Tecnologia

Sua internet em casa é lenta? Saiba como comprovar!

Compartilhar

O Teletrabalho, trabalhos de casa online para crianças, entretenimento para toda a família… Boa parte das atividades que realizamos atualmente em nossas casas requer internet. Embora a conexão seja muito mais potente do que há alguns anos, às vezes parece que não é suficiente. O que fazer então?

O primeiro passo é que a internet chegue ao roteador com largura de banda suficiente, e para isso devemos entender que tipo de conexão temos contratada. A operadora que fornece acesso à rede costuma indicar a velocidade máxima, mas também deve indicar qual é o mínimo garantido. Caso a qualidade oferecida não corresponda à velocidade da sua internet contratada, o assinante pode reclamar.

Mas como saber a qualidade da conexão?

É necessário realizar um teste no qual os dados são enviados e recebidos para verificar a velocidade de upload e download, bem como a latência (o tempo que leva para o roteador receber uma resposta do sinal). 

Em primeiro lugar, é aconselhável interromper todas as atividades domésticas que precisam de internet para liberar a largura de banda: enquanto o teste está sendo realizado, você não pode baixar nada, jogar online, assistir vídeos ou ouvir música. 

Os resultados que oferecem mais garantias são obtidos de um computador conectado por cabo ao roteador. Em conexões ADSL é normal que a potência não atinja 100% da que foi contratada, mas com fibra óptica deve ser bem próximo.

Existem muitos desses testes de velocidade na internet que são realizados através de um navegador. Uma das mais simples é do próprio Google – se escrevermos ‘teste de velocidade’ no buscador, será a primeira opção que aparece, e não coleta nenhuma informação do usuário (pelo menos é o que afirma) – mas qualquer outra serve. Se o resultado do teste indicar que os mínimos contratados não foram atendidos, você deve falar com a operadora de telecomunicações. 

No entanto, se ultrapassar o valor mínimo garantido, pode tomar outras medidas para melhorar a conexão. 

O roteador está funcionando bem?

Se a qualquer momento a conexão de rede falhar, o primeiro passo é desligar o roteador por alguns minutos e ligá-lo novamente. Um roteador com vários anos pode estar obsoleto ou, se for o fornecido pelo operadora que nos presta o serviço e houver muitos dispositivos conectados, sua capacidade de distribuição de sinal pode ser insuficiente e pode haver quedas frequentes no desempenho da conexão. Nesse caso, seria necessário avaliar se vale a pena comprar um roteador para alto consumo de internet. 

Verifique a rede Wi-Fi e limpe os móveis

O mais simples é verificar a velocidade da rede Wi-Fi em cada cômodo da casa, seja no navegador com o teste do Google ou com um aplicativo como o ‘Speedtest‘. Se temos quartos onde o sinal não chega bem, existem várias opções. Uma delas é mudar o roteador de lugar –se for necessário mudar a localização da tomada de conexão que vem da rua, é preciso chamar a contatar com sua operadora. 

O roteador transmite em todas as direções, portanto, se estiver em uma extremidade, o sinal pode não chegar na outra. É importante saber que móveis de metal, alguns eletrodomésticos como microondas e aparelhos como monitores de computador ou telefones fixos podem causar interferências que atrapalham o sinal. 

É melhor colocá-lo em uma sala central, longe de móveis e equipamentos elétricos. Se o roteador tiver antenas, é conveniente orientá-las em diferentes direções – ferramentas como ‘WiFi Analyzer’ indicam a melhor posição para o roteador.

Verifique se não há intrusos e altere a senha

Deixar sua rede Wi-Fi doméstica aberta significa que qualquer pessoa próxima pode se conectar e, portanto, ocupar a largura de banda, diminuindo a velocidade das conexões. 

Praticamente todos os roteadores são protegidos por uma chave que deve ser alterada para uma chave forte, que é uma combinação tão aleatória e estranha de letras maiúsculas, minúsculas, números e sinais quanto possível.

Escolha a qual banda cada dispositivo se conecta

Nos roteadores atuais existem duas bandas para conexão sem fio, uma de 2,4 GHz e outra de 5 GHz. O primeiro atravessa melhor as paredes, tem mais alcance e é mais compatível com aparelhos mais antigos, mas é mais lento; A 5 GHz transmite dados mais rápido, mas é mais afetado por obstáculos como paredes e distância do roteador. 

Assim, os dispositivos que estão mais distantes do roteador podem funcionar melhor na banda de 2,4 GHz, enquanto os dispositivos que estão mais próximos do roteador e que se usem ​​para assistir a vídeos ou fazer videochamadas serão mais rápidos na banda de 5 GHz.

Instalar repetidores

Se a casa é grande, tem formato alongado ou está distribuída por vários andares, é muito provável que o sinal Wi-Fi não chegue a todos os cantos e seja necessário instalar repetidores de sinal que o estendam até os cômodos mais distantes. Para fazer isso, basta conectá-los à rede elétrica e vinculá-los ao roteador.

Outra solução, melhor, mas um pouco mais complicada, é criar uma rede mesh, uma estação base à qual são conectados diferentes pontos de acesso.

Print Friendly, PDF & Email

Vanessa Fagundes

Assessora responsável pelo blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.
Botão Voltar ao topo
Translate »