniciarmos um processo de integração entre as nossas federações para que, desta forma, possamos diminuir as assimetrias que temos à nível do futebol dos nossos países. Este feito vai marcar uma nova era do futebol e, com a experiência de Portugal e do Brasil, que são países com alto nível de qualidade, nós teremos a oportunidade de diminuir as assimetrias do futebol que praticamos nos nossos países”, afirmou Artur de Almeida e Silva, Presidente da Federação Angolana de Futebol.

Os presentes na reunião foram: Artur Silva, Presidente da Federação Angolana de Futebol; Carlos Teixeira, Presidente da Federação de Futebol de Guiné-Bissau; Fernando Gomes, Presidente da Federação Portuguesa de Futebol; Feizal Sidat, Presidente da Federação Moçambicana de Futebol; Mário Semedo, Presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol; Adalberto Catembe, Vice-presidente da Federação Santomense de Futebol; e Teresa Romão, Secretária-Geral da Federação Portuguesa de Futebol, além de diretores e outros integrantes da FPF. Representantes da UEFA e da FIFA também marcaram presença.

“Foram dois dias de muita discussão, aprendizado e troca de experiências. Nossas realidades são diferentes, então felizmente temos no nosso grupo duas federações que já construíram algo muito forte à nível do futebol mundial, me refiro à CBF, ao colega Ednaldo Rodrigues, que tem trazido uma experiência muito importante e certamente vai marcar o futuro das relações, e à Portugal, que tem grande relevância à nível mundial e europeu. Vamos tentar aproveitar a experiência deles para também avançarmos, porque temos potencial de evoluir nossas capacidades dentro dos nosso países”, Mário Semedo, Presidente da Federação Cabo-Verdiana de Futebol.

“Esse encontro também serviu para marcar o início de uma nova temporada. Assim, da unidade e da colaboração todos nós podemos fazer mais pelo nosso futebol e chegarmos mais longe. Com isso, permitir que os países com níveis diferentes de infraestrutura e capacitação possam trocar experiências”, aponta Adalberto Catambi, Vice-Presidente da Federação São-Tomense de Futebol.

Fonte: CBF


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »