fbpx
Esportes

Hegemonia no triatlo e vitória no último segundo no karatê agitam os Jogos

Compartilhar

No quarto dia de disputas em Assunção, natação voltou a brilhar e levantamento de peso teve medalha de superação.

O triatlo brasileiro encerrou sua participação nos Jogos Sul-americanos Assunção 2022, nesta terça-feira, 4 de outubro, da melhor forma possível: com mais uma medalha de ouro, desta vez no revezamento misto, a terceira de ouro em três possíveis nos Jogos. Além das conquistas douradas, a modalidade ainda ganhou mais três medalhas, duas de prata e uma de bronze, ou seja, seis medalhas das sete em disputa. Um desempenho inquestionável.

Na prova do revezamento misto, Manoel Messias foi o primeiro a entrar em ação e abriu vantagem logo na natação, aumentou no ciclismo e a consolidou na corrida. Em seguida, Vittoria Lopes, se manteve na liderança, deixando o Brasil na frente da Colômbia em 15 segundos.

Medalhista de ouro no individual, Miguel Hidalgo foi o terceiro atleta a competir e conseguiu impor uma boa vantagem na dianteira, com mais de um minuto de frente sobre os rivais. Na última perna, Luisa Baptista manteve a ponta, terminando com o tempo de 1h17min22s. A medalha de prata foi da Colômbia e a de bronze do Equador.

“Adotamos uma estratégia de sermos bem agressivos no início. O Messias, que é o nosso principal corredor, já abriu para conseguirmos uma vantagem logo de cara. Em seguida foi a vez da Vittoria, que é uma das melhores nadadoras do circuito passar para o Miguel, e eu finalizei com essa vantagem que conseguimos desde o início. Então, foi domínio geral do Brasil”, afirmou Luisa Baptista.

As demais medalhas brasileiras no triatlo foram: na prova feminina, Luisa Baptista (ouro), Vittoria Lopes (prata) e Djenyfer Arnold (bronze) e, na masculina, Miguel Hidalgo (ouro) e Manoel Messias (prata).

Natação – Terceiro dia de disputas da natação e mais uma vez os nadadores do Time Brasil saíram das águas da piscina do Centro Aquático Nacional com muitas medalhas no pescoço. No total, foram 12 medalhas conquistadas (oito de ouro, três de prata e uma de bronze) . Destaques para Giovana Diamante e Stephanie Balduccini, que já chegam a cinco medalhas de ouro cada,  e Guilherme Costa, que conquistou sua terceira de ouro, desta vez nos 1.500m livre. “A minha prova mesmo é a dos 400m livre, que vou nadar amanhã (quarta-feira, 5), e é também a melhor prova dos meus adversários. Então, optei por dar uma segurada na final dos 1.500m porque quero nadar muito bem os 400m”, comentou Guilherme em relação à sua estratégia.

A natação brasileira já conquistou, até o momento, 47 medalhas, sendo 26 de ouro.

Karatê – O dia no karatê também foi de bons resultados para o Time Brasil. Anna Laura Prezotti foi medalha de ouro na categoria até 68kg; já Alisson Sobrinho, na categoria até 75kg, foi prata.


 Anna Laura Prezotti, de luvas azuis, conquista o ouro no karatê. Foto: Gaspar Nóbrega/COB

Outras medalhas do dia – O Time Brasil conquistou também duas medalhas de bronze no remo (double skiff feminino e masculino), um bronze nos saltos (Luana Lira, no trampolim de 3m), dois bronzes no levantamento de pesos (Amanda Schott, na categoria até 76kg, e Marco Tulio Gregório, na até 96kg) e dois bronzes na esgrima (Alexandre Camargo, na espada, e Karina Zettermann, no sabre. 

Fonte: COB


Seu apoio é importante, tornando-se um assinante você está contribuindo para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio! Duna Press Jornal e Magazine, mídia livre e independente trabalhando a informação com ética e respeito ao leitor. Notícias, oportunidades e negócios, seu portal nórdico em português.

Assinatura Anual
Assinatura Anual

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »