Esportes

20 anos do Penta: Brasil goleia a Costa Rica e termina fase de grupos com 100% de aproveitamento

Compartilhar

Ronaldo coroou a recuperação marcando nos três primeiro jogos da Copa do Mundo FIFA Japão e Coreia do Sul 2002. Além dele, que balançou as redes em duas oportunidades, Edmílson, Rivaldo e Júnior também marcaram para a Canarinho.

Terceiro jogo, terceira vitória. Num dia como esse, há 20 anos, a Seleção Brasileira ganhou da Costa Rica por 5 a 2 e terminou a fase de grupos com 100% de aproveitamento na Copa do Mundo FIFA Coreia do Sul e Japão 2002. Os gols da partida foram marcados por Edmilson, Rivaldo, Júnior e Ronaldo (2).

O Fenômeno, aliás, ia confirmando seu status de grande destaque da Copa do Mundo. Seus dois gols diante dos costarriquenhos encaminharam a vitória e vieram com apenas quatro minutos de intervalo: um aos 10 e outro aos 13 da primeira etapa. Assim começou a ser construída a goleada, que garantiu a campanha perfeita da Seleção até ali.

O jogo

O primeiro gol do Fenômeno saiu após cruzamento rasteiro de Edílson, que encontrou o camisa 9 desmarcado na pequena área. O segundo, por outro lado, demandou mais esforço. Rivaldo cobrou escanteio pela esquerda e a bola foi interceptada pela marcação costarriquenha. Ronaldo disputou a posse com dois marcadores, ganhou, finalizou rasteiro e, pela 4ª vez em três jogos, levantou o indicador direito com seu sorriso no rosto. Construía-se a vantagem brasileira.

No lance seguinte, o Brasil tomou um susto. Centeno recebeu na entrada da pequena da área, livre e de frente para o gol, mas isolou. Assim como Wright, aos 29, e Gómez, aos 31, ambos de cabeça e na mesma faixa do campo. Para conter a pressão adversária, veio a genialidade brasileira. Aos 37, Júnior cruzou, a bola desviou na marcação e sobrou no alto. Sem titubear, Edmílson se jogou nela e, num lindo voleio, marcou o terceiro da Canarinho. Uma verdadeira pintura. 

A euforia não durou muito. Poucos segundos depois, Wanchope tabelou com Wright, invadiu a área e chutou na saída de Marcos. O atacante da Costa Rica ainda contou com um desvio no joelho de Lúcio antes da bola entrar. No finalzinho do primeiro tempo, duas grandes chances do Brasil. Ronaldo fez grande jogada e encontrou Rivaldo na cara do gol. O camisa 10 se esticou para chegar na bola, mas acabou mandando por cima. Dois minutos depois, com sua canhota refinada, cobrou falta na trave. No rebote, Júnior mandou para fora.

Na volta para o segundo tempo, logo aos quatro minutos, Anderson Polga protagonizou um lance que poderia ser considerado como um gol. Mais uma vez com Wanchope, autor do gol costarriquenho. O camisa 9 driblou Marcos e finalizou. O zagueiro brasileiro tirou em cima da linha, salvando o que seria o segundo dos adversários.

A equipe comandada por Alexandre Guimarães não desistiu e continuou pressionando, mas parava nas mãos do camisa 1 da Seleção Brasileira. Aos 11, contudo, Marcos nada pôde fazer quando Bryce cruzou e Gómez apareceu sozinho na segunda trave para cabecear e diminuir a vantagem verde-amarela. 

Júnior, aos 16, cruzou por baixo para Ronaldo, que foi atrapalhado pela marcação e não conseguiu a finalização em cheio. O lateral não desistiu e, um minuto depois, tentou novamente a jogada, dessa vez para Rivaldo. De canhota, completando o passe, o camisa 10 empurrou para o fundo do gol. O terceiro gol em três partidas. Fazendo uma grande partida, com duas assistências, foi a vez do camisa 16 deixar o dele. Aos 19, após lançamento de Edmílson, finalizou na saída de Lonnis e guardou.

Aos 23 minutos, Ronaldo foi derrubado na área, mas o juiz mandou seguir o lance. Na sequência, Castro obrigou Marcos a fazer grande defesa, dessa vez com a cabeça. Quando não dava para ser com as mãos, ele dava outro jeito. Aos 25, Júnior desviou contra, a bola bateu na trave e o goleiro brasileiro, já caído no chão, afastou com o pé.

A trave ainda impediu mais dois gols, um de cada lado. Ronaldo, após driblar o goleiro, ficou sem ângulo. Da linha de fundo, o camisa 9 finalizou no poste. Aos 41, o arqueiro do Brasil saiu bem, defendeu, mas se lesionou. Na sequência do lance, Wanchope chutou no travessão. E assim terminava a fase de grupos. Três vitórias em três jogos. 100% de aproveitamento. Onze gols marcados e três sofridos, um saldo de oito. Classificado para as oitavas de final.

A série 20 anos do Penta relembra os detalhes da conquista da Copa do Mundo FIFA Coreia do Sul e Japão 2002. Os jogos, os personagens e alguns dos principais momentos do pentacampeonato estarão no site da CBF ao longo do mês de junho!

Ficha técnica

Data: 13/06/2002
Horário: 15h30 (Brasília); 03h30 (local) 
Estádio: Suwon World Cup Stadium
Público: 38.524
Cidade: Suwon (Coreia do Sul)
Árbitro: Gamal Ghandour (Egito)

GOLS

Costa Rica: Wanchope (39 minutos do 1º tempo) e Gómez (11 minutos do 2º tempo);

Brasil: Ronaldo (10 minutos do 1º tempo), Ronaldo (13 minutos do 1º tempo), Edmílson (38 minutos do 1º tempo), Rivaldo (17 minutos do 2º tempo) e Júnior (19 minutos do 2º tempo).

CARTÕES AMARELOS:

Brasil: Cafu (48 minutos do 2º tempo).

ESCALAÇÕES

Costa Rica: Lonnis (C); Martínez (Parks), Wright, Marín; Wallace (Bryce), Solís (Fonseca), López, Castro, Centeno; Wanchope, Gómez

Brasil: Marcos; Cafu (C), Lúcio, Anderson Polga, Edmílson e Júnior; Gilberto Silva, Juninho (Ricardinho), Rivaldo (Kaká); Ronaldo, Edílson (Kléberson)

Fonte: CBF


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »