fbpx
News

SP: Número de atendimento às mulheres vítimas de violência em equipamentos de Direitos Humanos aumenta na capital

Compartilhar

Os casos mais frequentes estão relacionados à violência psicológica, seguidos de violência moral e física, ameaças generalizadas, violência patrimonial, verbal e sexual.

A Prefeitura de São Paulo divulgou nesta segunda-feira (10), Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher, o número de atendimentos prestados pelos equipamentos da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) que atendem mulheres na cidade.

Em 2022, a secretaria recebeu mais verbas de orçamento e atendeu um maior número de denúncias de vítimas de violência em seus 16 equipamentos especializados de proteção à mulher, incluindo o serviço da unidade móvel, Ônibus Lilás, que, desde 2017, prestou quase 3 mil atendimentos em diferentes pontos da cidade.

O orçamento para Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania para esse tipo de atendimento foi de R$ 23.735.000,00, 22% maior do que o de 2021.

Até agosto deste ano, a Coordenação de Políticas para Mulheres da SMDHC fez 35.004 atendimentos, 27,9% a mais em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Em relação ao ano de 2021, os números de pessoas atendidas crescem a cada mês. O pico foi em março deste ano, quando houve 43% a mais de atendimentos em 2022 do que o verificado no mesmo mês em 2021.

Os casos mais frequentes estão relacionados à violência psicológica, seguidos de violência moral e física, ameaças generalizadas, violência patrimonial, verbal e sexual. Quanto ao perfil de mulheres atendidas, a maioria são brancas, na faixa etária de 30 a 39 anos, com o ensino médio completo.

Tipos de denúncias/violências mais frequentes entre 2021 a 2022 (agosto):

Perfil de mulheres atendidas:

Casa da Mulher Brasileira é o equipamento que registra o maior número de atendimentos da Coordenação de Políticas para Mulheres da SMDHC. Desde a sua fundação há três anos, em novembro de 2019, a CMB, que funciona em plantão de 24 horas e reúne diversos tipos de serviços no mesmo local, já atendeu 80.085 mulheres, sendo 24.815 atendimentos somente este ano.

Além da Casa da Mulher Brasileira, a rede de Direitos Humanos possui quatro Centros de Referência da Mulher, cinco Centros de Cidadania da Mulher, duas casas de acolhimento e três Postos de Atendimento, dois em estações do metrô (Santa Cecília e Luz) e um no Terminal de Ônibus Sacomã, da SPTrans.

As mulheres ameaçadas por seus companheiros e maridos são encaminhadas para as casas de abrigo provisório que fazem acolhimento também para os filhos de até 17 anos e onze meses. Para esses casos, a Prefeitura de São Paulo, via Coordenação de Políticas para Mulheres, também oferece pagamento de um auxílio-aluguel no valor de R$ 400. Foram atendidas com o benefício, até setembro deste ano, 1.270 mulheres vítimas de violência doméstica. Em valores, já foram repassados R$ 4.160.400,00 para o programa.

Violentômetro

Para ajudar as mulheres a identificarem os tipos de violência a que podem ser submetidas, a Coordenação de Políticas para Mulheres adotou o Violentômetro.

Serviço

Veja a rede de atendimento da SMDHC: 

Casa da Mulher Brasileira (todos os dias, 24 horas)
Rua Vieira Ravasco, 26 – Cambuci
(11) 3275-8000

Posto Avançado de Apoio à Mulher (segunda a sexta-feira, das 08h às 17h)
Estação Santa Cecília (Linha 3 Vermelhal)

Posto Avançado de Apoio à Mulher (segunda a sexta-feira, das 08h às 17h)
Estação da Luz (Linha 1 Azul)

Posto Avançado de Apoio à Mulher (segunda a sexta-feira, das 08h às 17h)
Terminal de Ônibus Sacomã – zona sul

CRMs e CCMs – Segunda a sexta-feira, das 08h às 17h.

CRM 25 de Março (CENTRO)
Rua Líbero Badaró, 137, 4º andar – Centro
(11) 3106-1100

Casa Brasilândia (NORTE)
Rua Sílvio Bueno Peruche, 538 – Brasilândia
(11) 3983-4294

CCM Perus (NORTE)
Rua Aurora Boreal, 53
(11) 3917-5955

CCM Itaquera (LESTE)
Rua Ibiajara, 495 – Itaquera
(11) 2073-4863

Casa Eliane de Grammont (SUL)
Rua Dr. Bacelar, 20 – Vila Clementino
(11) 5549-9339

CRM Maria de Lourdes Rodrigues (SUL)
Rua Luiz Fonseca Galvão, 145 – Capão Redondo
(11) 5524-4782

CCM Parelheiros (SUL)
Rua Terezinha do Prado Oliveira, 119
(11) 5921-3665

CCM Santo Amaro (SUL)
Praça Salim Farah Maluf, s/n
(11) 5521-6626

CCM Capela do Socorro (SUL)
Rua Professor Oscar Barreto Filho, 350 – Grajaú
(11) 5927-3102

Além da rede da SMDHC há equipamentos disponíveis também na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMADS).

Fonte: Prefeitura de São Paulo


Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »