Esportes

Peso-pena Zé Delano luta para ser o próximo brasileiro no UFC

Compartilhar

Brasileiro encara norte-americano Michael Stack semana que vem.

Atualmente, o UFC (Ultimate Fighting Championship), principal evento de artes marciais mistas do mundo, lista 79 atletas brasileiros ativos em seu elenco. A conta pode ficar redonda em breve. O pernambucano Zé Delano, de 25 anos, está próximo de conseguir um lugar na elite do MMA (sigla em inglês para artes marciais mistas). Ele embarca sábado (28) para Denver (Estados Unidos), onde vai encarar na próxima quarta-feira (3 de junho) o lutador da casa Michael Stack, pelo LFA (Legacy Fighting Alliance), evento considerado uma das principais portas de entrada para o UFC. Caso vença, não é garantido que o atleta receberá um contrato, mas definitivamente cresce a probabilidade de ele realizar um sonho que tem desde que começou na modalidade, em 2013.

“Obviamente, se eu conseguir, vou comemorar muito, porque é um sonho. Mas não quero ser apenas mais um brasileiro no UFC. Quero fazer história”, revela Delano à Agência Brasil.

Zé Delano, lutador, MMA
“O pernambucano Zé Delano encara na próxima quarta-feira (3 de junho), nos Estados Unidos, o anfitrião Michael Stack, pelo LFA (Legacy Fighting Alliance), evento considerado uma das principais portas de entrada para o UFC – Deive Coutinho

A estratégia para vencer – e se aproximar do objetivo de tantos anos – já foi traçada.

“Ele [Stack] tem um jogo chato de tentar cansar o braço do adversário, ficar empurrando contra a grade. Não tem tanto perigo de nocaute ou finalização, mas ele tem bastante condicionamento físico. A luta será basicamente eu me movimentando bastante mas sem me expor tanto. Só vou bater quando tiver certeza”, expõe o brasileiro.

Se a tática se mostrar efetiva e a meta for alcançada, representará o momento mais alto de uma trajetória cujo primeiro embrião surgiu quando Delano tinha oito anos. Hoje detentor do cinturão dos pesos pena (até 66 kg) do Shooto Brasil, um dos principais eventos de MMA do país, o pernambucano começou a se interessar por lutas ainda na escola, ao ver colegas contarem as experiências no judô e no karatê. Ele precisou convencer o pai de que era uma boa ideia.

“Ele achava que eu ia bater nos meus dois irmãos mais novos. Tinha muita confusão em casa, briga até com contato físico. Mas rapidamente, depois que eu entrei no muay thai, que foi a primeira arte marcial que eu fiz, as brigas pararam”, conta, aos risos.

Os ânimos acalmaram ainda na infância. Delano agora busca a maturidade financeira para viver do MMA. Isso só é possível lutando fora do país. Por consequência, estar no UFC ajudaria muito.

“Desde que cheguei ao Rio, em 2017, trabalhei como garçom em uma casa de festas e também como despachante e gerente num restaurante japonês. Hoje, consigo pagar minhas contas lutando e dando aulas, mas nem sempre foi assim”, revela o lutador.

“Faixa Preta”, novo quadro do Stadium

Zé Delano será um dos personagens do quadro ‘Faixa Preta’, que estreia nesta quarta (25) no programa Stadium, da TV Brasil. Curiosamente, conquistar a faixa preta no jiu-jitsu é um dos objetivos de Delano, que atualmente ostenta a faixa roxa [já possui a preta no muay thai]. 

A reportagem de abertura do quadro vai contar a história de Jorginho Pontual, faixa preta no kickboxing e que se tornou atleta e professor de um projeto social anos depois de sair de um longo período envolvido com o tráfico de drogas. O “Faixa Preta” irá ao ar às quartas-feiras.

“Para sair da vida do crime, você tem que ser muito forte. Tem que querer muito. Hoje eu tenho aluno criança, adulto, idoso. Sou muito realizado”, diz Pontual.

Fonte: Agência Brasil


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »