fbpx
Política

Intervenção

Compartilhar

INTERVENÇÃO – FRAUDE NA ELEIÇÃO – FIM DA GLOBO – TROCA DO STF – RECOMPOSIÇÃO DO SENADO E CÂMARA DOS DEPUTADOS – EMENDA CONSTITUCIONAL PARA SAIR DAS CILADAS – O QUE TEMOS POR VIR? QUAIS SÃO OS TIPOS DE INTERVENÇÕES POSSÍVEIS? ENTENDA

Recomendamos | Após ver todo este artigo, existe atualização de outra matéria do mesmo autor para você degustar: clique aqui.

O que segue prescinde de especialistas das Armas de Comunicação, do Estado Maior, assim como mestres pelo US Army Signal School e SNI – Sistema Nacional de Informações, das Forças Armadas.

Os arquivos apensos são da responsabilidade de seus autores.

Dada a urgência e comoção nacional de indignação diante da questão “fraude” por meio de algoritmo de infantil detecção, nos cumpre a incumbência de dar uma palavra ao povo, ainda que de modo superficial e sem abrir detalhes muito avançados e específicos. Deixamos para altas patentes tal mister.

Colecionamos as mensagens de sábios e pessoas com domínio do assunto e conhecimento aprofundado sobre questões muito acima de urnas, mas de Geopolítica, como isso está ligado às eleições no Brasil, qual é o quadro e reais perspectivas, evitando especulações e pensamentos rasos, típicos de redes sociais e aplicativos mensageiros.

Nunca se esqueça: globalistas adoram a poesia do poder, especialmente quando Ucrânia rima com Amazônia.

•Δαn βεrg•

Não podemos examinar exageradamente a árvore e deixarmos de ver o contexto do bosque por inteiro. A guerra é muito maior do que se pensa. Não deixe de ver todos os detalhes até o final desta matéria.

ELEIÇÕES 2022 | 1º TURNO | ANÁLISE: FRAUDE? QUAL A SOLUÇÃO IMEDIATA?

Afinal, a possibilidade de fraude é mais simples de se praticar em todas as urnas do país ou no programa do computador central e sala-cofre que recebe os dados de absolutamente todas essas urnas para tratar informações e contabilizar resultados? 

•Δαn βεrg•

Veja neste artigo:

  1. TSE NEGA PEDIDO DAS FORÇAS ARMADAS PARA AUDITORIA – QUAL A REPERCUSSÃO DISSO?
  2. FRAUDE NA ELEIÇÃO – POSSIBILIDADES – COLETÂNEA DE VÍDEOS, INSTRUÇÕES, ORIENTAÇÕES, GRÁFICOS, REVELAÇÕES, PONDERAÇÕES
  3. FIM DA GLOBO E DEMAIS EMISSORAS, PLATAFORMAS E COLIGADAS – QUEBRA DOS INSTITUTOS DE PESQUISA
  4. TROCA DO STF
  5. RECOMPOSIÇÃO DO SENADO E CÂMARA DOS DEPUTADOS
  6. EMENDA CONSTITUCIONAL INDICADA PELO PRESIDENTE ELEITO, PARA SAIR DAS CILADAS FUTURAS
  7. EMENDA CONSTITUCIONAL DE URGÊNCIA PARA VOTO IMPRESSO
  8. HOUVE OU NÃO FRAUDE?
  9. URNAS PODEM SER AUDITADAS – AMOSTRAGEM -, MAS NÃO HÁ CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E GARANTIA SOBRE A PROGRAMAÇÃO DO COMPUTADOR DA SALA-COFRE QUE CONTABILIZA OS VOTOS
  10. FALÁCIAS POPULARES, DESESPERO E IGNORÂNCIA DE QUEM PENSA NO RASO, CRITICA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA OU FORÇAS ARMADAS
  11. OS QUATRO EIXOS DAS OPERAÇÕES MILITARES NAS ELEIÇÕES 2022
  12. AUDITORIA PELAS FFAA – É SUFICIENTE? DIFERENÇA ENTRE AUDITORIA DO COMPUTADOR CENTRAL, AUDITORIA DE URNAS, VOTO IMPRESSO AUDITÁVEL E CONTAGEM PÚBLICA TOTAL DOS VOTOS IMPRESSOS
  13. PRESIDENTE BOLSONARO DIZ QUE IRÁ AGUARDAR PARECER DAS FORÇAS ARMADAS SOBRE APURAÇÃO
  14. SOBRE SUSPEITAS OU CRIMES ELEITORAIS EM PONTOS ISOLADOS
  1. TSE NEGA PEDIDO DAS FORÇAS ARMADAS PARA AUDITORIA – QUAL A REPERCUSSÃO DISSO?

TSE nega acordo com as Forças Armadas para apuração paralela das urnas. Ou seja, aceitaram apenas que as FFAA fizessem ACOMPANHAMENTO, mas não APURAÇÃO paralela.

De fato, o Tribunal classificou os militares na mesma condição de qualquer popular, quando deixou para as Forças Armadas a recontagem por meio dos Boletins de Urna – BU.

Entenda:

É lei que cada seção eleitoral imprima o BU – Boletim de Urna, em quantidade de vias suficientes para:

  • Todos os fiscais de partidos ou assessoria de candidatos no local (portanto, elimina o alarmismo de fraude por encontrar vários rolinhos de BUs jogadas em vias públicas, pois está livremente nas mãos desses senhores), e
  • Obrigatória afixação dos BUs de todas as seções no quadro de avisos (chamado véu de noiva, pela aparência com que ficam na parede onde esteja esse quadro) totalmente à disposição do público.

Independentemente dessa possibilidade (consulta pela internet), como ocorre há diversas eleições, QUALQUER interessado poderá ir às seções eleitorais e somar livremente os BUs de uma urna específica, de dez, de trezentas ou de todas as urnas.

TSE (grifo nosso)

O TSE diz com todas as letras e para todos os órgãos de imprensa que qualquer interessado poderá realizar contagem simultânea dos votos por meio dos Boletins de Urnas, logo após o encerramento das eleições.

Novamente, consideram as Forças Armadas como “qualquer interessado”, apenas mais um.

Agrava-se que tais declarações se referem a interessados na conferência paralela dos Boletins de Urnas, mas não acompanhamento ou auditoria ao programa de contagem do Computador Central de Apuração.

Auditar urnas, fazer contagem paralela de Boletins de Urnas e auditar/acompanhar o programa do computador central de apuração, são coisas totalmente diferentes umas das outras. Ou não?

O próprio TSE divulgou nota – fartamente disponível nas plataformas – ressaltando que as Forças Armadas NÃO TERIAM “acesso diferenciado” no acompanhamento da apuração de votos nas eleições de 2022.

Ainda sobre BU e conferência paralela, além da impressão dos BUs (lei antiga), o TSE disponibilizou também aplicativo com QR Code para que qualquer cidadão possa acompanhar os votos de cada seção eleitoral, de uma zona eleitoral, ou de todas do país, conforme cada um possa e queira ter esse trabalho, e conferir se os números totais estão de acordo com a somatória de absolutamente todos os colégios eleitorais do país, conforme cada um queira.

A grande questão é quem vai ter esse trabalho? Os parlamentares e demais políticos eleitos pelo povo vão se preocupar com isso? Vão ter esse trabalho, principalmente depois de eleitos? Os grandes “salvadores da pátria” líderes de movimentos com ideias ufanistas (muitos semeadores de confusões jurídicas e atos à margem da lei) vão agora se levantar e providenciar essa recontagem totalmente possível, com o mesmo nível de preocupação com que propagaram suas pautas de movimentos? Para sua reflexão.

Cuidado com falastrões que chamam atenção para si mesmos e seus movimentos. É hora de o povo acordar e começar perceber a quem esses grupos estão seguindo e ouvindo, e qual a resposta objetiva desses senhores sobre as questões acima, sem rodeios, ataques pessoais, tergiversar, discursos ou narrativas, mas resposta objetiva às simples perguntas supra.

É público e notório que o acesso aos “códigos-fonte” dos programas de urnas foi aberto (disponibilizado) para a sociedade civil, entre eles sindicatos, partidos, associações classistas, Ordem dos Adversários do Brasil, entidades de todas as naturezas, federações empresariais e bancárias.

Todos que solicitaram tiveram oportunidade de acesso em momento e condições estipuladas pelo TSE, muito antes das FFAA, neste caso, mais uma vez comprovado, o Tribunal tratou Forças Armadas como qualquer um, já que qualquer um teve esse mesmo acesso. Ou não é isso?

O TSE disse que iria facilitar ao máximo para que as FFAA tivessem acesso a esses dados – já previstos em lei para toda a população, conforme acima – para recontagem paralela, mas não acesso ao programa que fez a contabilidade final e oficial na sala-cofre de onde saem os boletins para a imprensa.

Ou seja, se qualquer um pode, de fato e de direito, fazer a recontagem pelo exposto acima, o TSE considera as Forças Armadas como esse qualquer um. Ou não é isso?

A competência constitucional é da Justiça Eleitoral. Não houve nenhuma alteração do que foi definido no primeiro semestre, nem qualquer acordo. A novidade implementada neste ano vai ser a publicação dos boletins de urnas pela rede mundial de computadores após o encerramento da votação para acesso amplo e irrestrito de todas as entidades fiscalizadoras e do público em geral.

Declaração do TSE, em nota, reiterada e inalterada desde 12/09/2022.

Obviamente que a imprensa midiática fará de tudo para colocar o Presidente da República contra as Forças Armadas, bem como o povo contra ambos, e vice-versa. Mas não lograrão êxito, por se tratar de estrategistas de guerra, exceto pelo que concerne ao povo, cuja boa parte acredita em tudo que ouve, lê e assiste, e, sem ter conhecimento e certeza da veracidade e procedência dos fatos, ainda por cima sai veiculando e redistribuindo, como verdadeiros plantadores de veneno no próprio terreno e cozinha do acampamento amigo.

  1. FRAUDE NA ELEIÇÃO – POSSIBILIDADES – COLETÂNEA DE VÍDEOS, INSTRUÇÕES, ORIENTAÇÕES, GRÁFICOS, REVELAÇÕES, PONDERAÇÕES

Onde esses senhores estavam até 1⁰/10? Tenho falado isso há tempos encorajando meus amigos e grupos, com base em estudos e números, sem achismos. Humildemente apresentamos dados para trazer ânimo realista ao povo de vitória esmagadora (o que passar disso é fraude). Parabéns, meus colegas de grupo: vocês são todos Ph.D. em Ciência Política, Diplomacia Internacional e Geopolítica, sem precisar de diploma! E agora esses senhores se manifestam com o “especialistas internacionais”? Números são números. Pitacos são pitacos. Antes de 1⁰/10, quantos “especialistas” veicularam sobre isso? Interessante. Entendi. 🤔

•Δαn βεrg•
Entrevista coletiva do Presidente Jair Bolsonaro | 02/10/2022

  1. FIM DA GLOBO E DEMAIS EMISSORAS, PLATAFORMAS E COLIGADAS – QUEBRA DOS INSTITUTOS DE PESQUISA
  1. TROCA DO STF

Conteúdo em vídeo no item 3.

  1. RECOMPOSIÇÃO DO SENADO E CÂMARA DOS DEPUTADOS

CONGRESSO – NOVA COMPOSIÇÃO – Veja também, conteúdo em vídeo no item 3.

Bancada atual do Senado, com os novos 27 eleitos por Estado. Bancadas em número de cadeiras:

  1. EMENDA CONSTITUCIONAL INDICADA PELO PRESIDENTE ELEITO, PARA SAIR DAS CILADAS FUTURAS

O PRESIDENTE, SENDO REELEITO, COM A MAIORIA DO CONGRESSO, PODE INDICAR ALTERAÇÕES DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL – POR EMENDAS CONSITUCIONAIS – PARA EVITAR CILADAS INSTITUCIONAIS, POR EXEMPLO, FORMA DE ELEIÇÃO E MUDANÇA NO QUADRO DO STF – Conteúdo em vídeo no item 3.

  1. EMENDA CONSTITUCIONAL DE URGÊNCIA PARA VOTO IMPRESSO

VOTO IMPRESSO: AINDA É POSSÍVEL?

Certos fatos se repetem, principalmente pelo costume do povo de bater na porta errada, fazer fila no guichê errado e protestar em direção às autoridades erradas.

Não adianta ficar gritando “FRAUDE! FRAUDE! FRAUDE!” O que nós podemos fazer? É muito simples: Nós temos que criar uma pressão popular, que é um vasto movimento popular, para exigir que o CONGRESSO vote em REGIME DE URGÊNCIA uma medida legal que obrigue a eleição de segundo turno a ter o voto impresso. O Congresso pode fazer isso. O Congresso é soberano, só que ele não sabe que é soberano porque está por baixo, está de joelho. Mas aí é a grande ocasião de se levantar e restaurar sua dignidade em 5 minutos. O Congresso pode fazer isso! Por quê? Porque o sistema eleitoral não é cláusula pétrea. Ele pode mudar isso a qualquer momento que queira fazer uma Emenda Constitucional, JÁ, e mudar isso. Ele pode fazer isso numa tarde! O Congresso tem autoridade para fazer isso. E ele deve fazer! Agora, ELE SÓ FARÁ SE O POVO EXIGIR! Então, vamos pras ruas exigir um EMENDA CONSTITUCIONAL votada em REGIME DE URGÊNCIA QUE OBRIGUE O USO DO VOTO IMPRESSO NO SEGUNDO TURNO, senão vai haver fraude de novo! Nós temos que nos unir e PRESSIONAR O CONGRESSO, PARA QUE ELE VOTE, EM REGIME DE URGÊNCIA, QUE OBRIGUE O USO DO VOTO IMPRESSO NO SEGUNDO TURNO.

Prof. Olavo de Carvalho, filósofo, sobre o segundo turno das eleições de 2018.

Por mais controversa que seja essa personalidade inegavelmente icônica, com legião de fãs, assim como multidão de opositores, concentre-se no conteúdo do que é falado, não na pessoa, nesse caso específico. É verdade ou não sua fala?

Dessarte, não está na hora de o povo começar cobrar de seus legisladores, os deputados e senadores, eleitos para fazerem leis, tomarem providências sobre esse assunto?

Não está também na hora desse mesmo povo, que se diz patriota, cristão e conservador de direita, começar cobrar de personalidades que lideram movimentos a que esses senhores cuidem do que deve ser cuidado?

Eis um problema cuja bandeira eles devem erguer. Os pormenores e caminho das pedras estão aí, linhas acima, e no contexto todo desta matéria. Basta quererem agir, na prática, em vez de responderem com narrativas, discursos, acusações, ataques pessoais, ou, como muitos deles têm feito, semeando confusões jurídicas e ideias ufanistas à margem da lei em seus grupos e redes sociais. Se não contém licitude, então é ilícito. Se está à margem da lei, então é ilegal. Se é legal, então é legal, e todos abraçamos a ideia! Certo?

Via de regra não apresentam bases legais, mas apenas discursos e narrativas soberbas, como se fossem os verdadeiros donos da verdade e libertadores da nação, porém, costumeiramente, são desprovidos de alicerce jurídico sólido.

Ainda sobre os tais, se alguém lhes confronta, discorda das ideias ou pede bases do ordenamento jurídico nacional, rapidamente se inflamam e ligam a metralhadora em ataques pessoais, desviando o assunto.

É incrível, não oferecem bases legais, mas se arvoram contra quem mostre implicações pertinentes à lei, às quais não possuem respostas, exceto desferir ataques vazios e que provocam mais confusão do que solução.

Quem sabe não seja realmente esse o verdadeiro propósito deles, causar confusão e balbúrdia, desde que consigam chamar atenção do “povão” com suas notícias “bombásticas” de descoberta da pólvora e triunfalismo barato.

Para eles parece que isso não importa, desde que atraiam populares o suficiente para serem mulas (aqueles que traficam o ilegal ou que não presta – alguns o fazem de graça distribuindo com pacotinhos de imagens e posts e todos os grupos possíveis) e espalham suas mensagens, não fazendo questão da confusão que isso possa causar, desde que suas personalidades e movimentos se destaquem, bem como suas siglas, marcas, e seus boletos sejam pagos por novos adeptos. Trata-se de apenas um sindicalismo e partidarismo com roupagem diferente, dizendo-se de direita, mas com modus operandi idêntico à esquerda.

Começou compreender? De que você tem se alimentado? Você pesquisa informações e bases legais, ou se alimenta delas, da forma como chegam, só porque viu num grupo “patriótico”, achou bonitinhas e verdadeiras, se alimentou delas e saiu jogando essas sementes para todo lado na lavoura, e alimento venenoso entre soldados amigos?

Ninguém está acusando: apenas perguntando! Quem não se enquadra na situação não tem por que usar o chapéu. Certo?

Você é um instrumento pelo qual o inimigo (aplique o plural, se quiser) facilmente usa de suas mãos para acessar a porteira do acampamento amigo, destravar o trinco, e penetrar com suas munições e minas terrestres em forma de mensagens? Já que o inimigo seria muito fácil de ser identificado, ele se utiliza de gente disfarçada ou de ignorantes digitais, certo?

Este tipo de mensagem, e outros alimentos, você demora para compartilhar, mas certas mensagens “bonitinhas” ou “bombásticas” que aguçam a curiosidade popular, você encaminha com dedos ligeiros, mesmo sem certeza de procedência e veracidade ou legalidade dos fatos, é isso?

Infelizmente, boa parte da população ainda se alimenta dos venenos e ideias de “salvadores da pátria”, nutrindo-se na mesa dessa gente. Por outro lado, felizmente, parte considerável do povo já está devidamente vacinado contra os tais.

O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento.

Os.4:6 – ARA
  1. HOUVE OU NÃO FRAUDE?

Poucos se deram conta de que a partir de determinado horário o contador parou apenas para Bolsonaro.

Quando voltou, apenas a porcentagem mudava. E por mudar o número porcentual, quem assistia a telinha ficou com a impressão de que os números também mudavam, pois a porcentagem possuía maior destaque na imagem. Qual o problema? Vejamos:

É óbvio que se o total de votos era atualizado e o porcentual do candidato da esquerda mudava, assim como o porcentual de Bolsonaro também deveria mudar. E, de fato, mudava. Ocorre que apenas o índice porcentual de Bolsonaro mudava, mas seus votos continuaram congelados!

Há quem tenha fotografado (ou “printado” telas) de que a cada 12%, Bolsonaro caia 0,5%, enquanto o outro candidato subia 1%, ou seja, números porcentuais sendo alterados, mas votos de Bolsonaro congelados ou com alterações insignificantes como que para desmascarar algo. Conjecturas ou fatos?

Realmente, é veiculado o que segue:

Abre aspas:

Estou vendo aqui a matemática que percebo agora, antes do resultado “final”.

Estou vendo que está assim:

(A pessoa rapidamente percebeu a ocorrência ainda em andamento!)

Com 12% temos:

  • Bolsonaro 48%
  • Lula 42%

Observem o seguinte:

Pelo que percebo (lógica), SE a cada 12% de apuração, Lula está subindo 1% e Jair Bolsonaro descendo 0,5%, ENTÃO:

  • 12%: JB = 48,0% – L 42,0%
  • 24%: JB = 47,5% – L 43,0%
  • 36%: JB = 47,0% – L 44,0%
  • 48%: JB = 46,5% – L 45,0%
  • 60%: JB = 46,0% – L 46,0%
  • 72%: JB = 45,5% – L 47,0%
  • 84%: JB = 45,0% – L 48,0%
  • 96%: JB = 44,5% – L 49,0%
  • (lógica essa que seguiria até fechar 100% – ocorreu ou não algo nessa semelhança?)

Acompanhem o resultado a cada % que marquei e os totais.

Isto [sic] acontecendo, e se confirmando, é sinal de algoritmo e fraude eleitoral (de percepção a qualquer criança no assunto!).

Fecha aspas.

Ou seja, esses dados foram ditos muito antes de se encerrar a apuração.

Decida: Esse cidadão é louco, e vive de teoria da conspiração, ou está totalmente correto ao mostrar que, ressalvados os detalhes de previsão, o algoritmo por ele previsto, colocado no programa para aumentar parte para um candidato e diminuir para outro, é totalmente verdadeiro e foi nessa toada – ainda que não exata, mas programada (palavrinha mágica), pois ele apenas fez rabiscos no início do que começou observar.

Diga-se de passagem, quem observa o gráfico, percebe como é claro o algoritmo linear infantil.

Por que dizemos infantil? Pelos seguintes motivos:

  1. É infantil porque mostra-se óbvio demais a quem observe a curva visível PROGRAMADA tanto dos números quanto dos gráficos.
  2. É infantil porque quem mandou colocar tal algoritmo tão evidente com o propósito de diminuir o porcentual de Bolsonaro e aumentar para o outro candidato, se esqueceu de de um pequeno detalhe: De mandar colocar o mesmo “bug” infantil na contagem dos votos dos candidatos a outros cargos, bolsonaristas que foram eleitos no Brasil inteiro.

Entenda:

Arredondando, desenhando ou tentando descrever o fato: Grosseiramente,

SE no computador central – sala-cofre (não nas urnas) foi programado para que a cada 12% (ou o que valha) de apuração geral, o total de Bolsonaro seja reduzido em 0,5% e Lula em 1,0%, ao ponto de que ocorreria óbvio empate e superação em determinado instante, porém esse mesmo algoritmo não foi colocado nos candidatos bolsonaristas do Brasil todo,

ENTÃO, isso significa que a maior parte dos brasileiros que foram votar deram vitória absurdamente expressiva a candidatos aliados ao presidente (ou ainda que não declaradamente aliados ao PR, mas que se declararam inimigos da esquerda), todavia, o mesmo eleitor que votou nesses candidatos bolsonaristas se esqueceu de votar em Bolsonaro? Pronto, desenhado!

Certamente haverá pessoas com capacidade suficiente para transformar o parágrafo acima em charges e vídeos explicativos. Tentamos, e esperamos tê-lo feito em palavras. Praticamente com pincel e tinta e ou movimentos de filme.

Circula livremente na internet e grupos:

  1. URNAS PODEM SER AUDITADAS – AMOSTRAGEM -, MAS NÃO HÁ CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E GARANTIA SOBRE A PROGRAMAÇÃO DO COMPUTADOR DA SALA-COFRE QUE CONTABILIZA OS VOTOS

É mais ou menos assim. Na natureza, os animais mais poderosos eram os que mandavam em tudo e em todos. As hienas faziam as leis, e os bois trabalhavam, executavam e produziam alimentos para todos. Os lobos eram os juízes. Certa vez os animais votaram para que os filhotes dos bois fossem cuidados pelos lobos. E assim foram “felizes” para sempre! Até que começou faltar alimento e vida para todos.

Urnas podem até ser auditadas, o que seria mera amostragem. Entretanto, não existe qualquer controle imediato, fiscalização ou garantia dos totais programados nas mãos de quem hoje faz secretamente a contagem e divulga resultados. •Δαn βεrg•

A seguir, página oficial do TSE – Tribunal Superior Eleitoral, desde longa, que se utiliza de serviços de plataformas que carecem de certificação, procedência de seus patronos e diretores – [confira].

Isso é imparcialidade ou parcialidade? Isenção de interesses ou tendências que deixam escorregar em pequenas amostras?

Qui Bono?

Cícero

Esses são seus parceiros “referenciais” para determinar o que seja ou não verdade? São essas instituições que prestam apoio na tecnologia da informação?

Esses são os que dizem aquilo que deve ser considerado verdadeiro ou falso? São seus “checadores de fatos” em site oficial, pago com dinheiro do contribuinte, para serviço público da mais alta relevância ao país e que deve ser totalmente isento?

São esses que os senhores colocam para conduzir a mão da criança para atravessar a rua? Ou seria para conduzir sorrindo ao caldeirão de Baal? É para o bem ou para o mal?

Detalhe, a quem queira desenrolar o carretel, eis apenas a ponta da meada.

Imagem: tse.jus.br/hotsites/esclarecimentos-informacoes-falsas-eleicoes-2018/forcas-armadas-exigiram-que-tse-fizesse-pericias-em-urnas-eletronicas.html
  1. FALÁCIAS POPULARES, DESESPERO E IGNORÂNCIA DE QUEM PENSA NO RASO, CRITICA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA OU FORÇAS ARMADAS

Segundo informações, áudio do advogado Dr. João Botelho, indignado com o conteúdo veiculado em grupos ditos de patriotas, cristãos e conservadores de direita:

  1. OS QUATRO EIXOS DAS OPERAÇÕES MILITARES NAS ELEIÇÕES 2022
  1. Atendimento das demandas de segurança e de logística feitas pela Justiça Eleitoral.

Apoio a 585 localidades brasileiras. Inclui comunidades isoladas, aldeias e distritos. Mais de 34 mil militares foram escalados para essa tarefa. A ação conta com 430 embarcações de pequeno porte, 18 navios, 3 mil viaturas, 62 blindados e 47 aeronaves (entre aviões e helicópteros).

Foram ativados Comandos Conjuntos em Manaus, Belém, Campo Grande, Brasília, Rio de Janeiro e Recife para acompanhamento em tempo real de todas as atividades.

De acordo com o Ministério da Defesa, o objetivo do trabalho é garantir ao cidadão o direito ao voto, por meio da distribuição de urnas eletrônicas e da segurança do processo de votação e apuração.

Muitas comunidades situadas em áreas remotas, como rurais, indígenas e ribeirinhas, somente conseguem ter acesso ao voto com apoio das Forças Armadas.

Ministério da Defesa
  1. Intensificação da proteção aeroespacial e contra-ataques cibernéticos que ofereçam risco ao país. Envolve supervisão de operações aéreas e espaciais, além do monitoramento de satélites.
  2. Marinha, Exército e Força Aérea têm ainda o papel integrar a comissão de transparência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que visa testar a integridade de urnas eletrônicas e conferir boletins no fim das votações (o que falamos em outro tópico de tratarem as FFAA como qualquer um, visto que qualquer um terá acesso a tais BUs para conferências paralelas. É a missão mais polêmica entre todas, não apenas por se tratar de missão inédita atribuída a militares, mas por conta de desentendidos ocorridos entre a Defesa e o TSE ao longo do processo.

A atuação das Forças Armadas em apoio ao TSE tem como características o rigor técnico, o aspecto colaborativo e a legalidade. A atuação dos militares, tanto na CTE [Comissão de Transparência Eleitoral] quanto no trabalho de fiscalização do sistema eletrônico de votação, segue estritamente as normas e etapas definidas pelo TSE.

Ministério da Defesa.
  1. Prontidão de tropas, dentro de quarteis e pontos estratégicos, para caso de acionamento do dispositivo constitucional da Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

Somente em Brasília, no dia 2 de outubro, aproximadamente 1.050 militares foram colocados à disposição da chamada Força Planalto. Tropas também estarão de prontidão em outras capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro. Mas em menor quantidade, uma vez que esses lugares não concentram tantos prédios públicos.

O acionamento de GLO é prerrogativa do presidente da República. E dá às Forças Armadas poder de polícia para conter tumultos e situações em que o patrimônio público está em risco, ou, como já ocorrido, diante de riscos em fronteiras. A última vez em que foi acionado na região central da capital foi no período pré-impeachment da presidente Dilma.

A GLO também foi usada depois para reforçar a segurança em torno da Penitenciária Federal de Brasília, em 2020, quando o Ministério da Justiça mapeou possibilidade de resgate de líderes de uma facção criminosa que estavam presos no local. GLO não existe para destituir poderes ou tomar o poder, mas para garanti-los, conforme acima.

  1. AUDITORIA PELAS FFAA – É SUFICIENTE? DIFERENÇA ENTRE AUDITORIA DO COMPUTADOR CENTRAL, AUDITORIA DE URNAS, VOTO IMPRESSO AUDITÁVEL E CONTAGEM PÚBLICA TOTAL DOS VOTOS IMPRESSOS

O Alto Comando do Exército se reúne no primeiro turno, 02/10/2022, em Brasília. A agenda prevê que os 16 oficiais- generais acompanham as eleições e a apuração dos votos.

Enquanto isso, militares que fazem parte do Comitê de Transparência das Urnas vão monitorar os testes de integridade, que verifica o funcionamento correto dos equipamentos, em 641 urnas, sendo 56 delas com uso de biometria de eleitores.

Questões:

  • Desde quando conferir amostra, parcialidade, garante a exatidão do todo?
  • Desde quando auditar urnas é o mesmo que auditar o programa do computador central que contabiliza votos?
  • Desde quando militares presentes para acompanhar contagem de votos dentro da sala-cofre do TSE garante, interfere ou verifica aquilo que o programa central está preparado para realizar na contagem geral, diferentemente dos resultados dos programas de urnas?
  • Na sala-cofre do tribunal há apuração de votos? Ou nela ficam o cadastro nacional de eleitores, o registro e a prestação de contas dos candidatos, além de cópias dos programas usados nas urnas eletrônicas?
  • 641 urnas podem estar corretíssimas, mas isso é o mesmo que auditar o programa do computador central onde é feita a contabilidade dos votos no Tribunal?
  • Certamente a Inteligência terá seus caminhos e meios, muito provavelmente sem noticiar suas estratégias ao povo ou imprensa midiática. O anonimato, privacidade e segredos de Inteligência são fundamentais para a segurança nacional de qualquer Nação.
[Não há] “qualquer acordo com as Forças Armadas ou entidades fiscalizadoras para permitir acesso diferenciado em tempo real aos dados enviados para a totalização do pleito eleitoral

TSE – Tribunal Superior Eleitoral, ao negar que tenha costurado acordos com militares, portanto, sem apuração paralela total, real (glosa nossa).

Repetindo o parágrafo de tópicos anteriores, também aplicável e imprescindível ao raciocínio aqui:

É público e notório que o acesso ao “códigos-fonte” dos programas de urnas foram disponibilizados para a sociedade civil, entre eles sindicatos, partidos, associações classistas, entidades de todas as naturezas, federações empresariais e bancárias, ou seja, todos que solicitaram tiveram oportunidade de acesso em momento e condições estipuladas pelo TSE, muito antes das FFAA, neste caso, mais uma vez comprovado, Tribunal tratou Forças Armadas como qualquer um, já que qualquer um teve esse mesmo acesso. Ou não é isso?

Imagem: Divulgação
  1. PRESIDENTE BOLSONARO DIZ QUE IRÁ AGUARDAR PARECER DAS FORÇAS ARMADAS SOBRE APURAÇÃO

O Presidente e o povo não acreditam nas urnas ou seria nos resultados informados por quem contabilizou os votos dizendo serem das urnas?

Vou aguardar o parecer das Forças Armadas, que ficaram presentes na sala cofre.

Presidente Jair Bolsonaro, durante entrevista coletiva após resultado divulgado pelo TSE – 02/10/2022.
  1. SOBRE SUSPEITAS OU CRIMES ELEITORAIS EM PONTOS ISOLADOS

Grupos poluem celulares com crimes ou suspeitas de crimes, com fotos, vídeos e declarações. Realmente trata-se de panfleteiros e semeadores de tumulto, para comoção e colocar em risco a Segurança Nacional, caso não apresentem prova da denúncia efetivamente realizada. Agrava-se, quem flagra crime ou suspeita de crime e não denuncia oficialmente, essa pessoa também comete crime, por acobertar um crime que testemunhou.

Imagem que circula nas redes sociais, comprovando documento de denúncia efetivamente realizada.

Em alguns casos, temos visto fotos, vídeos e declarações de políticos dizendo “já entramos com pedido de esclarecimento”. Se é crime, deve-se lavrar Boletim de Ocorrência ou representação de DENÚNCIA perante o órgão competente, não mero “pedido de esclarecimento”. Do contrário, passa a ser denuncismo leviano, com propósito de atrair atenção para quem veicula tais mensagens desprovidas de documentos oficiais.

Conclusão: Se é crime, denuncie. Se quiser veicular, mostre prova de que denunciou. Se não é crime, não veicule! Se não sabe de onde veio ou se é verdade, não repasse. Em vez disso, devolva a questão a quem lhe enviou e peça que faça o caminho inverso, que certamente chegará ao emissário original. Enquanto brasileiros não aprenderem fazer isso com qualquer tipo de mensagem duvidosa, cobrando de quem enviou, nada mudará.

Ajude combater denuncismo leviano, fake e poluição digital, coisas que em nada contribuem para o país.

Além de cobrar informações de quem lhe enviou a mensagem, segue sugestão do que enviar a pessoas, grupos e redes sociais quando se deparar com esse assunto:

Procure entre o povo homens capazes, tementes a Deus, homens que amam a verdade e odeiam a corrupção. Coloque-os como chefes do povo.  

Êx.18:21 – Nova Almeida Atualizada

Fonte: Ministério da Defesa | TSE | Justiça Eleitoral | Código Eleitoral Brasileiro | demais fontes in loco

• Δαn ßεrg •

Escritor e ensaísta, rabiscos.

Carpe diem, frui nocte! Non dvcor, dvco!

Adsumus!

Envie para quem você ama!

  • Obrigado a você que compartilha o link desta matéria em seus grupos e redes sociais. Sabemos que algumas plataformas irão boicotar, por motivos óbvios – o que, de per si, já é um grande sinal! Ainda assim, prosseguiremos nosso trabalho.
  • Acesse gratuitamente todas as matérias de Dan Berg publicadas na plataforma Duna, Norway | Integração Cultural Brasil-Noruega [clique]
Print Friendly, PDF & Email

Dan Berg

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »