fbpx
Esportes

“Gostaria que fosse assim com mais frequência”, Ricciardo satisfeito com o P7 

Compartilhar

Daniel Ricciardo reagiu à sua colisão com Yuki Tsunoda – e subsequente penalidade de tempo – durante o Grande Prêmio da Cidade do México, alegando que a punição foi “mais que suficiente” por suas ações.

Ganhando terreno em Tsunoda na volta 51 de 71, Ricciardo tentou fazer um movimento para o P11 na curva 6, mas o piloto da McLaren acabou acertando o sidepod direito do AlphaTauri, enviando-o para o ar e para o segundo stint.

Enquanto Ricciardo continuou, Tsunoda trouxe seu carro de volta aos boxes e se retirou da corrida, com o australiano recebendo uma penalidade de 10 segundos pela colisão – embora uma cobrança tardia nos pneus macios lhe rendesse o P7.

Após a corrida, Ricciardo disse: “Acabei de ver o replay e não foi flagrante. Eu entrei, tranquei e bati nele. Eu sinto que segurei uma linha muito apertada. Talvez fosse um pouco eu, há muitos pontos cegos, mas tudo o que precisávamos era dar mais 30 centímetros um ao outro e então estávamos bem”.

“A verdade é que eu não estava realmente tentando arremessá-lo nas curvas, estava apenas tentando ficar lá, segurá-lo um pouco largo e depois sair com o pneu mais novo. Mas de qualquer forma, veja, uma penalidade de 10 segundos foi mais do que suficiente para justificar isso, e eu voltei”.

“Na verdade, eu não respondi a Tom [Stallard, engenheiro de corrida] quando ele disse que você tem [a] 10 segundos [penalidade]. Eu estava tipo, ‘A única corrida em que temos ritmo!’ Então, de qualquer forma, baixei a cabeça e acabamos abrindo uma lacuna grande o suficiente para os outros, então estou feliz”.

Tsunoda estava tentando conquistar pontos consecutivos após seu resultado no P10 em Austin, mas ponderou o que poderia ter sido e questionou a abordagem de Ricciardo à sua batalha roda a roda.

“É uma pena. Até então estava super bem. [Nós] administramos bem [a corrida], empurrando no primeiro stint com o pneu macio, conquistando posições, e é tão chocante como ele ultrapassou – era quase impossível. Eu não sei se ele teve danos, mas é muito chocante, o que eu tive, e tão frustrante”.

Apesar do incidente com Tsunoda, Ricciardo mais tarde ganharia o prêmio de Piloto do Dia depois de sua corrida de fogo pelo campo que o viu fazer o suficiente para ficar em P7, apesar de sua penalidade de 10 segundos.

E com o australiano agora tendo apenas duas corridas restantes com a McLaren depois que ele e a equipe concordaram em se separar um ano antes da conclusão de seu contrato, havia uma pitada de agridoce no desempenho tempestuoso de Ricciardo, já que ele terminou duas posições à frente do companheiro Lando Norris.

“É tão bom”, disse ele sobre o desempenho. “Gostaria que houvesse uma explicação por que não tem sido assim com mais frequência, corridas em que posso me apoiar no carro e colocá-lo onde quero”.

“Obviamente faltam poucos, antes tarde do que nunca, felizes por ter feito uma corrida ofensiva. Sinto-me normalmente se estamos nos pontos, estamos olhando nos espelhos, então entrar em campo foi bom e, sim, o time, com certeza, também se sente feliz e aliviado após o pênalti”.

Fonte: Fórmula 1


Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Translate »