fbpx
News

Novembro Azul recomenda exames da próstata para prevenção de câncer

Compartilhar

Por falta de informação, preconceito e até vergonha, muitos homens deixam de fazer exames que poderiam detectar o câncer de próstata a tempo de curá-lo. Prevenção e tratamentos bem-sucedidos, que dependem em boa medida da detecção precoce, são a chave para frear a estatística de quase 16 mil mortes ao ano causadas pela doença.

Na tentativa de reverter esses números, todos os anos a campanha Novembro Azul busca alertar para a necessidade dos exames preventivos. O esforço também mobiliza o Congresso Nacional, que ilumina seu edifício-sede na cor símbolo da campanha, realiza eventos alusivos ao Novembro Azul  e põe em discussão projetos de lei com o objetivo de esclarecer a população masculina sobre o problema.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil (29,2% dos tumores incidentes no sexo masculino), ficando atrás apenas do câncer de pele. Os números do instituto indicam 65.840 novos casos da doença em 2020 e 15.841 mortes registradas no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do ministério da Saúde.

A detecção precoce pode ser feita por meio de exames em homens com sintomas (diagnóstico precoce) ou sem eles (rastreamento). No último caso, o público-alvo é quem tem maior chance de desenvolver a doença. 

Alterações indicadas pelo toque, mas também pelos exames clínico e de sangue, podem levar o médico a pedir outros mais complexos, como ressonância magnética e biópsia. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente por alterações percebidas pelo toque retal, o que reforça a necessidade de fazer esse exame.

Ainda segundo Ministério da Saúde, os homens devem procurar atendimento nas unidades básicas espalhadas pelo Brasil, a porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS). Entre as avaliações oferecidas pelo SUS estão: biopsia de próstata, ultrassonografia de próstata por via abdominal ou transretal e dosagem de antígeno prostático especifico. Entre os exames para diagnóstico estão exames clínicos, laboratoriais, endoscópios e radiológicos.

Campanha

A campanha Novembro Azul foi lançada no Brasil em 2011 pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, organização social que se dedica a esclarecer a população sobre o câncer de um modo geral e as doenças cardiovasculares, além de fazer um trabalho voltado especificamente para a saúde do homem. A inspiração veio do Movember, evento que em vários países incentiva os homens a deixarem o bigode crescer como um sinal de conscientização sobre doenças masculinas e o suicídio. O nome Movember resulta de um jogo de palavras que mescla a partícula “mo”, diminutivo de moustache (bigode, em inglês) e november (novembro). Intencionalmente ou não, a nova palavra acaba lembrando a ideia de movimento, ação (move).

De acordo com o instituto Lado a Lado, apesar das constantes campanhas de prevenção e alerta para a necessidade de exames, muitos homens com idade avançada ainda relutam em seguir as recomendações do rastreamento. O tema escolhido para a campanha em 2022 é #azultitude, para que eles se sintam incentivados a ter o protagonismo de sua saúde, cuidando dela de maneira integral.

A doença

A próstata é uma glândula do tamanho de uma noz, cuja função é produzir o líquido seminal, que nutre e transporta os espermatozóides. Presente apenas nos homens, está localizada na frente do reto, abaixo da bexiga, e envolve a parte superior da uretra, canal por onde passa a urina.

Quando um homem desenvolve câncer de próstata, as células dessa parte do corpo passam a ter um crescimento descontrolado, formando tumores. Esses tumores podem ser benignos ou malignos (câncer).

No início da doença, o paciente pode não apresentar sintomas. Quando há sintomas, os mais comuns são: dificuldade de urinar, demora para começar e terminar de urinar, sangue na urina, diminuição do jato de urina, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

De acordo com o Inca, adotar hábitos saudáveis pode ajudar a diminuir o risco de câncer.

Tratamento

O tratamento, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), varia de acordo com o estágio da doença, com as condições clínicas e com desejo do paciente. Entre as opções estão: cirurgia, radioterapia, vigilância ativa (acompanhamento do tumor), hormonioterapia, quimioterapia e radiofármacos. De acordo com o médico Marcus Vinícius Sadi, supervisor da Disciplina de Câncer de Próstata da SBU, os tumores são classificados em níveis que vão de 1 a 5. Nos primeiros níveis, há a opção de apenas acompanhar a evolução.

Projetos

No Congresso, projetos tratam de ações e campanhas relacionadas à saúde do homem. Um deles é o PL 4.967/2020, da senadora Rose de Freitas (MDB-ES), que busca oficializar o Novembro Azul em lei. Além da iluminação de prédios públicos com luzes de cor azul, o projeto prevê a promoção de palestras, eventos e atividades educativas todos os anos durante o mês de novembro. A matéria ainda não foi distribuída a nenhuma comissão e ainda não tem relator.

Também em análise no Senado, o PL 3930/2021, do deputado Dr. Zacharias Calil (União-GO), que institui a campanha Novembrinho Azul. A intenção é fazer ações de conscientização e de proteção da saúde de meninos de até 15 anos de idade. O projeto, já a aprovado pela Câmara, está na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), onde aguarda a escolha de um relator.

Outro projeto, já aprovado pelo Senado, determina que as empresas devem fornecer boletins de informação aos empregados sobre o câncer de próstata e outros tipos da doença. De acordo com o PL 4.968/2020, o empregado também deverá ser informado sobre a possibilidade de deixar de comparecer ao serviço para fazer exames preventivos, sem prejuízo do salário, por até 3 dias, dentro do período de 12 meses. O projeto está na Câmara dos Deputados, onde aguarda a escolha de um relator na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP).

Fonte: Agência Senado

Print Friendly, PDF & Email

Joice Maria Ferreira

Colunista associada para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades sócio-políticas e econômicas da região.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Translate »