fbpx
Esportes

“Mercedes parece imbatível”, diz Verstappen

Compartilhar

Max Verstappen ficou para refletir sobre uma Sprint “difícil” em São Paulo, quando o piloto da Red Bull levou a bandeira quadriculada no P4 – enquanto o companheiro de equipe Sergio Perez admitiu sua preocupação com o ritmo da equipe quando comparado à Mercedes.

Verstappen começou o Sprint em segundo – como um dos dois pilotos, juntamente com Nicholas Latifi, a largar com pneus médios, com o resto do grid optando por pneus macios. O piloto da Red Bull rapidamente ultrapassou Kevin Magnussen pela liderança, mas foi ultrapassado por George Russell na volta 14 de 24.

Verstappen foi pressionado por Carlos Sainz e, quando o espanhol passou, os dois pilotos colidiram, deixando o piloto holandês com danos na asa dianteira. Verstappen então perdeu outro lugar para Lewis Hamilton, o que significa que terminou o Sprint em quarto.

“Foi muito mais difícil do que esperávamos de alguma forma”, disse Verstappen quando perguntado se ele achou a Sprint difícil com o pneu médio. “Eu não esperava ter isso [degradação dos pneus]. Então, mesmo no macio, não teríamos sido rápidos o suficiente, então estamos claramente lutando para manter os pneus vivos”.

“Então, isso é algo que precisamos tentar consertar para amanhã. Embora, é claro, não haja muito que possamos fazer, mas não pode ficar pior do que isso… No momento [Mercedes] parece imbatível, mas vamos analisar tudo”.

Quando perguntado o que ele fez com o contato com Sainz, Verstappen disse: “É minúsculo. Ele quebrou minha placa final e um pouco da estrutura, mas felizmente não caiu. No final do dia, eu teria terminado em quarto de qualquer maneira com uma asa dianteira completa”.

O companheiro de equipe Perez começou o Sprint em nono e subiu para o quinto no final. E enquanto ele estava feliz por chegar entre os cinco primeiros, ele ficou preocupado com o ritmo de sua equipe quando comparado à Mercedes.

“Conseguimos ficar entre os cinco primeiros, o que é sempre bom”, disse Perez. “Mas acho que estou mais preocupado com o amanhã porque o ritmo não parecia tão bom do nosso lado, então muito trabalho para fazer esta noite”.

“Fiquei bastante impressionado com o ritmo [da Mercedes]; foram super rápidos… Então, muitas coisas para entender para amanhã”.

O chefe da equipe, Christian Horner, admitiu que o pneu macio teria sido uma opção melhor para Verstappen, mas permaneceu esperançoso de que o conjunto extra do composto mais macio em comparação com a Mercedes os ajudaria na corrida de domingo.

“Sentimos que o macio estava um pouco limitado no alcance, então tomamos a decisão de começar no médio; se pudéssemos sobreviver às primeiras 12 voltas, a segunda metade do Sprint se tornaria um pouco mais confortável”, disse Horner.

“Tendo sobrevivido à primeira metade da corrida, acabamos em pior degradação do que os macios e a Mercedes tinha um carro rápido hoje e não conseguimos segurá-los. O pneu macio teria sido melhor para nós hoje. Mas a vantagem é que levamos esse set extra para a corrida de amanhã. O que desistimos hoje estrategicamente esperamos que possamos recuperar amanhã”.

Fonte: Fórmula 1


Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »