fbpx
News

Para o jornalista espanhol Jesus Villanueva, Jair Bolsonaro é a última barragem de contenção contra o comunismo na America Latina

Compartilhar

Caso Jesus Villanueva tivesse residencia no Brasil, estaria sendo preso e apaleado nos calabouços da Gestapo brasileira liderada pelo advogado do narcotráfico Alexandre de Moraes com a conivência de milhões de contribuintes, apenas por “expor” as verdades…// – (Fd. Paulo Barros)

Por que Jair Bolsonaro foi (e deve continuar sendo) uma barragem de contenção na América Latina contra o comunismo e a Agenda 2030?

Porque Jair Bolsonaro defende a família; liberdade religiosa; a defesa da infância, evitando a doutrinação das crianças na ideologia de gênero; a independência e soberania da Nação brasileira (que inclui a soberania na política econômica e social) e, portanto, a defesa dos interesses de seu povo, contra interferências estrangeiras. E dada a relevância do Brasil na área, Bolsonaro é, hoje, a última fortaleza para defender os princípios fundamentais, pilares de uma sociedade saudável, da nação soberana em que seu povo vive em liberdade, tudo o que pretende arrebatar. de nós a criminosa Agenda 2030 pelo menos no Ocidente, e no Brasil e na América Latina, em toda a pátria ibero-americana, que as potências anglo-saxônicas mais sombrias sempre quiseram desunir.

Jesus Villanueva Jimenez

Jair Bolsonaro, a última barragem de contenção contra o comunismo na America Latina e a execrável Agenda 2030 | Por Jesus Villanueva Jimenez 01.09.2022

No dia 2 de outubro serão realizadas eleições gerais no Brasil, com a presença do atual presidente, Jair Bolsonaro, e do ex-presidente Lula da Silva.

Bolsonaro tornou-se presidente do Brasil e essa deflação é resultado, fundamentalmente, da queda nos preços de bebidas e alimentos (1,3%); em transportes, em energia elétrica; e em combustíveis (não menos de 15% abaixou o último). Sem dúvida, a escolha do Presidente para a Carteira de Finanças foi acertada, pois Paulo Guedes (que também assumiu os ministérios da Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão e Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e áreas muito sensíveis do Ministério do Trabalho) foi bem sucedido em todas as suas decisões. Uma aliança magnífica, sem dúvida. 1º de janeiro de 2019. Naquela época, o povo brasileiro estava mergulhado no desespero, dado seu descontentamento generalizado com a classe política, sua corrupção desenfreada, o crescimento do crime (além da violência urbana) e uma crise econômica que os empobreceu muito.

Sob a presidência de Bolsonaro, o Brasil alcançou melhorias sociais e econômicas como nunca antes, pelo menos em muitas décadas. A partir de uma inflação de 10%, a partir de agosto de 2022, os brasileiros se beneficiam de uma inflação de -0,68%, a maior queda desde 1980 (em julho, na Espanha chegamos a 10,8%; na ​​Colômbia, 10’2%; no Chile , 13,1%; na ​​Argentina, 71%; no Peru, 5,6%; nos EUA, 8,5%; no Canadá, 8,1%; a média da União Europeia, 9,8%).

Essa deflação é resultado, fundamentalmente, da queda nos preços de bebidas e alimentos (1,3%); em transportes, em energia elétrica; e em combustíveis (não menos de 15% abaixou o último). Sem dúvida, a escolha do Presidente para a Carteira de Finanças foi acertada, pois Paulo Guedes (que também assumiu os ministérios da Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão e Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e áreas muito sensíveis do Ministério do Trabalho) foi bem sucedido em todas as suas decisões. Uma aliança magnífica, sem dúvida.

Enquanto os Estados membros da União Européia, ajoelhados, cederam aos ditames dos Estados Unidos —como vêm fazendo há décadas, inclusive contra os interesses dos europeus—, em relação ao conflito russo-ucraniano, com a conseqüente conhecida crise energética, Bolsonaro fez prevalecer a soberania nacional, priorizando em suas decisões a melhor política energética possível, o que tem sido um enorme benefício para seu povo, o que se reflete nessa deflação. Com o Paraguai, por exemplo, (da energia gerada pela hidrelétrica binacional de Itaipu), o atual contrato de fornecimento de energia elétrica foi aprimorado, com desconto de 8,2%, passando de 22,60 dólares/kw para 20 $,75/kw; o primeiro desde 2009. Embora esse sucesso econômico se baseie principalmente em duas questões fundamentais: a redução dos gastos públicos, bem como a redução da carga tributária. A primeira levou a um superávit fiscal —a arrecadação de impostos supera o gasto público—, o que permitiu reduzir a carga tributária, que sobre os combustíveis (com tudo o que isso tem sobre o comércio, os serviços etc.) zero, o que levou a uma diminuição do preço mencionado acima. É claro que essa abordagem levou a um aumento do poder de compra dos brasileiros, que tem aumentado o consumo, o que também motiva o aumento da fabricação de bens e a utilização de serviços e, consequentemente, o aumento do emprego (a taxa de desemprego caiu em junho para 8,9%, a menor desde 2015, apesar das enormes dificuldades decorrentes da paralisações de produção causadas pela mal nomeada covid-pandemia, que representa um aumento no número de empregos de 9,5%, já perto de 100 milhões de brasileiros com trabalho). Com tudo isso, o Brasil projeta um crescimento de 2% até 2022. A proposta eleitoral de Bolsonaro mantém em continuar reduzindo os gastos públicos, enquanto Lula da Silva propõe eliminar o teto para esse conceito, o que aumentaria a dívida, inflação, desemprego, etc., como o bom comunista que é. o que também motiva o aumento da fabricação de bens e da utilização de serviços e, consequentemente, o aumento do emprego (a taxa de desemprego caiu para 8,9% em junho, a menor desde 2015, apesar das enormes dificuldades decorrentes das paralisações da produção causadas pelo covid-pandemia, que representa um aumento no número de empregos de 9,5%, já perto de 100 milhões de brasileiros com trabalho). Com tudo isso, o Brasil projeta um crescimento de 2% até 2022. A proposta eleitoral de Bolsonaro mantém em continuar reduzindo os gastos públicos, enquanto Lula da Silva propõe eliminar o teto para esse conceito, o que aumentaria a dívida, inflação, desemprego, etc., como o bom comunista que é. o que também motiva o aumento da fabricação de bens e da utilização de serviços e, consequentemente, o aumento do emprego (a taxa de desemprego caiu para 8,9% em junho, a menor desde 2015, apesar das enormes dificuldades decorrentes das paralisações da produção causadas pelo covid-pandemia, que representa um aumento no número de empregos de 9,5%, já perto de 100 milhões de brasileiros com trabalho). Com tudo isso, o Brasil projeta um crescimento de 2% até 2022. A proposta eleitoral de Bolsonaro mantém em continuar reduzindo os gastos públicos, enquanto Lula da Silva propõe eliminar o teto para esse conceito, o que aumentaria a dívida, inflação, desemprego, etc., como o bom comunista que é. e consequentemente o aumento do emprego (a taxa de desemprego caiu para 8,9% em junho, a mais baixa desde 2015, apesar das enormes dificuldades decorrentes das paragens de produção provocadas pela mal denominada covid-pandemia, o que significa um aumento do número de postos de trabalho de 9,5 %, já perto de 100 milhões de brasileiros com trabalho). Com tudo isso, o Brasil projeta um crescimento de 2% até 2022. A proposta eleitoral de Bolsonaro mantém em continuar reduzindo os gastos públicos, enquanto Lula da Silva propõe eliminar o teto para esse conceito, o que aumentaria a dívida, inflação, desemprego, etc., como o bom comunista que é. e consequentemente o aumento do emprego (a taxa de desemprego caiu para 8,9% em junho, a mais baixa desde 2015, apesar das enormes dificuldades decorrentes das paragens de produção provocadas pela mal denominada covid-pandemia, o que significa um aumento do número de postos de trabalho de 9,5 %, já perto de 100 milhões de brasileiros com trabalho). Com tudo isso, o Brasil projeta um crescimento de 2% até 2022. A proposta eleitoral de Bolsonaro mantém em continuar reduzindo os gastos públicos, enquanto Lula da Silva propõe eliminar o teto para esse conceito, o que aumentaria a dívida, inflação, desemprego, etc., como o bom comunista que é. o que representa um aumento no número de empregos de 9,5%, perto de 100 milhões de brasileiros com trabalho). Com tudo isso, o Brasil projeta um crescimento de 2% até 2022. A proposta eleitoral de Bolsonaro mantém em continuar reduzindo os gastos públicos, enquanto Lula da Silva propõe eliminar o teto para esse conceito, o que aumentaria a dívida, inflação, desemprego, etc., como o bom comunista que é. o que representa um aumento no número de empregos de 9,5%, perto de 100 milhões de brasileiros com trabalho). Com tudo isso, o Brasil projeta um crescimento de 2% até 2022. A proposta eleitoral de Bolsonaro mantém em continuar reduzindo os gastos públicos, enquanto Lula da Silva propõe eliminar o teto para esse conceito, o que aumentaria a dívida, inflação, desemprego, etc., como o bom comunista que é.

Condenação e prisão de Lula da Silva

Lula da Silva foi condenado, em julho de 2017, a 9 anos e meio de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro , durante seu mandato entre 2003 e 2010. Após essa investigação, chamada de operação Lava Jato(Operação Lava Jato, assim chamada porque teve início em um desses estabelecimentos), um tribunal de primeira instância de Curitiba, presidido pelo juiz Sergio Moro, concluiu que havia sido criada uma rede de corrupção entre grandes empresas brasileiras, que concordaram em distribuir entre eles os contratos multimilionários da petroleira estatal Petrobras, subornando políticos e altos funcionários desta última. A Justiça condenou Lula por aceitar propina de 1,1 milhão de dólares da construtora OAS, uma das empresas envolvidas na trama, além de considerar que o ex-presidente teve “papel relevante na trama criminosa”, uma vez que foi aquele que indicou os CEOs da Petrobras, entre outras circunstâncias.

À época, a presidente da Petrobras era Dilma Rousseff, aluna de Lula, que, como bem sabemos, mais tarde ocupou a Presidência do Estado, de 1º de janeiro de 2011 a 31 de agosto de 2016, data em que foi demitida. pelo Senado, condenada por “crime de responsabilidade”, ao ordenar aumento de gastos públicos durante a campanha para sua reeleição, em 2014, sem a necessária autorização do Congresso.

Em março de 2021, o magistrado do Supremo Tribunal Federal do Brasil, Edson Fachin – amigo de Dilma Rousseff, que o nomeou para esse cargo em 2014 – decidiu que o tribunal que julgou Lula da Silva não era competente e, consequentemente, anulou quatro processos, que, além de reconquistar sua liberdade, permitiram a Lula concorrer às próximas eleições. Ou seja, por um defeito formal, Lula foi solto, o que não o torna inocente das acusações . Esta circunstância foi especialmente celebrada pelos líderes da extrema esquerda comunista sul-americana, centro-americana e caribenha, que diariamente saqueiam seus povos além de subjugá-los, como os tiranos Nicolás Maduro, Daniel Ortega, Miguel Díaz- Canel, entre outros da mesma merda.

Hoje a maior parte da América Latina está nas mãos da extrema esquerda criminosa, com o recente desembarque do peruano Pedro Castillo; o chileno Gabriel Boric; O colombiano Gustavo Petro, ex-narcoterrorista do M-19. Essa extrema esquerda narcocomunista que traz miséria, fome, opressão, caos, ausência de liberdade ao povo. Aquele carcocomunismo administrado pelos tiranos que engordam suas contas bancárias na Suíça. Aquele narco-comunismo que deixa suas nações à beira da fome. Veja onde, circunstâncias em que as corporações empresariais anglo-saxônicas nadam como peixes na água, especialmente as norte-americanas, com seus bancos, seus fundos de investimento e toda a enorme frota de empresas que vampirizam os recursos naturais, agrícolas e minerários desses nações desgraçadas, impondo o poder do dólar, acabando com as competições locais, se necessário, essas empresas protegidas pela política externa dos governos no poder (fazendo um parêntese prudente nos quatro anos de presidência de Donald Trump). Que ninguém tenha a menor dúvida de que o novo comunismo, o marxismo cultural, é um grande aliado das elites criminosas que puxam as cordas do mundo, aquelas determinadas a estabelecer a “Nova Ordem Mundial”, as mesmas que ditaram a Agenda 2030 , onde se afirma descaradamente: “Você não terá nada e será feliz”, aqueles que saqueiam a Ibero-América há 200 anos. Porque a nova esquerda, em toda a América e Europa, hasteia a mesma bandeira progressista que o globalismo empunha: políticas ultrafeministas; as alianças com grupos LGTBI e a doutrinação, especialmente de menores, em Ideologia de Gênero; aborto sob demanda, indiscriminadamente (já o genocídio mais hediondo da história); o aniquilamento da família como unidade básica, pilar fundamental da sociedade; o ambientalismo como uma nova religião, com seu aquecimento global, mudanças climáticas e novas energias, falsamente chamadas de não poluentes, cuja implementação precipitada arruinará os povos; multiculturalismo calejado e suas políticas de portas abertas à imigração ilegal e descontrolada; indigenismo sem sentido, baseado na falsa lenda negra anti-espanhola, difundida principalmente pelos protestantes anglo-saxões (e hoje mantêm) e difundida pela esquerda, com Bergoglio à frente, incluindo no pacote a destruição das religiões tradicionais (mas com o islamismo não se atrevem), especialmente com a católica, com Bergoglio à frente, repito. Aí temos a perseguição aos católicos que o sanguinário Ortega aumentou recentemente na Nicarágua, enquanto Bergoglio pede “um diálogo aberto e sincero”, como toda ocorrência, depois de muito pensar, enquanto o criminoso centro-americano aprisiona padres e bispos. E a tudo isso somamos a extrema doutrinação da população pelo controle absoluto da mídia: cidadãos assustados e confusos. cidadania do sujeito; cidadania servil; cidadãos que agradecem ao carrasco quando ele afrouxa um pouco a corda do pescoço, para depois apertar a porca que desata os pés; cidadania disposta a apontar o dissidente que defende a liberdade perdida ou em vias de extinção. Já vimos durante o confinamento ilegal em tempos daquela suposta pandemia, os informantes gritando das varandas. É outro objetivo, desunir os povos, ou melhor, enfrentá-los.

A chamada nova esquerda, Lula da Silva, Ortega, Maduro e companhia, perseguem o mesmo que o empório de psicopatas que buscam estabelecer uma nova ordem mundial, cujos bancos norte-americanos e europeus manterão suas fortunas, roubadas do povo .

Relembremos como o candidato ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva entrou na arena política internacional.

Foi quando foi fundado, em 1990, o Fórum de São Paulo (I Encontro de Partidos e Organizações de Esquerda da América Latina e Caribe), por iniciativa de Fidel Castro e do próprio Lula. O objetivo deste fórum não era outro senão estabelecer alianças de partidos e grupos de esquerda (incluindo terroristas assassinos) para expandir o comunismo na América Latina e consolidá-lo, uma vez que a União Soviética caiu. Valeria Insfran Michelagnoli explica perfeitamente, em seu artigo intitulado O Pacto de Princeton, uma aliança para a miséria e a subjugação (artigo facilmente encontrado na Internet) .Como afirma Valéria nele: “Vale citar alguns partidos políticos que fizeram parte das delegações, para medir o verdadeiro caráter revolucionário e violento do Fórum de São Paulo, desde a sua fundação.

Entre os mais destacados, Partido Comunista Argentino, Partido da Intransigência Revolucionária, Partido Revolucionário dos Trabalhadores. Pela Bolívia: Eixo da Convergência Patriótica e o Partido Comunista Boliviano. Partido dos Trabalhadores (PT Brasil), Partido Comunista do Brasil, Partido Comunista Brasileiro, Partido Democrático dos Trabalhadores, Partido Socialista Brasileiro. Partido Comunista Colombiano e União Patriótica (as FARC foram criadas pelo Partido Comunista Colombiano e a União Patriótica foi o primeiro partido político dos narcoterroristas). O Partido Comunista do Chile e o Movimento de Esquerda Revolucionária (MIR). O Partido Comunista Cubano. Para El Salvador, Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMNL). Partido Comunista do Equador, Partido Socialista do Equador. Para o México: Partido da Revolução Democrática e Partido Popular Socialista. Pelo Paraguai: Corriente Patria Libre, braço político dos terroristas do PPE e do Partido Comunista Paraguaio. Partido Comunista Peruano, Partido Mariateguista Unificado e Partido Comunista Revolucionário. Partido Comunista Dominicano. Pelo Uruguai: Frente Ampla, MLN Tupamaros, Frente de Libertação de Esquerda, Movimento Revolucionário Oriental, Movimento 26 de Março. Partido Comunista da Venezuela Causa». Total de 48 delegações de 14 países. Acho que depois de ler quais jogos e MLN Tupamaros, Frente de Libertação de Esquerda, Movimento Revolucionário Oriental, Movimento 26 de Março. Partido Comunista da Venezuela Causa». Total de 48 delegações de 14 países. Acho que depois de ler quais jogos e MLN Tupamaros, Frente de Libertação de Esquerda, Movimento Revolucionário Oriental, Movimento 26 de Março. Partido Comunista da Venezuela Causa». Total de 48 delegações de 14 países. Acho que depois de ler quais jogos e grupos terroristas participaram da reunião de fundação do Fórum de São Paulo, a intenção nefasta dessa reunião dificilmente poderia ser posta em dúvida.

A ligação entre a nova esquerda narcocomunista, da qual Lula da Silva pertence (aliás, também Rodríguez Zapatero e membros proeminentes do Podemos), e os deformadores capitalistas da nefasta Nova Ordem Mundial torna-se bastante clara quando você aprende sobre o -chamado Pacto de Princeton . Este foi assinado em 1993 entre Fernando Henrique Cardozo, também brasileiro (mais tarde, em 1993, Ministro das Relações Exteriores), em nome da organização Diálogo Interamericano, e Lula da Silva, em nome do Fórum de São Paulo. O que é o Diálogo Interamericano? Um think tank (think tanks, uma maneira eufemística de chamar o que é um antro de especuladores sem escrúpulos) fundado nos EUA Embora se definam no cabeçalho de seu site tão benevolentes quanto algumas Ursulinas: « O Diálogo Interamericano envolve nossa rede de líderes mundiais para promover a governança democrática, a prosperidade e a equidade social na América Latina e no Caribe. Juntos, trabalhamos para moldar o debate político, conceber soluções e melhorar a cooperação no Hemisfério Ocidental.” Há mais descaramento; mais cinismo? Dos membros mais destacados do Diálogo Interamericano, vale destacar o clã Rockefeller (um dos principais apoiadores da Agenda 2030); o opaco e sinistro Grupo Bilderberg; a família Bush (e suas guerras genocidas); Henry Kissinger, autor do relatório de 1974 que leva seu nome, onde afirma: “Devem ser mudados os preceitos religiosos e culturais dos povos que inviabilizam as políticas de controle de natalidade. Os responsáveis ​​pela implementação dessas políticas devem ser os mesmos nativos dos países, anteriormente reeducados nos países do Norte. Nenhum país reduziu sua população sem recorrer ao aborto» (e as clínicas de aborto da Planned Parenthood, de propriedade dos Rockefellers, continuam a ganhar dinheiro); o todo-poderoso Federal Reserve dos EUA; além de universidades e instituições anglo-saxônicas, como o The English Royal Institute, atualmente vinculado à Agenda 2030. autor do relatório de 1974 que leva seu nome, onde afirma: «Devem ser mudados os preceitos religiosos e culturais dos povos que inviabilizam as políticas de controle da natalidade. Os responsáveis ​​pela implementação dessas políticas devem ser os mesmos nativos dos países, anteriormente reeducados nos países do Norte. Nenhum país reduziu sua população sem recorrer ao aborto» (e as clínicas de aborto da Planned Parenthood, de propriedade dos Rockefellers, continuam a ganhar dinheiro); o todo-poderoso Federal Reserve dos EUA; além de universidades e instituições anglo-saxônicas, como o The English Royal Institute, atualmente vinculado à Agenda 2030. autor do relatório de 1974 que leva seu nome, onde afirma: «Devem ser mudados os preceitos religiosos e culturais dos povos que inviabilizam as políticas de controle da natalidade. Os responsáveis ​​pela implementação dessas políticas devem ser os mesmos nativos dos países, anteriormente reeducados nos países do Norte.  Nenhum país reduziu sua população sem recorrer ao aborto» (e as clínicas de aborto da Planned Parenthood, de propriedade dos Rockefellers, continuam a ganhar dinheiro); o todo-poderoso Federal Reserve dos EUA; além de universidades e instituições anglo-saxônicas, como o The English Royal Institute, atualmente vinculado à Agenda 2030. Os responsáveis ​​pela implementação dessas políticas devem ser os mesmos nativos dos países, anteriormente reeducados nos países do Norte. Nenhum país reduziu sua população sem recorrer ao aborto» (e as clínicas de aborto da Planned Parenthood, de propriedade dos Rockefellers, continuam a ganhar dinheiro); o todo-poderoso Federal Reserve dos EUA; além de universidades e instituições anglo-saxônicas, como o The English Royal Institute, atualmente vinculado à Agenda 2030. Os responsáveis ​​pela implementação dessas políticas devem ser os mesmos nativos dos países, anteriormente reeducados nos países do Norte. Nenhum país reduziu sua população sem recorrer ao aborto» (e as clínicas de aborto da Planned Parenthood, de propriedade dos Rockefellers, continuam a ganhar dinheiro); o todo-poderoso Federal Reserve dos EUA; além de universidades e instituições anglo-saxônicas, como o The English Royal Institute, atualmente vinculado à Agenda 2030.

A reunião foi coordenada por Warren Christopher, então secretário de Estado de Bill Clinton, o que mostra que aquela reunião respondeu aos interesses da própria Casa Branca, ou, o que dá no mesmo, dos poderes das trevas que colocam e afastam presidentes de muitas décadas atrás , com exceção de Trump. Com o Pacto de Princeton , o apoio da mais voraz e implacável potência capitalista ianque aos governos narcocomunistas ibero-americanos (assim como aos candidatos comunistas a eles), como o de Lula da Silva, foi pretendido e alcançado, sintetizando muito. e hoje são os de Nicolás Maduro, Daniel Ortega, Pedro Castillo, Gabriel Boric e outros, em troca da submissão dos povos ibero-americanos, incluindo o do Brasil, que em breve irá às urnas.

Lula da Silva é um lacaio a serviço dos interesses dos muito poderosos que puxam as cordas do mundo. Ele é o capanga necessário para que o Brasil – seus recursos, sua economia, seu povo – seja administrado pelas potências que buscam estabelecer uma nova ordem mundial. Por isso Lula tem o apoio descarado e grosseiro da maioria dos grandes meios de comunicação do mundo, inclusive os brasileiros, porque pertencem aos mesmos globalistas. Seis grandes empórios de comunicação administram 70% desse negócio no mundo: Time Warner, Disney, NewsCorp, NBC Universal, Viacom e CBS, nada menos que 80% da audiência audiovisual, a serviço do cumprimento da Agenda 2030; assim como os donos de redes sociais e empresas de tecnologia, como Facebook, Twitter, Google, etc. Todos do mesmo terno.

É impressionante observar como grande parte da grande mídia postula descaradamente, em suas informações sobre a campanha eleitoral brasileira, o ex-presidiário Lula da Silva, mencionando permanentemente Bolsonaro como um “candidato de extrema direita”, com a mais perversa intenção. Assim como os colegas e comentaristas fazem nos programas de televisão.

Mas é ainda mais espantoso ler em alguma (valente) imprensa brasileira sobre um magistrado do Supremo Tribunal Federal (Supremo Tribunal de Justiça da Espanha), Alexandre de Moraes, o seguinte: «Alexandre de Moraes persegue Bolsonaro e seus aliados. Entre os objetivos estão o cantor sertanejo Sérgio Reis, o deputado Otoni de Paula (PSC-RJ) e Alexandre Urbano Raitz Petersen, presidente da Coalizão Pró-Civilização”, Jornal da Cidade, 30 de agosto de 2022; em MUNDO-ED, 1º de agosto de 2022, «O juiz Alexandre de Moraes ordenou que o Facebook suspendesse as contas de 12 aliados de Bolsonaro, e a rede Twitter cancelasse outras 16 contas. A rede social Facebook condenou neste sábado o que chamou de uma decisão “extrema” de um juiz do Supremo Tribunal Federal que ordenou que ele bloqueasse as contas de 12 aliados de alto nível do presidente Jair Bolsonaro, ao qual prometeu apelar.  “Esta nova ordem jurídica é extrema, representa uma ameaça à liberdade de expressão fora da jurisdição do Brasil e conflita com leis e jurisdições ao redor do mundo”, disse o Facebook em comunicado. já seja arbitrário. Essa circunstância é mais preocupante quando observo (anteriormente relatado por um jurista do Brasil) que Moraes atribui poderes ao Ministério Público para exercer essa “perseguição”. Como é possível? Mas aqui não é o caso, o mais perturbador é que esse mesmo magistrado, Alexandre de Moraes, também é presidente do Tribunal Superior Eleitoral, indicado por Michel Temer, parceiro de governo de Dilma Rousseff, que assumiu a presidência quando ela foi demitida .

Por que Jair Bolsonaro foi (e deve continuar sendo) uma barragem de contenção na Ibero-América contra o comunismo e a Agenda 2030?

Porque Jair Bolsonaro defende a família; liberdade religiosa; a defesa da infância, evitando a doutrinação das crianças na ideologia de gênero; a independência e soberania da Nação brasileira (que inclui a soberania na política econômica e social) e, portanto, a defesa dos interesses de seu povo, contra interferências estrangeiras. E dada a relevância do Brasil na área, Bolsonaro é, hoje, a última fortaleza para defender os princípios fundamentais, pilares de uma sociedade saudável, da nação soberana em que seu povo vive em liberdade, tudo o que pretende arrebatar. de nós a criminosa Agenda 2030 pelo menos no Ocidente, e no Brasil e na América Latina, em toda a pátria ibero-americana, que as potências anglo-saxônicas mais sombrias sempre quiseram desunir.

A verdade é que, embora as pesquisas eleitorais do final de agosto mostrem Lula como vencedor, com média de 6 a 7 pontos percentuais sobre Bolsonaro, as ruas dizem algo muito diferente. Multidões de brasileiros assistem aos atos eleitorais de Bolsonaro; as ruas adjacentes ao local de seu discurso tornam-se intransitáveis ​​com o acúmulo de homens e mulheres transbordando de entusiasmo pelo presidente, agitando bandeiras nacionais. As imagens que me chegam do Brasil dizem que o povo está com Bolsonaro. Lula teve que adiar alguns eventos por falta de público suficiente para uma foto vendável, e as pessoas ainda o repreendem na rua, recriminando-o por seu passado corrupto. Bolsonaro é aplaudido com entusiasmo, aplaudido e seguido por centenas de milhares em comícios; Milhões de brasileiros participam dos atos eleitorais e de qualquer aparição pública de seu atual presidente. E isso não é exagero, pois basta navegar na internet para ver as imagens de milhares de motociclistas seguindo, escoltando, outro motociclista chamado Jair Bolsonaro. A vitória de Bolsonaro no Brasil será, espero, um impulso fundamental à causa da liberdade, da soberania da Nação brasileira, e uma barragem de contenção contra o comunismo e a execrável Agenda 2030, na Ibero-América e também na Europa. , onde tanto precisamos, como respirar, de referências que nos inspirem esperança. outro motociclista chamado Jair Bolsonaro. A vitória de Bolsonaro no Brasil será, espero, um impulso fundamental à causa da liberdade, da soberania da Nação brasileira, e uma barragem de contenção contra o comunismo e a execrável Agenda 2030, na Ibero-América e também na Europa. , onde tanto precisamos, como respirar, de referências que nos inspirem esperança. outro motociclista Jesus Villanueva Jimenezchamado Jair Bolsonaro. A vitória de Bolsonaro no Brasil será, espero, um impulso fundamental à causa da liberdade, da soberania da Nação brasileira, e uma barragem de contenção contra o comunismo e a execrável Agenda 2030, na Ibero-América e também na Europa. , onde tanto precisamos, como respirar, de referências que nos inspirem esperança.  

Fonte: AFAN.ES por Jesus Villanueva Jimenez

Print Friendly, PDF & Email

Paulo Fernando de Barros

CEO em BAP Duna Gruppen, fundador e editor em Duna Press Jornal e Magazine.
Botão Voltar ao topo
Translate »