fbpx
Esportes

Magnussen lamenta bandeira preta e laranja após terminar em P12 

Compartilhar

Foi a sexta partida consecutiva sem pontos para Kevin Magnussen, depois que o dinamarquês terminou em 12º no GP de Cingapura deste fim de semana. E embora encorajado pelo desempenho de sua equipe, ele ficou frustrado com uma bandeira preta e laranja que o tirou da disputa.

Magnussen fez contato com Max Verstappen e a traseira do carro de Lance Stroll na primeira volta, causando danos à placa final da asa dianteira. Ele então recebeu a bandeira preta e laranja – mostrada aos pilotos com problemas mecânicos que precisam parar – forçando-o a boxear na volta 7 e deixando-o no final do pelotão.

Magnussen então mudou para outro par de pneus intermediários antes de fazer uma segunda parada para os slicks. No entanto, ele lutou para impressionar os carros à frente, cruzando a linha em 12º e deixando Magnussen frustrado com aquele caro pit stop extra.

“Não sei com quem foi o contato, mas o dano foi pequeno”, disse Magnussen. “Não sei por que recebi essa bandeira preta e laranja. Parece completamente exagerado me dar essa bandeira. Não há preocupação com a segurança; aquela coisa tem amarras, a placa final, a pequena asa que surge no final da asa dianteira”.

“Não estava batendo, estava apenas dobrado, então obviamente tinha uma rachadura, mas não estava prestes a cair. Explicamos isso à FIA porque é a terceira vez este ano que recebo a bandeira por causa dessa parte. De qualquer forma, dia frustrante por causa disso”.

GettyImages-1429706563.jpg
Magnussen recebeu uma bandeira preta e laranja depois de sofrer danos em sua asa dianteira

Ele continuou: “Terminamos em 12º quando tivemos um pit stop extra que eu não precisava, então é frustrante. Foi um sábado positivo e vimos que o carro tem algum ritmo, o que é pelo menos encorajador. Espero que possamos continuar seguindo em frente”.

Como ele mencionou, foi a terceira bandeira preta e laranja de Magnussen na temporada – tendo recebido o aviso em Montreal e na Hungria – para frustração do chefe da equipe Haas, Guenther Steiner. Falando antes do GP de Cingapura, Steiner deixou claro que sua equipe deve decidir se o dano sofrido é perigoso ou não.

“Ainda estou chateado com as duas bandeiras pretas e laranja que recebemos para Kevin!” disse Steiner, falando na quinta-feira em Cingapura. “Doze anos aparentemente não havia bandeiras pretas e laranjas e agora em um ano pegamos duas e nunca houve o risco de perdermos peças no carro, sabe? Eles acabaram de inventar isso, ou não sei onde encontraram essa regra novamente e agora estão felizes em aplicá-la, e especialmente para nós”.

GettyImages-1429295566.jpg
Steiner ficou frustrado com as bandeiras pretas e laranja que Magnussen recebeu antes do GP de Cingapura

“Então, tentamos explicar a eles que temos uma palavra a dizer nessa, porque nunca deixaríamos um carro lá fora se não fosse seguro. É isso que as pessoas têm que entender. Não somos tão estúpidos. Se não for seguro, não somos estúpidos e deixamos lá fora. É nossa primeira coisa do pessoal técnico garantir que o carro esteja seguro”.

Ele continuou: “Há sempre algo que pode acontecer, mas sabemos exatamente o que está acontecendo, sabemos como a asa dianteira é construída, que não pode voar. Se achamos que é perigoso, acionamos em nosso nome; não precisamos que nos digam, sabe? Acho que temos muito mais pessoas qualificadas para dizer que é seguro ou não do que a FIA tem”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, tornando-se um assinante você está contribuindo para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio! Duna Press Jornal e Magazine, mídia livre e independente trabalhando a informação com ética e respeito ao leitor. Notícias, oportunidades e negócios, seu portal nórdico em português.

Assinatura Anual
Assinatura Anual

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »