Esportes

Sainz explica sua relutância em pilotar carros históricos da F1

Compartilhar

Já nesta temporada vimos Sebastian Vettel e Charles Leclerc pilotando carros históricos de Fórmula 1 em corridas de demonstração. Mas não espere que Carlos Sainz seja o próximo, pois o piloto da Ferrari diz que está em dúvida sobre se ele guiaria um carro do passado.

Vettel pilotou a Williams FW14B de 1992 de Nigel Mansell no Grande Prêmio da Inglaterra em julho, enquanto o companheiro de equipe de Sainz, Leclerc, bateu a Ferrari 312 B3 de Niki Lauda, ​​tricampeão mundial, na barreira em um festival em Mônaco. Embora não tenha sido culpa de Leclerc, já que um problema de freio foi a causa do incidente, Sainz ainda não tem certeza se é o tipo de risco que ele está disposto a correr.

“Tive a oportunidade de [testar uma Ferrari antiga] no passado”, disse Sainz. “Sempre dá uma visão de como era o esporte há muito tempo. Estou em duas mentes com isso, porque por que você arriscaria? Tipo, por quê? Você está no meio de uma chance de vencer o campeonato da Ferrari. Por que você arriscaria ter essa situação como aconteceu com ele [Leclerc]?”.

“Mas, ao mesmo tempo, quando mais você terá essa oportunidade de pilotar esses carros? Então, toda vez que entro em um carro clássico de Fórmula 1, tenho essas coisas na cabeça, eu vou empurrá-lo. Eu não sei como entrar em um carro e colocar o cotovelo para fora e dirigir por aí. Eu não tenho ideia de como fazer isso”.

GettyImages-1411987922.jpg
Sainz acredita que trabalhar com Leclerc o tornou um piloto melhor

Ele continuou: “Só posso entrar e sentir como esses carros se comportam, então toda vez que vou entrar, vou empurrar o carro. E essas coisas podem acontecer”.

O espanhol também foi questionado sobre seu relacionamento com Leclerc, a dupla tendo feito parceria por 35 GPs até a Hungria.

“Com certeza”, disse ele. “Charles sempre produz voltas extremamente boas, desde os treinos livres até a qualificação e este ano também um ritmo de corrida muito bom, como vimos”.

“É sempre uma grande referência ter na equipe, um grande cara para se conviver, um cara com quem eu realmente aprendi muito nos últimos anos e um cara que espero ter como companheiro de equipe para o futuro”.

GettyImages-1242261125.jpg
Sainz e Leclerc passaram 35 Grandes Prêmios como companheiros de equipe, apenas três a menos do que Leclerc gastou ao lado de Vettel

“Porque sinto que nos damos bem e temos uma boa parceria. Passamos muito tempo juntos, tanto em Maranello quanto na pista e normalmente temos opiniões muito semelhantes sobre muitas coisas”.

“Além disso, quando é hora de nos divertirmos, também podemos nos divertir uns com os outros e praticar alguns esportes e tudo mais. Nem tudo é super sério, e a equipe depende disso, do relacionamento conosco e espero que possamos manter assim porque facilita as coisas”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, tornando-se um assinante você está contribuindo para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio! Duna Press Jornal e Magazine, mídia livre e independente trabalhando a informação com ética e respeito ao leitor. Notícias, oportunidades e negócios, seu portal nórdico em português.

Assinatura Anual

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »