fbpx
Vídeos e Filmes

House of The Dragon 1×9 – O Conselho Verde

Compartilhar

thegeekiary

Após o Rei Viserys fechar os olhos chamando sua primeira esposa, e rainha, a sombra da morte cobriu o castelo e Porto Real. – O mais interessante ao vermos a série é perceber que dentro de pouco mais de cem anos teremos os eventos de Games Of Thrones. Mas voltando ao passado presente.

A forma que Alicent e seu pai Otto lidaram com a morte do rei foi extremamente arbitraria, cheia de vilania. Eles sempre quiseram o trono. As conversas de Otto com sua filha quando ela era ainda uma jovem, mostrava o claramente o plano do Mão do rei sempre foi tomar o trono, misturar o seu sangue aos dos Targaryen, para consumar suas ambições políticas. E no processo ele e Alicent vem deixando uma bela trilha de corpos.

O Trono de Ferro está vazio, mas não por muito tempo, pois já foi roubado descaradamente e com violência. Alicent manda preparar o corpo do rei e se tranca com o conselho para avisar que o rei quer o filho, Aegon II Targaryen, no trono e não a filha coroada e juramentada por todas as casas.

Cine Set

No pequeno conselho o sangue começa a ser derramado, o Mestre da Moeda Lord Lyman Beesbury vendo que o torno de ferro está sendo usurpado da verdadeira herdeira, fala em traição, e é imediatamente é silenciado por Criston Cole, que é puxa saco oficial da rainha Alicent. – Não faço ideia do que rola entre eles dois, mas deve ser bem sórdido. – A série não explicou se ele foi punido, ou não pela morte do amante do primeiro marido de Rhaenyra, e como continuou na guarda. – Essa ninguém respondeu. – Voltando ao conselho. Ele empurra Lyman e por fim esmaga a cabeça dele contra o marcador de pedra que fica a frente deles na mesa do conselho. – Essa morte é simbólica e marca o tipo de governo que estar por vir. Sem falar que ele ficou frustrado e todos que defendem Rhaenyra ele ataca. – Isso se chama ego ferido. – Ela preferiu o trono a ele. – A coitado!

– Não vou nem comentar a cena da conversa de Alicent com o Pé torto. – Gente o que foi aquilo? – Ela se passa para qualquer papel.

Daí em diante a coisa desanda, os criados são colocados nas masmorras, os chefes das casas que estavam no palácio são obrigados a jurar lealdade ao novo rei, e quem não aceita é jogado na masmorra, se tentar fugir acaba enforcado. – Rapidamente é decidido que o trono vai ser realmente “roubado”, a pergunta é onde está o novo rei, Aegon? – Está em Flea Bottom, – Fazendo o que melhor sabe, beber e fornicar. – Isso mesmo! Só que dessa vez ao sair do castelo ele foi capturado pelo Verme Branco, que foi amante de Daemon, a Mysaria. – Ela apareceu pouco, mas causou. – Era prostituta, quase esposa, e por fim informante de Otto Hightower. – Ela prendeu o futuro rei, e o liberta, após uma conversa com Otto. – No final do episódio vemos a casa dela em chamas, provando que com os Hightower, não tem jogo.

Alicent passa a competir com o próprio pai para encontrar o filho, – Bem, ela aprendeu a gostar do sabor do poder. O que ocorre é que Criston Cole e Aemond começam a percorrer os bordeis a procura do rei. – A serviço de Otto estão os gêmeos, Arryk Cargyll e Ser Erryk Cargyll. A caminhada é significativa e mostra quem será o futuro rei.

Crianças são obrigadas a luta brutalmente umas contra as outras para divertir uma plateia sanguinária. No canto vemos um menino pequeno sentado e ele exibe cabelos brancos sinal de que é um Targaryen e filho de Aemond.

O episódio segue e a conversa de Alicent com Rhaenys é perfeita. Rhaenys é tão lucida, inteligente e fria. E deixa claro que não vai apoiar o roubo do trono de ferro. Os gêmeos se desentendem e cada um assumem um lado na guerra. O que preferiu o lado Rhaenyra liberta Rhaenys e fogem pela cidade, mas são separados pelos guardas que estão arrebanhando o povo para o fosso dos dragões onde pretendem coroar o novo rei.

Rhaenys observa a cena e toma uma decisão, some dentro do fosso dos dragões e quando reaparece é botando tudo a baixo.  O seu dragão Meleys, ruge na cara dos Verdes. E nós ficamos ali suplicando pelo “Dracarys”. Mas ele não veio. – E está certo, ela não pode começar a guerra.

A cena é perfeita e mostra o poder dos dragões e como o povo vale pouco. Os dragões seguem seus mestres, eles são magia feita de escamas e fogo. – Quem os conduz é que deve pensar em consequências. Não estou culpando Rhaenys, pois ela precisava fugir. – Nesse jogo o que importa é o poder dos dragões.

Se você assistiu Games Of Thrones, e refletir, vai perceber o quanto Daenerys Targaryen era importante. – Depois da queda da casa Targaryen, ela e o irmão eram os últimos. Seus dragões também eram os últimos. O que assistimos foi o fim da magia.

Essa guerra provocou o fim de uma era de magia e fogo. Esse episódio nos deixa em uma grande revolta. – Pois vemos o começo do fim de uma linhagem e da própria magia.

Minha nota? Cinco Beijos mordidos!

Escute aqui a resenha:

Print Friendly, PDF & Email

Nazareth Fonseca

Nazareth Fonseca é escritora e jornalista e já conta com dez livros publicados, entre eles a série Alma e Sangue. Aficionada em filmes, séries e livros gosta de escrever sobre tudo que lê e assiste.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Translate »