Esportes

Russell diz que a vitória é possível do P6 se a chuva atingir Mônaco no dia da corrida

Compartilhar

Se chover como previsto no GP de Mônaco de amanhã, George Russell, da Mercedes, diz que planeja uma estratégia de “alto risco, alta recompensa” a partir do sexto lugar do grid.

O britânico se alinha ao lado do quinto colocado Lando Norris e atrás das duas Ferraris e duas Red Bulls para a corrida de 78 voltas em uma pista onde é notoriamente difícil de ultrapassar.

Quando perguntado se ele queria que chovesse durante o Grande Prêmio de amanhã, Russell respondeu: “Vamos lá. É disso que precisamos nesta situação – alto risco, alta recompensa. Temos que ir para isso”.

“Se perdermos um P5 ou um P6, não é o ideal, mas não é o fim do mundo. Queremos colocar tudo em jogo e ir para a vitória. Muitas vezes você não diz isso do P6 em Mônaco, mas parece que vai chover amanhã”.

“Olhe para isso agora – está cinza e sombrio, deixou de ser a Riviera Francesa linda sob o sol e agora parece que estamos em Londres. Então, sim, eu aceito um pouco de chuva”.

Embora tenha ficado desapontado por a Mercedes não ter aproveitado o momento que criaram na Espanha, quando Russell terminou em terceiro com o companheiro de equipe Lewis Hamilton em quinto, ele ficou satisfeito com a volta que fez para terminar em sexto.

“Se você tivesse me dito P6 antes do fim de semana, eu não teria ficado muito satisfeito”, disse ele. “Mas acho que a minha volta foi muito forte, provavelmente uma das voltas mais fortes que fiz na qualificação durante todo o ano”.

“Obviamente estou um pouco desapontado pelo ritmo não ter sido um pouco melhor. Sabemos que não trouxemos nada de novo para o carro neste fim de semana, quando sabíamos inerentemente que provavelmente não se adequaria ao nosso carro. Você tem que ver os aspectos positivos, mas estamos aqui para mais”.

Hamilton largará em oitavo, com o chefe da Mercedes, Toto Wolff, dizendo que sentiu que poderia ter sido um lugar melhor se não tivesse que abortar a volta por causa da bandeira vermelha no final, causada quando Sergio Perez atingiu a barreira em Portier.

Hamilton ficou em P8 no sábado

O sete vezes campeão mundial admitiu que não tirou o melhor do carro, mas agora seu foco é tirar o melhor do carro no domingo.

“As bandeiras vermelhas me custaram minha última volta, mas não acho que seria muito diferente do que aconteceu de qualquer maneira”, disse ele. “Em retrospectiva, eu precisava fazer a primeira volta com os pneus e não consegui, depois de começar a volta no modo errado do motor.

“Mas Mônaco é exatamente assim, e foi uma sessão infeliz. O carro está muito mal lá fora e estamos tendo que correr grandes riscos para chegar perto dos tempos dos carros da frente”.

“Melhoramos o carro de ontem e nos aproximamos um pouco, mas mesmo com uma volta perfeita, acho que ainda estaríamos seis décimos de distância, o que é um pedaço decente. Agora precisamos ver o que o tempo fará amanhã e tentar fazer algum progresso no campo”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »