fbpx
Política

PT faz movimento para deixar Bolsonaro e aliados inelegíveis

Compartilhar

Até o final do mês, o comando de campanha do PT vai apresentar uma ação diretamente ao STF para deixar Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, Carla Zambelli e Nikolas Ferreira inelegíveis.

Depois de vencer as eleições, a equipe de campanha de Lula não descansa . Enquanto o ex-presidente saiu de férias para a Bahia, seu vice-presidente Gerardo Alckmin está liderando a transição enquanto seu gerente de campanha, Aloizio Mercadante, prepara uma ação para apresentar no Supremo Tribunal Federal (STF) para desqualificar o atual presidente Jair Bolsonaro das eleições .

A apresentação buscará que o STF, dominado pela esquerda, onde 9 dos 11 juízes foram nomeados pelo PT, condene Bolsonaro por suposto abuso de poder político e econômico, o que o desqualificaria para participar de futuras eleições .

Como prova, o processo inclui declarações públicas do presidente criticando o sistema eleitoral, alertando para a possibilidade de fraude e questionando a segurança das urnas.

Segundo relatos da campanha do PT, provas dos deputados eleitos Carla Zambelli, Eduardo Bolsonaro e Nikolas Ferreira , os três líderes eleitorais mais fortes de Bolsonaro, também poderiam ser incluídas nessa demanda.

Dessa forma, Lula quer eliminar qualquer concorrência real que possa ter da direita nos primeiros dias de seu governo, que começará em 1º de janeiro.

Assim como seu amigo ditador Daniel Ortega na Nicarágua , que usou a Suprema Corte a seu favor para desqualificar todos os candidatos da oposição e concorrer sem contestação na última eleição, Lula busca firmar seu poder no Brasil para nunca mais perder uma eleição.

A equipe jurídica do PT também prepara outra ação, que será apresentada paralelamente, focada em questões econômicas, incluindo os benefícios financeiros que o governo liberou durante o processo eleitoral , como a concessão de empréstimos com desconto em folha para os beneficiários de Auxílio Brasil.

Segundo o comando de campanha de Lula, Bolsonaro decidiu dar planos sociais em 2022 apenas para beneficiar sua posição eleitoral, algo que ele e Dilma também fizeram durante seus mandatos, mas nunca foram denunciados por isso.

Essa demanda é a mais fraca, pois a Proposta de Reforma da Constituição (PEC) , apelidada de ” Pacote de Benefícios “, que ampliou a assistência social do plano Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600 , foi aprovada no Congresso com os votos de todo o PT, e o próprio Lula pediu durante a campanha que votassem a favor da medida de Bolsonaro.

Por fim, os assessores de Lula garantem que têm uma última bala na Câmara caso as outras duas demandas falhem, que é investigar Bolsonaro por ter lidado com o país durante a pandemia . Segundo os partidários do PT, Bolsonaro cobrou propina para a compra de vacinas e lutou contra os governadores para que não fechassem a economia.

Ambas as acusações foram derrubadas durante a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara dos Deputados, que investigou Bolsonaro durante todo o ciclo eleitoral sobre essa questão e nada encontrou.

No entanto, do PT eles esperam que seus aliados no STF garantam uma condenação neste caso se os demais falharem. Vale lembrar que a figura mais forte no STF é Alexandre de Moraes , juiz aliado de Lula que atualmente lidera o caso Fake News contra Bolsonaro, em mais uma tentativa de desqualificar o atual presidente.

Fonte: La Derecha Diario


Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Translate »