fbpx
News

Governo de SP avança em entregas no transporte coletivo sobre trilhos

Compartilhar

Estado já investiu R$ 3,8 bilhões na construção de novas estações do Metrô e CPTM e cinco linhas possuem obras em andamento.

Empenhado em oferecer mais segurança e mobilidade aos cidadãos que precisam do transporte coletivo sobre trilhos para chegar ao trabalho e retornarem às suas casas, o Governo de SP vem investindo pesadamente na ampliação das linhas do Metrô e CPTM.

Ao longo da atual gestão, já foram investidos R$ 3,8 bilhões e 10 novas estações foram entregues – Vila Sônia, Campo Belo, Jd. Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta, São Mateus, Jd. Colonial, Francisco Morato, Bruno Covas e João Dias. A capital paulista possui a maior extensão de Metrô de toda América Latina.

Uma das mais recentes a serem entregues, a estação Vila Sônia, na zona Oeste da capital, foi construída em um complexo com terminal de ônibus para atender a cerca de 86 mil pessoas por dia. As obras entregues fazem parte de um amplo pacote de investimentos do Governo do Estado de São Paulo, que aportou R$ 2,1 bilhões na construção de um total de cinco estações e túneis da fase 2 da Linha 4-Amarela.

Já a estação Francisco Morato, na Linha 7-Rubi, foi chamada de “obra de arte” pelo presidente da CPTM, Pedro Moro, na ocasião da sua entrega. O motivo foi a engenharia empregada para reduzir os riscos de interrupção na circulação de trens e elevar a segurança dos passageiros em período de chuvas que, infelizmente, traz transtornos para a população de Francisco Morato.

Para isso, a CPTM construiu um “sistema anti-enchente”: diques e bombas que drenam a água por debaixo da terra, além de um sistema de contenção para a água não invadir a estação. O telhado da estação possui um sistema que transforma a água da chuva em um “turbilhão” que tira a água imediatamente do local e desce pelas colunas, para não acumular água e evitar vazamentos.

Os passageiros que utilizam a Linha 7-Rubi todos os dias, incluindo os que utilizam a extensão até Jundiaí, têm à disposição um boulevard e uma praça dentro dos limites da estação, que tem três vias operacionais e uma quarta exclusiva para trens de carga, para não interferir na circulação dos trens de passageiros, principalmente nos horários de pico, quando a demanda é grande.

Monotrilho de alta capacidade

Além disso, cinco linhas estão em obras para ampliar ainda mais o atendimento aos cidadãos – Linha 6 Laranja, Linha 15 Prata, Linha 17 Ouro, Linha 2 Verde e Linha 9 Esmeralda (Nova estação Varginha).

Construída pelo Metrô de São Paulo, a Linha 15-Prata é o primeiro monotrilho de alta capacidade de transporte do Brasil e vai conectar as regiões Leste e Sudeste a toda a rede de trilhos de São Paulo, reduzindo em 50% o tempo de deslocamento entre a região do Iguatemi (estação Jardim Colonial) ao centro. O monotrilho possui características similares ao metrô convencional, porém seus trens trafegam com pneus sobre vigas de concreto elevadas.

A implantação dessa linha tem o custo de R$ 5,4 bilhões, em investimentos exclusivos do Governo do Estado, compreendendo a construção de 15,3 km de vias e 11 estações entre Vila Prudente e Jardim Colonial (antiga Iguatemi), além do Pátio de Manutenção Oratório, a compra de 27 trens, sistemas elétricos, de sinalização e controle, e também de três novos terminais de ônibus já entregues na região da Vila Prudente.

Fonte: Governo de São Paulo


Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »