eAuto

Manutenção preventiva, corretiva e preditiva veicular: qual a diferença?

Compartilhar

Manutenção preventiva, corretiva e preditiva veicular: Qual a diferença? Comprar o carro dos sonhos é apenas o começo, pois para mantê-lo em perfeito desempenho e desacelerar o processo de desgaste é preciso entender quais os tipos de manutenções e suas necessidades. 

Conheça os principais tipos de manutenção veicular, aqui neste artigo! 

Você pode ler artigos relacionados à manutenção em muitos sites na Internet, mas chama a atenção uma nota divulgada pelo CBT (Código Brasileiro de Trânsito): 

a maioria dos acidentes causados ​​pelo veículo é devida ao fator humano, mas em muitos casos poderia ter sido evitada se a manutenção adequada do carro tivesse sido realizada, evitando problemas graves e ter que acionar a agência de proteção veicular.

Ou seja, cada manutenção tem sua função e contribui não apenas para o bom desempenho e conservação do veículo, mas também para a segurança de condutores, passageiros e pedestres. 

Quais os tipos de manutenção veicular?

Desta forma podemos distinguir quais os três tipos principais de manutenção veicular:

  • Manutenção corretiva: Durante as tarefas de manutenção corretiva, há espaço para reparos ou substituição dos componentes do veículo que parou de funcionar ou não funciona corretamente.
  • Manutenção preventiva: A manutenção preventiva refere-se a seguir as instruções do fabricante que indicam os períodos de tempo ou quilometragem em que certas peças do veículo devem ser substituídas ou com que frequência deve ser verificada.
  • Manutenção preditiva: Refere-se ao que faz do proprietário um observador, ou seja, saber reconhecer pelos próprios meios e sentidos se algum reparo deve ser realizado antes que o componente falhe.

A maior parte da manutenção pode ser realizada pelo próprio proprietário, desde que tenha os meios e ferramentas adequados. 

Você poderá realizar verificações como a pressão adequada dos pneus (que deve ser feita mensalmente), observar o nível do fluido de freio ou verificar se o sistema de iluminação do veículo está funcionando corretamente.

No entanto, existem seções de manutenção que requerem a utilização de mão de obra especializada, pelo que poderá ser necessário dirigir-se a uma oficina especializada, não devendo poupar na escolha ou optar por materiais de qualidade inferior para baixar o preço da reparação.

É preciso lembrar que uma boa manutenção veicular pode salvar não só a vida do carro, mas também a do motorista e sua família – em muitos casos – e de outros motoristas na estrada.

Qual a importância da manutenção veicular periódica?

A manutenção regular do seu veículo é mais importante do que você pensa. Entre trabalho, família e outras responsabilidades, a manutenção básica do carro não pode ficar para trás por motivos de segurança e cuidados com o seu automóvel.

O período indicado para realizar a manutenção preventiva é a cada seis meses ou 10.000 km rodados, já as outras manutenções devem ser realizadas assim que se nota funcionamento incomum do veículo. 

Realizar a manutenção de forma periódica permite que evite falhas, prejuízo em consertos, acidentes e diversas outras situações, como já mencionado em tópicos anteriores.

Confira a seguir quais itens analisar sobre a manutenção de veículo:

1. Não ignore os serviços de manutenção programada do carro

Consulte o Manual do Proprietário e saiba quando os serviços de manutenção recomendados devem ser agendados para o seu carro. A manutenção básica normalmente inclui a verificação ou substituição de peças como velas de ignição, fios, fluidos e correias serpentinas. 

A primeira manutenção preventiva deve ser realizada ao atingir 5.000 km rodados, as demais podem ser efetuadas a cada 10.000 km. Ao realizar a primeira manutenção é preciso ir até o local estipulado pela concessionária para não perder a garantia. 

2. Leia o Manual do Proprietário

Para saber quando seu carro deve receber os serviços recomendados, consulte o Manual do Proprietário, pois ele também contém muitas informações úteis.

3. A importância das trocas de óleo

Se o seu carro usa óleo de motor convencional, provavelmente é melhor trocá-lo a cada 10.000 km rodados, mas se o seu carro usa óleo sintético, é melhor trocá-lo a cada 5.000 km ou a cada seis meses.

4. Use a classificação de octanagem correta

Você pode querer usar um combustível com maior octanagem para obter mais potência, já que os carros esportivos funcionam melhor com combustível com maior octanagem, certo? No entanto, deve ser evitado o uso de combustível que não é indicado para seu veículo. 

Por mais que o automóvel seja Flex (combustível e etanol), o recomendado é sempre variar e não usar apenas um tipo de combustível por muito tempo, principalmente no caso do Etanol. 

5. Verifique a pressão dos pneus

A verificação da pressão dos pneus é importante para sua segurança e manutenção geral. Se o seu carro não tiver um sensor de pressão dos pneus ou TPMS, compre um manômetro e verifique-o com frequência, até mesmo o pneu de estepe. 

A pressão correta dos pneus ajuda a melhorar a economia de combustível e a controlar o desgaste normal dos pneus, além de ajudá-lo a saber se o seu veículo está alinhado corretamente. 

Para verificar qual o nível de pressão ideal, você pode verificar o manual do veículo, na lateral do pneu ou batente da porta do motorista no veículo. 

6. Rodízio de pneus

Os pneus não se desgastam uniformemente. A frente e a traseira em veículos diferentes carregam pesos diferentes. A melhor maneira de fazer com que eles se desgastam de maneira mais uniforme é girar os pneus, o que também pode ajudar a melhorar o manuseio. 

O rodízio de pneus e balanceamento deve ser realizado a cada 5.000 a 10.000 km. 

7. Verifique seu carro todos os dias

Reserve alguns minutos para verificar seu carro todos os dias. Existem motivos para isso, mas o principal tem a ver com a saúde do veículo. Verificar regularmente o seu carro ajuda a identificar coisas que precisam de atenção, como pressão dos pneus, rachaduras no para-brisa e pintura descascada.

8. Conheça o significado das luzes de advertência do seu veículo

Um passeio pela cidade pode se transformar em uma viagem estressante para casa. 

Você deve aprender o que significa cada luz de aviso e o que fazer quando uma delas acender, portanto, se aparecer alguma luz no painel que não se apaga e fica piscando, leia o manual do usuário para identificar o problema. Além disso, leve o veículo a uma oficina autoelétrica. 

9. Verifique os níveis de fluido do seu carro

É bom verificar os níveis de fluido do seu veículo, assim como seus pneus e luzes, pois eles devem estar em níveis adequados e serem trocados de acordo com a quilometragem ou período indicado no manual do veículo.

10. Correias dentadas ou serpentinas.

A correia serpentina é uma das partes mais importantes do seu carro que normalmente não recebe muita importância, mas é vital para o desempenho do seu veículo e precisa de cuidados. Se estiver danificado, o motor pode superaquecer e parar. 

Essas correias geralmente são feitas de borracha e são usadas para acionar e ajudar a sincronizar muitas partes importantes do carro, como o condensador do ar condicionado, a bomba d’água, a direção hidráulica e o alternador, a qual deve ser revisada a cada 15.000 km rodados. 

Essas são as principais informações sobre os tipos de manutenção e itens a serem observados em relação à revisão veicular periódica.

Print Friendly, PDF & Email

Vanessa Fagundes

Assessora responsável pelo blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.
Botão Voltar ao topo
Translate »