fbpx
Esportes

Alonso não se juntará à Aston Martin “pelo salário”, insiste o chefe da equipe, Mike Krack

Compartilhar

A Aston Martin chocou o mundo da F1 em 1º de agosto, quando anunciou que o bicampeão Fernando Alonso se juntaria a eles a partir de 2023 – e o chefe da equipe, Mike Krack, explicou por que o veterano espanhol estava tão motivado para se juntar a sua equipe.

Alonso passou dois anos longe da F1, embolsando duas vitórias nas 24 Horas de Le Mans, e voltou a este campeonato em 2021 para competir com a Alpine. Quando o tetracampeão Sebastian Vettel anunciou sua aposentadoria em julho, começaram a surgir especulações sobre sua substituição na Aston Martin – e essa especulação logo foi respondida quando Alonso assinou com a equipe um contrato de vários anos.

“A bola só começou a rolar na quarta-feira à tarde antes do Grande Prêmio da Hungria, quando Sebastian confirmou seus planos e nos disse que queria se aposentar. Entramos em contato formalmente com Fernando mais tarde no dia seguinte. Poucos dias depois, o negócio foi fechado”, disse Krack em entrevista ao site da Aston Martin.

“Tem havido rumores na mídia de que lhe ofereceram coisas como o status de número um e um salário enorme, mas posso garantir que Fernando não está fazendo isso nem pelo status nem pelo salário”.

Alonso - para Aston car.jpg
Alonso deixa a Alpine pela Aston Martin no final de 2022, enquanto Vettel deixa a F1

“Claro que o pacote tem que ser compatível com um piloto do calibre e experiência de Fernando, mas a velocidade com que o acordo foi feito diz que coisas como salário ou detalhes do acordo não foram os principais motivadores para Fernando”.

“O que convenceu Fernando é a oportunidade de fazer parte de uma equipe que está progredindo e onde ele pode causar um impacto real”.

A equipe anteriormente conhecida como Force India e Racing Point tem grandes esperanças de montar um desafio no campeonato, à medida que expandem sua fábrica em Silverstone e contratam pessoal mais talentoso. De acordo com Krack, essa aspiração ajudou a influenciar Alonso.

“Fernando é uma máquina – uma máquina de corrida. Ele está totalmente focado nas corridas. Ele está determinado a se apresentar e competir ao mais alto nível e vê a Aston Martin F1 como a equipe que lhe permitirá fazer isso”, continuou o chefe da Aston Martin.

“Fernando vê o potencial da equipe – as novas instalações que estamos construindo, as pessoas que estamos contratando, o investimento que está sendo feito, os passos que a marca Aston Martin está dando – e ele vê isso como uma oportunidade,”.

“Aston Martin F1 é a melhor oportunidade para ele alcançar suas ambições”.

Krack, no entanto, admitiu que sua equipe não atingiu seus objetivos na temporada passada, quando terminou em sétimo no campeonato com 77 pontos, nem nesta temporada, pois está em nono com 20 pontos após 13 GPs.

“Eu não descartaria a possibilidade de que haja muitos anos pela frente juntos, se pudermos fazer o progresso que precisamos com a competitividade do carro”, disse ele.

“Tivemos um desempenho inferior como equipe na temporada passada e nesta temporada; sabemos que devemos entregar um carro de vanguarda”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, tornando-se um assinante você está contribuindo para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio! Duna Press Jornal e Magazine, mídia livre e independente trabalhando a informação com ética e respeito ao leitor. Notícias, oportunidades e negócios, seu portal nórdico em português.

Assinatura Anual
Assinatura Anual

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »