fbpx
News

PMV alerta para riscos de incêndios por tempo seco e pede ajuda da população

Compartilhar

Os incêndios nas vegetações dos bairros Universitário, Inhanguetá e regiões vizinhas chegaram ao caminho principal do Parque da Fonte Grande. Nos bairros, o Corpo de Bombeiros combateu o fogo e no Parque, as equipes estão firmes na luta contra o fogo.

A Prefeitura de Vitória, junto à Inteligência da Guarda, está investigando e buscando identificar se os incêndios são criminosos. Por isso, qualquer morador que tenha informações sobre casos como esse, podem ligar para o telefone 156.

“Estamos em trabalho conjunto com a Polícia e uma pessoa já foi identificada em relação ao incêndio criminoso e o caso segue em investigação. Agora é aguardar os trâmites legais”, comentou o secretário de Meio Ambiente, Tarcísio Foeger.

Incêndio na vegetação dos bairros Universitário, Inhanguetá e Parque da Fonte Grande
Tempo seco e incêndios

O tempo seco, combinado com outros fatores, como ventos fortes e vegetação seca, aumenta o risco de incêndios em áreas de mata de Vitória. Diferente de outros anos, 2022 tem se mostrado atípico, já que o período de maior estiagem, que normalmente se estende de agosto a setembro, neste ano, teve início ainda no mês de julho.

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam), mantém o monitoramento de todas as áreas verdes do município e equipes de vigilantes florestais, que são treinados e atuam como brigadistas nos primeiros combates aos incêndios florestais. Entretanto, a colaboração da população é fundamental, no sentido de não atear fogo em nenhum local e, também, fazendo de núncias caso verifique alguma ocorrência. A Semmam também implantou aceiros nos parques, que consistem em faixas onde a vegetação foi completamente eliminada da superfície do solo, para prevenir a passagem do fogo.

Incêndio na vegetação dos bairros Universitário, Inhanguetá e Parque da Fonte Grande

O Código Municipal de Meio Ambiente do Município de Vitória (Lei Municipal nº 4438/1997), no Artigo 91, Inciso I, venda “a queima ao ar livre de materiais que comprometem de alguma forma o meio ambiente ou a sadia qualidade de vida”. De acordo, ainda, com o Artigo 16, Inciso VII, do Decreto Municipal n. º 10.023/1997, é considerada infração grave “utilizar ou provocar fogo para destruição das formações vegetacionais não consideradas de preservação permanente, nas áreas verdes públicas e particulares com vegetação relevante ou florestadas, nos morros e montes, nas praias, na orla marítima, nos afloramentos rochosos e nas ilhas do Município de Vitória”.

“As condições climáticas de tempo seco ligam um alerta para o risco de incêndios, em regiões como a APA do Maciço central, que é densamente habitada. A Prefeitura de Vitória tem empenhado esforços para se combater os riscos, mas a colaboração da população é essencial”, explica o secretário de Meio Ambiente de Vitória, Tarcísio Foeger.

Na Área de Proteção Ambiental (APA) do Maciço Central, existem unidades de conservação integral que somam mais de 400 hectares, como Parque da Fonte Grande, Parque Natural Municipal Pedra dos Olhos, Parque Natural Municipal Gruta da Onça e Parque Natural Municipal do Vale do Mulembá.

Fonte: Prefeitura de Vitória


Seu apoio é importante, tornando-se um assinante você está contribuindo para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio! Duna Press Jornal e Magazine, mídia livre e independente trabalhando a informação com ética e respeito ao leitor. Notícias, oportunidades e negócios, seu portal nórdico em português.

Assinatura Anual
Assinatura Anual

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »