Educação

Como precificar um curso online? 5 dicas para cobrar um preço competitivo e alavancar suas vendas

Compartilhar

Uma das principais vantagens que o modelo de ensino à distância tem sobre o presencial é o preço. Investir em um curso EAD custa bem menos do que se matricular em aulas presenciais.

Esse é um dos motivos que fez a procura por cursos à distância ter aumentado de forma significativa nos últimos anos, tornando o mercado de EAD bastante promissor para quem quer empreender nesse segmento.

“Mas quanto cobrar por meu curso online?”. Esse é um questionamento que muitas pessoas que decidem investir nesse modelo de negócio costumam se fazer.

O preço do seu curso online deve ser definido de maneira estratégica, realista e justa.

Neste artigo, você vai descobrir como precificar um curso online a partir de 5 dicas essenciais:

  1. Estude sobre o nicho de mercado do seu curso online;
  2. Entenda o perfil do seu público-alvo;
  3. Tenha clareza sobre o valor do seu curso online;
  4. Mapeie todos os custos necessários para a concepção do seu curso;
  5. Defina uma margem de lucro.

Continue a leitura e saiba como estabelecer um preço coerente e que te permita obter um lucro satisfatório.

5 dicas de como precificar um curso online

Depois de superar o desafio de criar um curso online, um novo desafio surge para quem quer fazer dinheiro com a venda desse tipo de infoproduto: a definição do preço mais adequado.

Afinal, como botar um valor no tempo e esforços dedicados na pesquisa de conteúdo e na elaboração do curso? Como precificar toda a sua experiência e conhecimentos que você acumulou durante a sua trajetória e que serviu de base para a criação desse curso online?

Se você está com dificuldades de responder essa pergunta e chegar a um preço final, fica tranquilo que vamos te ajudar.

Confira a partir de agora 5 dicas valiosas de como precificar um curso online.

1 – Estude sobre o nicho de mercado do seu curso online

A primeira – e talvez mais importante – dica de como precificar um curso online consiste em fazer um estudo sobre o nicho de mercado para o qual os seus conteúdos são direcionados.

Saber em qual território você está prestes a pisar é indispensável para definir um preço que seja coerente com a realidade do mercado e, ao mesmo tempo, competitivo.

Uma das formas mais usadas de estudar mercados e concorrentes é por meio da Matriz de Porter, você conhece? Então, confira este vídeo da Siteware:

2 – Entenda o perfil do seu público-alvo

Além de conhecer profundamente a realidade do mercado, é importante também entender qual é o perfil de alunos que você quer atrair para o seu curso online.

É com base no perfil dos alunos para os quais você pretende vender o seu curso que você poderá ter uma noção de quanto elas estariam dispostas a investir no conteúdo que você se dedicou tanto para produzir.

Para entender o seu público-alvo e adotar uma precificação adequada, busque levar em consideração aspectos como o perfil socioeconômico, faixa etária, profissão, necessidades, expectativas, etc.

3 – Tenha clareza sobre o valor do seu curso online

É muito comum que as pessoas confundam preço com valor. No entanto, esses conceitos não são sinônimos e saber diferenciá-los é essencial na hora de precificar o seu curso online.

Enquanto o preço está restrito à esfera monetária e quantitativa, o valor se refere a algo mais abstrato e qualitativo.

No caso de um curso online, quanto maior for o poder transformador do seu conteúdo, quanto mais conhecimentos ele conseguir agregar para os alunos, maior será o seu valor.

O preço, então, é uma consequência desse valor. Ao entender qual o valor que o seu curso tem para o seu público, você poderá tomá-lo como parâmetro para definir um preço que seja compatível a esse valor.

4 – Mapeie todos os custos necessários para a concepção do seu curso

Quanto, em dinheiro, você precisou investir na produção do seu curso online?

Esse é o momento de colocar na ponta do lápis todos os custos necessários para chegar ao produto final que é o seu curso online.

Nesse cálculo, você deve incluir os custos com a parte técnica (câmera, cenário, iluminação, microfone, plataforma online para hospedar seus conteúdos, software de edição, etc) e também o tempo que você dedicou à pesquisa, construção do roteiro, internet, luz, aluguel de estúdio, deslocamento para filmagens externas, marketing e qualquer outra despesa operacional.

Esse mapeamento é importante para que o preço cobrado pelo produto final seja capaz de retornar esses custos no menor tempo possível.

Neste vídeo, você descobre quanto custa para montar um curso EAD:

5 – Defina uma margem de lucro

O objetivo de todo modelo de negócio é gerar lucro. E com a venda de cursos online não é diferente.

Tendo em vista todos os custos que você mapeou, você precisa definir uma margem de lucro para o seu curso.

Para isso, a primeira coisa a se fazer é calcular o seu lucro, que é resultado da diferença entre seus custos e seu faturamento.

Feito isso, divida seu lucro pela receita gerada da venda do seu curso online. O resultado, multiplicado por 100, é a sua margem de lucro.

Monitorar a margem de lucro é essencial para verificar se há necessidade de ajustar o preço do curso online ou se há espaço para investir em uma divulgação maior e conceder cupons de desconto.

Então, o que achou dessas nossas 5 dicas de como precificar um curso online?

Siga essas nossas recomendações e para definir preços competitivos e fazer as suas vendas bombarem.

Este artigo foi escrito pela equipe da EAD Plataforma, uma plataforma online de ensino a distância que te permite criar e vender cursos na internet. Simples, intuitiva e com preço acessível, a EAD Plataforma atua no mercado desde 2014 e já conta com mais de 1200 clientes.

Print Friendly, PDF & Email

Vanessa Fagundes

Assessora responsável pelo blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.
Botão Voltar ao topo
Translate »