fbpx
Esportes

Zagueira-artilheira do Brasil leva Bola de Bronze do Mundial sub-20

Compartilhar

Tarciane brilhou pela seleção que conquistou o 3º lugar na Costa Rica.

A zagueira Tarciane foi a protagonista da goleada sobre a Holanda, por 4 a 1, no estádio Nacional de San José (Costa Rica), que assegurou à seleção brasileira o terceiro lugar no Campeonato Mundial sub-20 feminino. No último domingo (28), a defensora do Corinthians perdeu um pênalti no primeiro tempo, mas balançou as redes duas vezes na etapa final, sendo uma delas de bicicleta.

A jogadora de 19 anos encerrou a competição como artilheira do Brasil, com três gols. Além disso, foi eleita a terceira melhor atleta do Mundial e ganhou a Bola de Bronze, atrás somente da meia espanhola Inma Gabarro (Prata) e da atacante japonesa Maika Hamano (Ouro).

“Eu fico muito feliz. Estou no caminho certo, com as pessoas certas e no momento certo. Papai do Céu me abençoou. Ser artilheira do Brasil é uma honra. É sempre um prazer fazer gol pela seleção brasileira”, declarou Tarciane em vídeo divulgado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

“Quando acontece o [segundo] pênalti, as meninas já abriram um corredor para eu passar e falaram: ‘você vai fazer’. Eu tenho uma confiança muito alta. Procurei me acalmar, tomar o controle da situação. Com a confiança do grupo, consegui fazer o gol”, recordou a defensora.

Além de Tarciane, a lateral Ana Clara e a atacante Gi Fernandes marcaram os gols brasileiros diante da Holanda, que marcou com a meia Rosa van Gool. O terceiro lugar na Costa Rica é a melhor campanha do Brasil na história do Mundial sub-20 feminino, igualando o desempenho de 2006, quando a seleção que teve futuras medalhistas olímpicas, como a zagueira Erika, a lateral Fabi Simões e as ex-jogadoras Francielle, Renata Costa e Maurine, também alcançou o bronze.

A trajetória brasileira teve início com um empate sem gols diante da Espanha (que foi a campeã mundial da categoria ao vencer o Japão por 3 a 1). Em seguida, a equipe dirigida por Jonas Urias bateu a Austrália (2 a 0) e as anfitriãs costarriquenhas (5 a 0), ficando na segunda posição do Grupo A. Nas quartas de final, o Brasil fez 1 a 0 na Colômbia. Na semifinal, a derrota por 2 a 1 para o Japão, após uma segunda etapa de muita pressão verde e amarela, adiou o sonho do título inédito. Dor amenizada com o triunfo para cima das holandesas.

“Acho que [a campanha] foi para coroar nosso trabalho. Queríamos a medalha de ouro, mas, se Deus nos quis como a terceira melhor seleção do mundo, temos que aceitar. Conseguimos cumprir nosso papel, que era chegar ao pódio”, analisou Tarciane.

Fonte: Agência Brasil


Seu apoio é importante, tornando-se um assinante você está contribuindo para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio! Duna Press Jornal e Magazine, mídia livre e independente trabalhando a informação com ética e respeito ao leitor. Notícias, oportunidades e negócios, seu portal nórdico em português.

Assinatura Anual
Assinatura Anual

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »